O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 17

54

Temos ainda o Voto n.º 124/XIV/1.ª (apresentado pelo PSD) — De pesar pelo falecimento do ator José

Manuel Lopes, que vai ser lido pela Sr.ª Secretária Ana Mesquita.

A Sr.ª Secretária (Ana Mesquita): — Sr. Presidente, o voto é do seguinte teor:

«José Manuel Lopes nasceu a 31 de março de 1958. Casapiano, frequentou o curso de Antropologia Social,

mas cedo se interessou pelo Teatro, participando como ator em diversas peças, entre elas Os Negros de Jean

Genet e Vida e Morte de Bamba de Lope de Veja.

Esteve presente no Festival Internacional de Teatro de Lovaina, na Bélgica, com a peça Eu, Antonin Artaud

e no Festival Internacional de Teatro de Sitges, em Barcelona, com uma peça encenada por Adolfo Gutkin

dedicada ao mito de Drácula.

José Manuel Lopes colaborou ainda com Luís Miguel Cintra na docência da disciplina de direção de atores

na Escola Superior de Teatro e Cinema do IPL (Instituto Politécnico de Lisboa).

Enquanto ator de cinema, José Manuel Lopes sempre trabalhou em produções independentes: filmes como

Adeus Lisboa, de João Rodrigues, Interrogatório, de Maria Mendes e José Pedroso, ou Longe, de José Oliveira.

José Manuel Lopes, não sendo uma figura muito conhecida para o grande público, era, no entanto, um ator

muito respeitado por todos os que pertencem ao meio teatral e cinematográfico.

Após uma longa carreira no teatro e no cinema independente, José Manuel Lopes, de 61 anos de idade,

lamentavelmente termina os seus dias, só, falecendo na tenda onde vivia.

Assim, reunida em sessão plenária, a Assembleia da República manifesta o seu profundo pesar pelo

falecimento de José Manuel Lopes.

O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, vamos votar.

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

Srs. Deputados, na sequência dos votos de pesar que acabámos de apreciar, vamos guardar 1 minuto de

silêncio.

A Câmara guardou, de pé, 1 minuto de silêncio.

Srs. Deputados, antes de continuarmos as votações, peço que apreciemos um voto que consta da página 6

do guião de votações, mais concretamente o Voto n.º 89/XIV/1.ª (apresentado pelo PAR e subscrito por

Deputados do PS e do PSD) — De saudação à Seleção Nacional de Futebol de Praia pela conquista do

Campeonato do Mundo de Futebol de Praia. Estão presentes vários elementos dessa equipa vencedora e

também o representante da Federação Portuguesa de Futebol, o nosso amigo de há muitos anos, Humberto

Coelho. Para eles, uma saudação.

Aplausos gerais, de pé.

Vamos, pois, proceder à votação do voto que acabou de ser lido.

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

Seguindo a ordem normal do guião, vamos votar o Voto n.º 79/XIV/1.ª (apresentado pelo CH) — De

condenação e pesar pelo impacto negativo que quaisquer ações internacionais possam provocar ao povo

ocupado da Crimeia e à nação soberana da Ucrânia.

Submetido à votação, foi rejeitado, com votos contra do PS, do BE, do PCP, do PAN e do PEV, votos a favor

do PSD, do CDS-PP, do CH e do IL e a abstenção do L.

A Sr.ª Joacine Katar Moreira (L): — Sr. Presidente, peço a palavra.

Páginas Relacionadas
Página 0062:
I SÉRIE — NÚMERO 17 62 O Sr. Presidente: — Fica registado, Sr. Deputa
Pág.Página 62