O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 65

8

na Guarda, na instalação da unidade de comando e emergência da GNR (Guarda Nacional Republicana) e no

Centro Nacional de Educação Rodoviária, na Guarda.

Por isso, Sr. Deputado Fernando Ruas, há razões para acreditar que há, na verdade, um tempo novo também

para o interior.

Vozes do PS: — Muito bem!

O Sr. Santinho Pacheco (PS): — O senhor sabe, como todos nós, que é necessário prosseguir essa política para inverter a situação. Mas não é sustentável continuarmos a fazer das portagens o centro das preocupações

nesses territórios.

O Sr. Carlos Peixoto (PSD): — Dá jeito!

O Sr. Santinho Pacheco (PS): — As portagens são a tábua de salvação de quem? São a tábua de salvação do interior ou de alguns políticos?

Finalmente, quanto ao PRR e à coesão territorial, o Sr. Deputado acredita mesmo que as autarquias estão à

margem da execução do PRR? Eu não acredito, porque sei da vontade política deste Governo.

Aplausos do PS.

O Sr. Carlos Peixoto (PSD): — Vá ler!

O Sr. Presidente: — Para responder, tem a palavra o Sr. Deputado Fernando Ruas, do Grupo Parlamentar do PSD.

O Sr. Fernando Ruas (PSD): — Sr. Presidente, gostaria de dizer e de lembrar o Colega Santinho Pacheco que já não sou presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses há sete anos. Limitei-me a citar,

para que não houvesse dúvidas. Se os autarcas não são envolvidos, foi a Associação Nacional de Municípios

Portugueses que o disse.

O Sr. Carlos Peixoto (PSD): — Que fique claro!

O Sr. Fernando Ruas (PSD): — Já agora, gostaria de lembrar-lhe outra coisa. Nas últimas décadas, recebemos 90 000 milhões de euros para o desenvolvimento regional e o que pergunto é o que fizemos com

isso.

O Sr. Carlos Peixoto (PSD): — Exatamente!

O Sr. Fernando Ruas (PSD): — E escusa de me vir dizer, como é habitual, que foi no passado, porque o passado é passado, já foi julgado, e nós estamos é a falar com este Governo, não estamos a falar com mais

ninguém.

Vozes do PSD: — Muito bem!

O Sr. Fernando Ruas (PSD): — Mal de nós se, cada vez que trazemos um problema à colação, o atirássemos para o passado, porque, assim, qualquer dia, estávamos a discutir os Descobrimentos!

Aplausos do PSD.

Protestos do Deputado do PCP João Dias.

Páginas Relacionadas
Página 0009:
14 DE MAIO DE 2021 9 Quando se é eleito, tem de se responsabilizar por aquilo que f
Pág.Página 9