O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

86 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007

a) Nos locais a que se referem as alíneas a), d), e), f), g), h) e r) do n.º 1 do artigo 4.º e nas instalações referidas na alínea m) do mesmo artigo; b) Através de máquinas de venda automática, sempre que estas não reúnam cumulativamente os seguintes requisitos:

i) Estejam munidas de um dispositivo electrónico ou outro sistema bloqueador que impeça o seu acesso a menores de 18 anos; ii) Estejam localizadas no interior do estabelecimento comercial, de forma a serem visualizadas pelo responsável do estabelecimento, não podendo ser colocadas nas respectivas zonas de acesso, escadas ou zonas similares e nos corredores de centros comerciais e grandes superfícies comerciais;

c) A menores com idade inferior a 18 anos, a comprovar, quando necessário, por qualquer documento identificativo com fotografia; d) Através de meios de televenda.

2 — A proibição referida na alínea c) do número anterior deve constar de aviso impresso em caracteres facilmente legíveis, sobre fundo contrastante, e afixado de forma visível nos locais de venda dos produtos de tabaco. 3 — É proibida a comercialização de embalagens promocionais ou a preço reduzido.

Capítulo VI Publicidade, promoção e patrocínio de tabaco e de produtos de tabaco

Artigo 16.º Publicidade e promoção

1 — São proibidas todas as formas de publicidade e promoção ao tabaco e aos produtos do tabaco, incluindo a publicidade oculta, dissimulada e subliminar, através de suportes publicitários nacionais ou com sede em Portugal, incluindo os serviços da sociedade de informação, salvo o disposto nos n.os 3, 4 e 7.
2 — É proibida a publicidade ao tabaco, ou ao seu uso, em máquinas de venda automática.
3 — O disposto no n.º 1 não é aplicável à informação comercial circunscrita às indicações de preço, marca e origem exibida exclusivamente no interior dos estabelecimentos que vendam produtos do tabaco, desde que esta não seja visível no exterior dos estabelecimentos, designadamente nas respectivas montras.
4 — A publicidade na imprensa e noutros meios de comunicação impressos só é permitida em publicações destinadas exclusivamente aos profissionais do comércio do tabaco ou em publicações impressas e editadas em países terceiros, desde que não se destinem principalmente ao mercado comunitário.
5 — É proibida a distribuição gratuita ou a venda promocional de produtos do tabaco ou de quaisquer bens de consumo, que visem, ou tenham por efeito directo ou indirecto, a promoção desses produtos do tabaco.
6 — É proibida a distribuição de brindes, atribuição de prémios ou a realização de concursos, ainda que exclusivamente destinados a fumadores, por parte de empresas directa ou indirectamente relacionadas com o fabrico, a distribuição ou a venda de produtos do tabaco.
7 — É apenas admitida a promoção de produtos de tabaco quando esta se destine exclusivamente aos profissionais do comércio do tabaco e seja realizada fora do âmbito da actividade de venda ao público.
8 — É proibida a introdução de cupões ou outros elementos estranhos nas embalagens e sobre embalagens de produtos do tabaco, ou entre estas e aquelas, para além do próprio produto do tabaco e respectiva rotulagem.
9 — É proibida a promoção de vendas e a introdução no consumo de embalagens miniatura de marcas já comercializadas ou a comercializar.

Artigo 17.º Publicidade em objectos de consumo

1 — Em acções publicitárias, é proibido colocar nomes, marcas ou emblemas de um produto do tabaco em objectos de consumo que não os próprios produtos do tabaco.
2 — É proibido o fabrico e a comercialização de jogos, brinquedos, jogos de vídeo, alimentos ou guloseimas com a forma de produtos do tabaco, ou com logótipos de marcas de tabaco.

Artigo 18.º Patrocínio

1 — É proibida qualquer forma de contributo público ou privado, nomeadamente por parte de empresas cuja actividade seja o fabrico, a distribuição ou a venda de produtos do tabaco, destinado a um evento, uma

Páginas Relacionadas
Página 0043:
43 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Artigo 8.° Entrada em vigor O pres
Pág.Página 43
Página 0044:
44 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Quanto às medidas de coacção destaca-se:
Pág.Página 44
Página 0045:
45 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 b) (…) c) (…) d) (…) e) (…) f) Vítima: t
Pág.Página 45
Página 0046:
46 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 2 — Se os vários processos se encontrare
Pág.Página 46
Página 0047:
47 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 processo para julgamento na forma do pro
Pág.Página 47
Página 0048:
48 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 3 — (…) 4 — (…) Artigo 63.º (…) 1
Pág.Página 48
Página 0049:
49 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Estado, das regiões autónomas e das auta
Pág.Página 49
Página 0050:
50 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 2 — (…) a) (…) b) (…) c) A publica
Pág.Página 50
Página 0051:
51 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 b) (…) c) Os actos processuais relativos
Pág.Página 51
Página 0052:
52 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 justificado, podem ser apresentados até
Pág.Página 52
Página 0053:
53 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Artigo 154.º (…) 1 — A perícia é o
Pág.Página 53
Página 0054:
54 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 b) Está em causa crime punível com pena
Pág.Página 54
Página 0055:
55 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 8 — O acesso aos autos de transcrição é
Pág.Página 55
Página 0056:
56 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 b) (…) c) (…) d) (…) e) Não ter em seu p
Pág.Página 56
Página 0057:
57 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 o requerimento do arguido manifestamente
Pág.Página 57
Página 0058:
58 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Artigo 218.º (…) 1 — (…) 2 — À med
Pág.Página 58
Página 0059:
59 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 3 — (…) 4 — (…) 5 — (…) 6 — (…) 7 — (…)
Pág.Página 59
Página 0060:
60 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 2 — (…) Artigo 270.º (…) 1 —
Pág.Página 60
Página 0061:
61 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Artigo 276.º (…) 1 — (…) 2 — (…) 3
Pág.Página 61
Página 0062:
62 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 concordância do juiz, pela suspensão do
Pág.Página 62
Página 0063:
63 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 requerimento, um prazo para preparação d
Pág.Página 63
Página 0064:
64 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Artigo 356.º (…) 1 — Só é permitid
Pág.Página 64
Página 0065:
65 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 a) (…) b) (…) c) (…) 2 — (…)
Pág.Página 65
Página 0066:
66 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 2 — Quando o arguido detido em flagrante
Pág.Página 66
Página 0067:
67 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 2 — Se a detenção ocorrer fora do horári
Pág.Página 67
Página 0068:
68 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 Artigo 411.º (…) 1 — (…) 2 — (…) 3
Pág.Página 68
Página 0069:
69 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 3 — Se não for possível lavrar imediatam
Pág.Página 69
Página 0070:
70 | II Série A - Número: 052 | 9 de Março de 2007 3 — A sentença a que se refere o número
Pág.Página 70