O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

27 DE MAIO DE 2021

17

Sr. Deputado, a única coisa que soube dizer, relativamente a esta gente, foi que são muçulmanos imigrantes

e que são um perigo para as nossas mulheres.

O Sr. Deputado não traz nenhum contributo para resolver o problema em concreto, limita-se a humilhar gente

que trabalha e que procura melhores condições de vida.

Aplausos do BE.

Sr.ª Deputada Inês de Sousa Real, o Bloco de Esquerda acompanha a necessidade de suspender a

instalação de culturas intensivas, não só as estufas no Sudoeste Alentejano mas também o olival e o amendoal

superintensivo, que necessitam de ser suspensas, devendo ser criadas regras concretas para as travar, neste

momento, e regulamentar algumas das suas atividades, para o que o Bloco de Esquerda também tem, neste

momento, projetos em espera para serem debatidos e votados aqui.

Aplausos do BE.

O Sr. Presidente (Fernando Negrão): — Entramos, agora, na fase das intervenções. Começo por dar a palavra, para uma intervenção, à Sr.ª Deputada Inês de Sousa Real, do PAN.

A Sr.ª Inês de Sousa Real (PAN): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Começamos por saudar não apenas o Bloco de Esquerda mas as demais forças políticas, não só por terem trazido, hoje, este tema à

Assembleia da República mas também as diferentes propostas que nos permitem um debate em torno de uma

problemática de que, como ficou bem claro e patente, o caso de Odemira é apenas uma amostra da realidade

que temos, não sendo exclusivos da região os problemas relativamente aos migrantes, à habitação ou aos

trabalhadores agrícolas. Infelizmente, são problemas estruturais, demonstrativos de diversas situações que têm

ocorrido um pouco por todo o País.

Um desses problemas é, sem sombra de dúvida, o trabalho forçado e outras formas de exploração laboral,

problemas para os quais o PAN há muito tem vindo a alertar e que hoje se discutem na Assembleia da República.

Este problema, apesar de agora ter despertado maior interesse, não é, de todo, novo e o reforço dos

mecanismos de combate ao trabalho forçado e à exploração laboral são absolutamente essenciais para o

colmatar. Foi precisamente por isso que o PAN garantiu neste Orçamento do Estado o reforço dos meios afetos,

neste caso, ao antigo SEF e à Polícia Judiciária, precisamente para fiscalizarem e garantirem uma maior

fiscalização no combate ao tráfico de seres humanos.

Acresce que os processos de integração não podem continuar a esbarrar numa muralha de burocracia. Este

é também um problema que tem de ser resolvido a montante porque estas pessoas, quando ficam expostas a

uma malha burocrática que prolonga no tempo, demasiadamente, a sua situação de regularização ou até mesmo

a sua integração, ficam sujeitas, como bem sabemos, a situações de precariedade ou de fragilidade social e até

humanitária.

A iniciativa legislativa trazida pelo Bloco de Esquerda pretende reforçar a responsabilização de toda a cadeia

de contratação e de subcontratação utilizada nas explorações agrícolas, muitas vezes com recurso à Empresa

na Hora, com sociedades tituladas por falsos empresários que funcionam como meros testas-de-ferro.

Porém, parece-nos que este problema tem de ser resolvido a montante e, nesse sentido, acompanhamos

também a preocupação trazida pelo PEV relativa ao reforço dos meios da ACT. Pensamos que devem ser

criados mecanismos que incentivem a contratação direta, nomeadamente através de bolsas de emprego que

envolvam o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional), pois parece-nos existir um problema de fundo

que vai muito mais além e que não se resolve apenas com a penalização e a responsabilização, mas sim, por

exemplo, através da acreditação destas empresas como forma de controlo prévio e, necessariamente, através

do reforço dos meios da ACT e dos inspetores, designadamente da Polícia Judiciária.

