O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 106

22

O Sr. João Gonçalves Pereira (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Começo,

evidentemente, por cumprimentar os peticionários. Relativamente à petição aqui apresentada, a mesma não diz

respeito apenas e só ao concelho de Loures, nem apenas e só ao concelho de Odivelas, diz respeito a Lisboa

e a um conjunto de concelhos da zona oeste.

A questão do metro é central no quadro daquilo que é a Área Metropolitana de Lisboa. São, hoje, aqui

apresentados vários projetos de resolução, alguns dos quais, a saber o do PCP e o do Bloco de Esquerda, diria

que se inspiraram no projeto de resolução apresentado pelo CDS, em 2017.

Aplausos do CDS-PP.

Protestos do BE e do PCP.

O Sr. Heitor de Sousa (BE): — Não há dúvida!…

O Sr. João Gonçalves Pereira (CDS-PP): — É bom lembrar que os senhores votaram contra essa mesma

expansão, contra esse mesmo projeto, que tinha incluída a expansão ao concelho de Loures.

Mas vamos ao caso de Odivelas. O que é que diz o Governo? O que é que diz o metropolitano? Há uma

cadência do metro de 2 em 2 minutos. Ora, todos sabemos que não são 2, nem 3, nem 4 e, em muitos casos,

nem são 5 minutos. O que é que dizem o Governo e o Sr. Ministro? A linha circular vai beneficiar os interesses

de Odivelas. E pergunta-se: com a amputação da Linha Amarela, com os transtornos e os atrasos que serão

muitos e com tempos de espera que vão aumentar, como é que isto pode beneficiar os odivelenses e o concelho

de Odivelas?

Nós já estamos à espera. Quando nós virmos aquelas imagens da estação do metro de Odivelas cheia de

gente, completamente entupida, o que é que o Governo vai dizer? Vai dizer o seguinte: «Escolhem todos ir

trabalhar à mesma hora e por isso é que aquilo está cheio!»

Portanto, Srs. Deputados, este debate impunha e impõe outro rigor. Diz o Governo que tem 200 milhões de

euros disponíveis. Não seria melhor usar esses 200 milhões de euros para expandir o metro até Loures? Não

seriam melhor utilizados na expansão do metro para a zona ocidental da cidade de Lisboa? Não seria melhor

aplicá-los naquilo que é a consolidação da rede do metro na cidade de Lisboa?

A opção deste Governo é outra. O PS criticou, em 2017, a proposta do CDS, proposta, essa, em que o CDS

disse que o Governo não estava a aproveitar fundos comunitários que seriam úteis para essa mesma expansão.

Mas vamos à questão da linha circular. O que é que dizem os estudos? Os estudos falam de problemas

geológicos, risco de movimento de terras, risco de deslizamentos e risco de desmoronamentos. O que é que

isto implica? As populações de Lisboa completamente em pânico com o que será esta mesma obra.

Mas o Governo consegue aqui dois «prémios». Primeiro, consegue ter uma das estações mais profundas do

mundo, 54 metros, isto é, mais 16 metros de profundidade do que a da estação da Baixa-Chiado! Mas, depois,

consegue algo absolutamente fantástico: é que entra no top 5 do quilómetro mais caro do mundo, em termos de

construção de metro!

Por aqui se vê aquilo que é o despesismo socialista! E isto, ao mesmo tempo que, por exemplo, a estação

da Cidade Universitária não está preparada para pessoas com mobilidade reduzida.

O Sr. Presidente (José de Matos Correia): — Tem de terminar, Sr. Deputado.

O Sr. João Gonçalves Pereira (CDS-PP): — Eu diria que temos um andarilho político. Um andarilho político

em que, de um lado, está um Ministro que não esclarece, do outro, está um Presidente da Câmara de Odivelas

que assobia para o lado e, depois, temos um Presidente da Metropolitano que, pura e simplesmente, se

evaporou.

Quem é que dirige este andarilho? Fernando Medina.

Sr. Presidente, não quero prolongar a minha intervenção, mas, para terminar, gostaria de dizer apenas o

seguinte: esta obra não serve ninguém destes mesmos concelhos que não seja uma agenda de especulação

imobiliária.

Páginas Relacionadas
Página 0009:
6 DE JULHO DE 2019 9 de sobrevivência das pessoas afetadas é tanto maior quanto men
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 106 10 Sr.as e Srs. Deputados, para que tenhamos uma
Pág.Página 10