O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 76

50

Portanto, Sr. Ministro, eu remeto-lhe agora a pergunta: se é assim tão caro, se é assim tão difícil, o que é

que o impede de partilhar, de forma transparente, com o Parlamento o valor que está em causa, para que

possamos decidir informadamente?! Se o Sr. Ministro tivesse feito esse trabalho, se tivesse feito essa conta —

coisa de que hoje em dia até já duvidamos —, poderíamos ter aqui uma discussão informada e saber, afinal,

quais são as possibilidades reais e até onde se pode ir na negociação do tempo com os professores, já este ano

e nos anos seguintes.

A Sr.ª Ana Mesquita (PCP): — O Governo não está aberto à negociação!

A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Por isso, quanto custa, Sr. Ministro da Educação? Por que razão é que

não partilha com o Parlamento, que é vinculado na sua decisão, a informação que nos falta, para sermos,

responsavelmente, capazes de decidir?!

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. Presidente: — Tem a palavra, para responder, o Sr. Ministro da Educação.

O Sr. Ministro da Educação: — Sr. Presidente, Sr. Deputado Pedro Alves, muito obrigado pela sua questão.

Até parecia que estava escrita a alusão aos movimentos nas galerias. O Sr. Deputado tem sempre muita

informação!…

Protestos do PSD.

O que lhe quero dizer, Sr. Deputado, é que não acredite em tudo o que lhe contam os mentideiros. Não

acredite em todos os mentideiros!

Outra coisa, Sr. Deputado, que também já lhe disse várias vezes na comissão parlamentar, é que não é por

uma mentira ser dita muitas vezes que ela se transforma numa verdade! Não é por dizê-la alto e em bom tom

que ela se transforma numa verdade!

Aplausos do PS.

Sr. Deputado, vou dizer-lhe, outra vez, alto e em bom tom, que o Governo nunca rompeu as negociações

com os sindicatos, nunca foi intransigente!

O Sr. Pedro Alves (PSD): — Não é isso que os sindicatos dizem!

O Sr. Ministro da Educação: — O Governo nunca foi inflexível, agiu sempre de boa-fé e nunca falhou com

a palavra dada. Esta era uma boa história…

O Sr. Pedro Alves (PSD): — Nunca reconheceu os 9 anos, 4 meses e 2 dias!

O Sr. Ministro da Educação: — Sr. Deputado, ou deverei dizer Sr. Deputado Professor Pedro Alves?!

Sr. Deputado, deixe-me dizer-lhe que isto era uma boa história: um Governo que se tem batido pela condição

docente e pela sua valorização, depois de uma intensa desvalorização do Governo anterior, simbólica e material,

ficava agora como o Governo que não se preocupa com os professores. Não é verdade! Não é verdade, Sr.

Deputado!

O Sr. Pedro Alves (PSD): — Não diga isso! Tenha vergonha!

O Sr. Ministro da Educação: — Este Governo preocupa-se com os professores e não é por o Sr. Deputado

o negar muitas vezes que isso passa a ser verdade!

Páginas Relacionadas
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 76 48 Sr.as e Srs. Deputados, este Governo ne
Pág.Página 48
Página 0049:
17 DE ABRIL DE 2019 49 Tudo isso, porque é um Governo de consumo imediato, sem estr
Pág.Página 49