O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

23 DE OUTUBRO DE 2021

47

O Sr. Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado João Cotrim de Figueiredo, do Iniciativa Liberal.

O Sr. João Cotrim de Figueiredo (IL): — Sr. Presidente, este voto de solidariedade que o Sr. Presidente, em boa hora, resolveu apresentar permite-nos, a propósito desta Jornada de Memória e Esperança, afirmar,

de uma forma clara e inequívoca, a nossa homenagem às vítimas da COVID-19, a nossa solidariedade com

todos aqueles que foram afetados e o nosso reconhecimento pelo esforço dos profissionais de saúde, que

tanto nos ajudaram nesta fase difícil e continuam, ainda, a ajudar.

Mas o facto de se tratar de uma jornada de memória também me permite dizer que não vamos esquecer as

vítimas futuras dos atrasos de consultas, de exames, de cirurgias. Não vamos esquecer os alunos cuja

aprendizagem, cuja socialização, cuja saúde mental foi gravemente afetada por esta pandemia. Não vamos

esquecer as grávidas que foram impedidas de ser acompanhadas no seu processo de gravidez. Não vamos

esquecer todos os portugueses que, todos os dias, continuam a ser confrontados com a deficiente resposta do

SNS (Serviço Nacional de Saúde) pelo caos que se verifica em várias unidades hospitalares.

Por se tratar de uma jornada de esperança, gostaria de dizer a todos os portugueses que a verdadeira

fonte de esperança é não confundirmos estes momentos de homenagem, de reconhecimento e de

solidariedade com um branqueamento dos verdadeiros problemas que, no futuro, poderão levar, mais uma

vez, a que os portugueses não tenham, nos serviços públicos, a resposta de que efetivamente precisam.

Para esse momento de esperança e para essas respostas, poderão sempre contar com o Iniciativa Liberal.

O Sr. Presidente: — Tem a palavra a Sr.ª Deputada Mariana Silva, de Os Verdes.

A Sr.ª Mariana Silva (PEV): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Relativamente ao voto de solidariedade pela Jornada de Memória e Esperança, que decorrerá nos próximos dias 22 e 24 de outubro, Os

Verdes, além de se associarem e de saudarem os seus promotores, gostariam de deixar algumas reflexões.

Os dias de desconhecimento, de medo, de isolamento parecem-nos já bem distantes. Na memória, ficam

esses tempos de receios, mas ficam, sobretudo, os momentos de coragem daqueles que continuaram a

trabalhar para garantir as necessidades do nosso dia a dia. Na memória fica, sobretudo, o valor inestimável do

Serviço Nacional de Saúde, o empenho dos profissionais de saúde que se entregaram para que muitos

sobrevivessem a um vírus desconhecido. Na memória, ficam as incertezas sentidas na resposta rápida que a

ciência nos deu e na coragem com que a população respondeu a esta chamada.

Que bom seria que todas as pessoas do mundo tivessem acesso à vacinação, porque ninguém escapou ao

vírus! Os valores comerciais e capitalistas falam mais alto e, por isso, a vacinação será mais lenta em várias

partes do mundo, como se estes seres humanos fossem filhos de um deus menor.

Infelizmente, as promessas de mudança de comportamentos, de maior solidariedade, de uma maior

preocupação com o outro e com o planeta rapidamente se desvaneceram. É o que se observa quando

continuamos a ter idosos isolados e com medo, quando, ainda hoje, não temos as condições necessárias para

apoiar e prevenir a doença mental, quando as crianças e jovens ainda não têm as condições necessárias de

acesso ao desporto, à mobilidade, à saúde e à cultura.

Para o futuro, fica a certeza de que é necessário investir mais nos serviços públicos e reconhecer o papel

dos investigadores e dos técnicos. Fica a certeza de que a saúde pública não pode ser descurada, de que a

saúde mental precisa de deixar de ser o parente pobre, de que a escola pública precisa de ser melhorada e de

que é primordial proteger o ambiente e a natureza para que futuras pandemias possam ser prevenidas.

Para o futuro, mantemos a luta por melhores condições de vida como homenagem a todos os que

morreram com ou de COVID-19 e por todos os que perderam a vida por não terem sido assistidos, nas suas

doenças crónicas ou nas doenças que surgiram, durante estes meses difíceis.

Não podemos esquecer o passado, precisamos de aprender com ele e é urgente que se olhe para o futuro

com a esperança de que é possível.

Aplausos do PEV e do PCP.

O Sr. Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado André Ventura, do Chega.

Páginas Relacionadas
Página 0045:
23 DE OUTUBRO DE 2021 45 A Assembleia da República, reunida em sessão plenária, con
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 15 46 vencer e as lições e os ensinamentos que a experiênci
Pág.Página 46
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 15 48 O Sr. André Ventura (CH): — Sr. Presidente, gostaria
Pág.Página 48
Página 0049:
23 DE OUTUBRO DE 2021 49 E não esquecer é não deixar que tudo fique na mesma, não d
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 15 50 Queremos também deixar uma palavra de esperança a tod
Pág.Página 50
Página 0051:
23 DE OUTUBRO DE 2021 51 francamente mal. Não vale a pena escamoteá-lo hoje, se que
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 15 52 A Sr.ª Joacine Katar Moreira (N insc.): — Sr. Preside
Pág.Página 52