O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1059 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002

 

Capítulo X
Disposições finais

Artigo 41.º
Norma revogatória

1 - Considera-se revogada a Lei n.º 19-A/96, de 29 de Junho, o Decreto-Lei n.º 196/97, de 31 de Julho, e o Decreto-Lei n.º 84/2000, de 11 de Maio.
2 - As disposições do Decreto-Lei n.º 196/97, de 31 de Julho, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 84/2000, de 11 de Maio, que não contrariem a presente lei, mantêm-se em vigor até à data de entrada em vigor da respectiva regulamentação.

Artigo 42.º
Regulamentação

A regulamentação da presente lei deverá ser efectuada por decreto-lei num prazo máximo de 60 dias após a sua entrada em vigor.

Artigo 43.º
Entrada em vigor

A presente lei entra em vigor 30 dias após a sua publicação.

Aprovado em 26 de Setembro de 2002. - O Presidente da Assembleia da República, João Bosco Mota Amaral.

PROPOSTA DE LEI N.º 20/IX
(APROVA AS BASES GERAIS DO SISTEMA DE SEGURANÇA SOCIAL)

Redacção final do texto que aprova as bases da segurança social elaborado pela Comissão de Trabalho e dos Assuntos Sociais

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, para valer como lei geral da República, o seguinte:

Capítulo I
Objectivos e princípios

Artigo 1.º
Disposição geral

A presente lei define, nos termos previstos na Constituição da República Portuguesa, as bases gerais em que assenta o sistema de segurança social, adiante designado por sistema, bem como as atribuições prosseguidas pelas instituições de segurança social e a articulação com entidades particulares de fins análogos.

Artigo 2.º
Direito à segurança social

1 - Todos têm direito à segurança social.
2 - O direito à segurança social é efectivado pelo sistema e exercido nos termos estabelecidos na Constituição, nos instrumentos internacionais aplicáveis e na presente lei.

Artigo 3.º
Irrenunciabilidade do direito à segurança social

São nulas as cláusulas do contrato, individual ou colectivo, pelo qual se renuncie aos direitos conferidos pela presente lei.

Artigo 4.º
Objectivos do sistema

O sistema de segurança social visa prosseguir os seguintes objectivos:

a) Garantir a concretização do direito à segurança social;
b) Promover a melhoria das condições e dos níveis de protecção social e o reforço da respectiva equidade;
c) Proteger os trabalhadores e as suas famílias nas situações de falta ou diminuição de capacidade para o trabalho, de desemprego e de morte;
d) Proteger as pessoas que se encontrem em situação de falta ou diminuição de meios de subsistência;
e) Proteger as famílias através da compensação de encargos familiares;
f) Promover a eficácia social dos regimes prestacionais e a qualidade da sua gestão, bem como a eficiência e sustentabilidade financeira do sistema.

Artigo 5.º
Composição do sistema

1 - O sistema de segurança social abrange o sistema público de segurança social, o sistema de acção social e o sistema complementar.
2 - O sistema público de segurança social compreende o subsistema previdencial, o subsistema de solidariedade e o subsistema de protecção familiar.
3 - O sistema de acção social é desenvolvido por instituições públicas, designadamente pelas autarquias, e por instituições particulares sem fins lucrativos.
4 - O sistema complementar compreende regimes legais, regimes contratuais e esquemas facultativos.

Artigo 6.º
Princípios gerais

Constituem princípios gerais do sistema o princípio da universalidade, da igualdade, da solidariedade, da equidade social, da diferenciação positiva, da subsidiariedade social, da inserção social, da coesão geracional, do primado da responsabilidade pública, da complementaridade, da unidade, da descentralização, da participação, da eficácia, da conservação dos direitos adquiridos e em formação, da garantia judiciária, e da informação.

Artigo 7.º
Princípio da universalidade

O princípio da universalidade consiste no acesso de todas as pessoas à protecção social assegurada pelo sistema, nos termos definidos por lei.

Artigo 8.º
Princípio da igualdade

O princípio da igualdade consiste na não discriminação dos beneficiários, designadamente em razão do sexo e da

Páginas Relacionadas
Página 1060:
1060 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   nacionalidade, sem p
Pág.Página 1060
Página 1061:
1061 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   o objectivo de ser g
Pág.Página 1061
Página 1062:
1062 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   2 - A diversidade da
Pág.Página 1062
Página 1063:
1063 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   Artigo 40.º Quad
Pág.Página 1063
Página 1064:
1064 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   2 - São nulas as clá
Pág.Página 1064
Página 1065:
1065 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   c) Complementos soci
Pág.Página 1065
Página 1066:
1066 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   fiscal, garantindo o
Pág.Página 1066
Página 1067:
1067 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   Artigo 80.º Revo
Pág.Página 1067
Página 1068:
1068 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   das entidades com ma
Pág.Página 1068
Página 1069:
1069 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   Artigo 99.º Port
Pág.Página 1069
Página 1070:
1070 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   Artigo 109.º Pri
Pág.Página 1070
Página 1071:
1071 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   2 - Será criada, no
Pág.Página 1071
Página 1072:
1072 | II Série A - Número 035 | 25 de Outubro de 2002   Artigo 125.º Reg
Pág.Página 1072