O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 50

42

Reconhecemos que começa a haver indícios de uma política mais virada para a ferrovia, que há alguns

avanços importantes, mas é inegável que ainda temos níveis de execução abaixo dos necessários e o caminho

para percorrer tem décadas de atraso.

É por isso que, hoje, apresentamos este projeto e acompanharemos todos os projetos que vão no sentido de

valorizar a Linha do Douro e a região do Norte.

Aplausos do BE.

A Sr.ª Presidente (Edite Estrela): — Para uma intervenção, tem a palavra a Sr.ª Deputada Bebiana Cunha,

do Grupo Parlamentar do PAN.

A Sr.ª Bebiana Cunha (PAN): — Sr.ª Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Antes de mais, gostaríamos de

saudar todos os peticionários e a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial, que, hoje, nos permitem discutir

este tema em Plenário — a Linha do Douro —, que carrega consigo um marco histórico no nosso património

ferroviário e, também, as memórias de um Portugal cuja preservação se pode fazer, também, através das

decisões políticas que se tomam nesta Casa. Hoje, é aquilo que se pretende aqui fazer.

Por isso, o PAN apresenta-se com uma recomendação nesse mesmo sentido. Falamos de uma linha que,

se no passado servia essencialmente para fins comerciais, foi, claramente, ganhando outro sentido e cada vez

mais importância ao nível da mobilidade, do acesso a bens e serviços e do combate ao isolamento das

populações.

O encerramento desta ligação internacional, em 1985, e do lanço entre Pocinho e Barca d’Alva, em 1988,

deram origem a um crescente fosso entre regiões e a um retrocesso no desenvolvimento regional.

O custo da reabertura da Linha do Douro até à fronteira implica um investimento estimado entre 43 milhões

e 163 milhões de euros, sabendo-se que, da parte de Bruxelas, já houve manifestação de interesse em

comparticipar estes mesmos trabalhos, como é por demais evidente, face à importância que a ferrovia assume

nas políticas ambientais, de mobilidade e sociais.

Esta mesma linha recebeu, do lado espanhol, o título de «Bem de Interesse Nacional com Categoria de

Monumento», mas em Portugal, infelizmente, são vários os cenários de abandono e de desleixo político que

resultaram na degradação do património ferroviário do Douro.

Falamos, Sr.as e Srs. Deputados, de 191 km da Linha do Douro que são fundamentais quer para a coesão

territorial, quer para o apoio ao mundo rural, que, evidentemente, não podem ser só conceitos no papel.

A petição que discutimos manifesta a vontade dos cidadãos e das cidadãs, que tem sido repetidamente

expressa ao longo dos últimos anos. Foram, aliás, mais de cinco petições, nos últimos 10 anos, num total de

cerca de 25 000 assinaturas. Não nos parecem ser necessárias mais provas da vontade pública sobre esta

matéria. É mais do que tempo de o Governo encetar esforços na requalificação e reabertura da Linha do Douro.

O PAN acompanha, naturalmente, a vontade pública da recuperação e reabertura desta linha histórica e, por

isso, apresentamos uma proposta de recomendação para a sua requalificação, funcionamento e subsequente

ligação a Salamanca. Pretendemos, precisamente, que o Governo proceda à sua requalificação e à do material

circulante, à concretização da eletrificação integral da linha e que encete esforços junto do Governo espanhol

para a ligação ferroviária a Salamanca.

Tal como temos vindo a defender, é essencial acelerar o Plano Nacional da Ferrovia, que defende a

reabertura com linha eletrificada do troço Pocinho-Barca de Alva, conjugando, dessa forma, a sua reativação

enquanto ligação transfronteiriça. O que lamentamos é que apenas esteja previsto um estudo no Programa de

Investimentos para o ano de 2030. A ferrovia, no nosso País, segue com muitos anos de atraso e quaisquer

estudos devem ser acelerados com vista à sua concretização.

A Sr.ª Presidente (Edite Estrela): — Peço-lhe que conclua, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Bebiana Cunha (PAN): — Vou concluir, Sr.ª Presidente.

É fundamental reforçar o investimento na ferrovia como resposta às alterações climáticas e como medida de

revitalização do interior e da promoção da coesão territorial.

Páginas Relacionadas
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 50 40 sabido, o município também tem procurado promo
Pág.Página 40
Página 0041:
12 DE MARÇO DE 2021 41 restabelecimento da ligação ferroviária internacional e 986/
Pág.Página 41
Página 0043:
12 DE MARÇO DE 2021 43 A Sr.ª Presidente (Edite Estrela): — Para uma intervenção, t
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 50 44 A Sr.ª Presidente (Edite Estrela): — Tem a pal
Pág.Página 44
Página 0045:
12 DE MARÇO DE 2021 45 A Sr.ª Presidente (Edite Estrela): — Peço-lhe que con
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 50 46 Sublinhe-se que o Estado português tem obrigaç
Pág.Página 46
Página 0047:
12 DE MARÇO DE 2021 47 A Sr.ª Isabel Lopes (PSD): — Sr.ª Presidente, Srs. De
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 50 48 à região do Douro, pelas oportunidades para o
Pág.Página 48
Página 0049:
12 DE MARÇO DE 2021 49 O Sr. Nuno Fazenda (PS): — Estou a terminar, Sr.ª Pre
Pág.Página 49