Não posso deixar de referir que o PAN deu entrada de um projeto de lei que estabelece as medidas urgentes

a adotar para a atualização e cumprimento do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano

e Costa Vicentina, prevendo a suspensão imediata e provisória de novas instalações agrícolas intensivas ou

superintensivas no Parque Natural. Por vezes, é preciso assumir que temos de dar um passo atrás e respirar. E

Páginas Relacionadas
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 70 4 A Sr.ª Secretária (Maria da Luz Rosinha): — Sr.
Pág.Página 4
Página 0005:
27 DE MAIO DE 2021 5 Odemira e as várias «Odemiras» do País são o retrato de um mod
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 70 6 A estes bloqueios somam-se dificuldades processuais. A
Pág.Página 6
Página 0007:
27 DE MAIO DE 2021 7 Aprovámos e instituímos mecanismos judiciais e instrumentos ju
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 70 8 O Bloco de Esquerda apresenta este projeto de lei, em
Pág.Página 8
Página 0009:
27 DE MAIO DE 2021 9 O Sr. José Moura Soeiro (BE): — Havia um inspetor do tr
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 70 10 A realidade da precariedade, da arbitrariedade e da v
Pág.Página 10
Página 0011:
27 DE MAIO DE 2021 11 Se foram, assim, dados passos relevantes na seletividade e fo
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 70 12 O Sr. José Moura Soeiro (BE): — Eles é que exp
Pág.Página 12
Página 0013:
27 DE MAIO DE 2021 13 A Sr.ª Diana Ferreira (PCP): — Mais, Sr.ª Deputada, o PSD e o
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 70 14 substancialmente, nem contratos a prazo, nem contrato
Pág.Página 14
Página 0015:
27 DE MAIO DE 2021 15 Vicentina. E depois da destruição que ali está, o que é que l
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 70 16 permitiriam termos uma outra natureza e uma outra tem
Pág.Página 16
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 70 18 é isso mesmo que temos de fazer agora: voltar atrás,
Pág.Página 18
Página 0019:
27 DE MAIO DE 2021 19 Foi por isso que, também em 2017, pela mão do Partido Sociali
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 70 20 superou largamente a média de cerca de 300 pedidos se
Pág.Página 20
Página 0021:
27 DE MAIO DE 2021 21 A Sr.ª Fernanda Velez (PSD): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. D
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 70 22 A Sr.ª Constança Urbano de Sousa (PS): — Portanto, en
Pág.Página 22
Página 0023:
27 DE MAIO DE 2021 23 O Sr. Presidente (Fernando Negrão): — Para uma interve
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 70 24 Sabemos também que os proprietários não alteraram as
Pág.Página 24
Página 0025:
27 DE MAIO DE 2021 25 … em vez de se preocuparem com a falta de atuação do Governo,
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 70 26 O Sr. Jorge Costa (BE): — Nota-se! A S
Pág.Página 26
Página 0027:
27 DE MAIO DE 2021 27 Odemira, para perceber qual é a realidade daquelas estufas. D
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 70 28 A Sr.ª Emília Cerqueira (PSD): — Anda distraído!
Pág.Página 28
Página 0029:
27 DE MAIO DE 2021 29 Aplausos do PS. O Sr. Presidente (Fernando Negr
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 70 30 Como sabe, estamos ambos na Comissão de Agricu
Pág.Página 30
Página 0031:
27 DE MAIO DE 2021 31 O Sr. Presidente (Fernando Negrão): — Para uma intervenção, t
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 70 32 entanto, estas operações revelam-se insuficientes par
Pág.Página 32
Página 0033:
27 DE MAIO DE 2021 33 Mais: combatemos o défice de qualificação dos portugueses com
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 70 34 a falar de matérias laborais, estamos a falar de expl
Pág.Página 34
Página 0035:
27 DE MAIO DE 2021 35 obrigatório, em junho de 2014, em conjunto com 50 Estados-Mem
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 70 36 aqui teve: o problema não é o fazendeiro, o problema
Pág.Página 36
Página 0037:
27 DE MAIO DE 2021 37 Para terminar, o Governo primou pela sua ausência no debate.
Pág.Página 37