O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 21

40

No plano da arquitetura, queremos destacar não só a obra realizada, mas também a grande qualidade dos

seus projetos paisagísticos, de que são exemplo os jardins da Fundação Calouste Gulbenkian, obra que

marca uma geração.

No ordenamento do território e no ambiente, destacamos a criação da REN e da RAN, a Reserva Ecológica

Nacional e a Reserva Agrícola Nacional. São instrumentos de ordenamento do território, hoje em vigor,

fundamentais para o planeamento e para a proteção das áreas de maior valor ecológico e agrícola. A REN e a

RAN assumiram uma enorme importância para a proteção do património natural e para a proteção do

interesse público.

A proteção e a conservação das áreas naturais e dos solos agrícolas é de grande valor no presente, mas é,

também, de grande importância para a salvaguarda do interesse das gerações vindouras.

Salientamos, ainda, a intervenção de Gonçalo Ribeiro Telles, quando chamou a atenção para os perigos da

agricultura intensiva, para os seus impactos no território e na biodiversidade, e quando chamou a atenção para

o perigo da monocultura na floresta, em detrimento de um ordenamento florestal em mosaico.

Independentemente do seu percurso político, hoje, aqui, salientamos o seu conhecido e reconhecido

percurso, enquanto arquiteto paisagista, na área do ambiente e do ordenamento do território.

Aplausos do PCP e do Deputado do PS Bruno Aragão.

O Sr. Presidente: — Segue-se, no uso da palavra, o Sr. Deputado Rodrigo Saraiva, do IL. Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. Rodrigo Saraiva (IL): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Gonçalo Ribeiro Telles foi e será sempre uma figura maior da história de Portugal. A forma e o tempo em que conjugou o indivíduo e a natureza

colocam-no como um visionário e humanista.

O seu percurso de vida deixou várias pegadas, que nos devem, a todos, orgulhar: na arquitetura, seja ela

pública ou privada, em especial na arquitetura paisagística, como é natural; na política, seja no tempo do

combate à ditadura, seja o muito que construiu já na democracia; no poder legislativo, no poder executivo e

também no poder local.

Deixou, também, uma pegada académica, quer como discípulo, quer como mestre.

Portanto, pelos seus legados e pela sua memória, merece o nosso eterno respeito e admiração.

Aplausos do IL e do Deputado do PS Bruno Aragão.

O Sr. Presidente: — Segue-se, no uso da palavra, o Sr. Deputado Pedro Frazão, em nome do Chega. Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. Pedro dos SantosFrazão (CH): — Sr. Presidente, Srs. Deputados: O partido Chega honra a memória do Sr. Arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles, um homem conservador, que foi o maior ambientalista

português do século XX, muitas vezes apontado como o «pai» da ecologia em Portugal.

Morreu aos 98 anos e para sempre será lembrado pela direita portuguesa conservadora: lembrado por ser

um ambientalista quando mais ninguém se perfilava nesse campo.

Foi o defensor da reconciliação entre o mundo rural e a cidade, sem a imposição desta sobre os

agricultores, e com absoluto respeito pelas boas práticas e pelas tradições culturais portuguesas,

nomeadamente a tradição da tauromaquia, sendo primo direito do mestre David Ribeiro Telles, que

acompanhava muitas vezes nas corridas em que atuavam os cavaleiros da família Ribeiro Telles.

Gonçalo Ribeiro Telles iniciou a sua intervenção pública como membro da Juventude Agrária e Rural

Católica, estrutura juvenil ligada à Ação Católica Portuguesa.

Fundou o Movimento dos Monárquicos Independentes, a que se seguiria o Movimento dos Monárquicos

Populares.

Enquanto Deputado à Assembleia da República, teve responsabilidades nas propostas da lei de bases do

ambiente, da lei da caça e da lei do impacte ambiental.

Páginas Relacionadas
Página 0035:
4 DE JUNHO DE 2022 35 investigação europeus, coordenando o Grupo de Genética do Can
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 21 36 Nos alvores da democracia portuguesa, João Gomes Alve
Pág.Página 36