O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 43

42

pretende usar da palavra antes de ela fazer a intervenção de encerramento. Se a resposta for negativa, não

pode haver perguntas.

O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Exatamente. Está tudo muito claro e, portanto, tem a palavra a

Sr.ª Deputada Paula Santos.

A Sr.ª Paula Santos (PCP): — Muito bem, Sr. Presidente, agradeço a sua atenção.

Neste momento, já de encerramento do debate, gostaríamos ainda de dizer o seguinte: vimos aqui, por parte

do PSD e do CDS, de facto, uma vitimização relativamente a esta discussão, procurando branquear aquilo que

são as suas responsabilidades pela extinção de milhares de freguesias no nosso País contra a vontade das

populações, ignorando, inclusivamente, pronúncias que foram feitas nos órgãos autárquicos,…

O Sr. Carlos Peixoto (PSD): — Falem desta proposta!

A Sr.ª Paula Santos (PCP): — … em que defendiam que a sua freguesia não devia ser extinta e, mesmo

assim, extinguiram-na.

Compreendemos, também, que não queiram discutir esta matéria — em particular o CDS, que fez essa

referência — porque ela relembra o ajuste de contas que quiseram fazer com o regime democrático da nossa

Revolução, afastando os eleitores, as populações, dos seus eleitos. Há inúmeras populações pelo País que nos

dizem que não têm contacto com os eleitos da sua freguesia.

A necessidade e a urgência que está colocada em cima da mesa, por parte das populações, é, de facto,

respeitar as suas posições. Ninguém quer reverter nada a «régua e esquadro», aquilo que se quer, tão somente,

é respeitar a vontade das populações e respeitar as decisões dos órgãos autárquicos.

A proposta que o PCP traz é neste sentido e a questão que está colocada é tão somente esta: o PCP está

disponível para encontrar as soluções; a questão é a de saber o que o PS pretende, se pretende, de facto, ir ao

encontro da reivindicação das populações e resolver este problema…

O Sr. Carlos Peixoto (PSD): — Ah! Assim, está bem!

A Sr.ª Paula Santos (PCP): — … ou se pretende impor um conjunto de imposições que impedem, de facto,

a reversão das freguesias onde essa é a vontade das populações.

Este é o debate e esta é a questão a que é necessário dar resposta para resolver o problema que está

colocado e que, de facto, é um sentimento de perda…

O Sr. André Ventura (CH): — Perda é dos vossos eleitos!

A Sr.ª Paula Santos (PCP): — … no território do nosso País de norte a sul, do litoral ao interior, em que as

populações não se sentem identificadas e pretendem voltar a ter a sua freguesia e contam com o PCP nesta

luta.

O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Para encerrar este debate, tem a palavra, em nome do Governo,

a Sr.ª Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública.

A Sr.ª Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública: — Sr. Presidente, Srs.

Deputados: Para terminar, queria dizer que populismo é reduzir a vontade das populações a uma distribuição

de lugares e, ainda por cima, a uma distribuição de lugares democraticamente eleitos. Aproximar a administração

das populações também é descentralizar — é mesmo, mesmo descentralizar — e aumentar a coesão social e

territorial.

Por isso, não se vislumbra como pode alguém que diz defender a descentralização vir agora entender que a

criação e a aprovação de critérios gerais e abstratos, que permite ir ao encontro da vontade das populações e

criar a presença do Estado junto das mesmas, seja algo que surge apenas por razões populistas, demagógicas

ou eleitorais.

Páginas Relacionadas
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 43 26 aproveitar esta criação de novos recursos próp
Pág.Página 26
Página 0027:
30 DE JANEIRO DE 2021 27 A proposta de lei que vos venho apresentar baseia-se nas c
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 43 28 O Sr. Bruno Dias (PCP): — Exatamente! <
Pág.Página 28
Página 0029:
30 DE JANEIRO DE 2021 29 Foram centenas e centenas os e-mails de cidadãos, os ofíci
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 43 30 Para as eleições autárquicas de 2017, nada se
Pág.Página 30
Página 0031:
30 DE JANEIRO DE 2021 31 O Sr. Pedro Filipe Soares (BE): — Muito bem!
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 43 32 O PSD sempre levou muito a sério o poder local
Pág.Página 32
Página 0033:
30 DE JANEIRO DE 2021 33 A Sr.ª Isaura Morais (PSD): — Foi preciso aguardar pelo pa
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 43 34 política, possa permitir a realização das corr
Pág.Página 34
Página 0035:
30 DE JANEIRO DE 2021 35 que venham a ser entregues na Assembleia da República espe
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 43 36 significativo do número de freguesias, é bom q
Pág.Página 36
Página 0037:
30 DE JANEIRO DE 2021 37 A Sr.ª Palmira Maciel (PS): — Sr.as e Srs. Deputados, em b
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 43 38 O Sr. José Maria Cardoso (BE): — Sr. Pr
Pág.Página 38
Página 0039:
30 DE JANEIRO DE 2021 39 pois não é o que importa, o que importa é o seu conteúdo —
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 43 40 O Sr. Presidente (José Manuel Pureza):
Pág.Página 40
Página 0041:
30 DE JANEIRO DE 2021 41 obviamente, carece agora de uma discussão na Assembleia da
Pág.Página 41
Página 0043:
30 DE JANEIRO DE 2021 43 É por isso, Sr.as e Srs. Deputados, que o Governo, cumprin
Pág.Página 43