O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

39 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007

e) As linhas gerais da política de recursos humanos, nomeadamente quanto aos planos de recrutamento, formação e qualificação profissional.

5 — Para efeito de graduação das candidaturas a concurso e tratando-se de serviços de programas televisivos temáticos ou de âmbito regional ou local são tomados em conta, quando aplicáveis, os critérios referidos no número anterior.
6 — O regulamento densifica os critérios de graduação das candidaturas a concurso previstos nos n.os 4 e 5 e atribui a cada um deles uma ponderação relativa.
7 — O regulamento fixa o valor da caução e o respectivo regime de liberação segundo princípios de adequação e proporcionalidade face ao cumprimento das obrigações que visa salvaguardar, tendo em conta as tipologias e o âmbito territorial dos serviços de programas televisivos a licenciar.
8 — O caderno de encargos, que contém as obrigações e as condições do exercício da actividade, deve estar patente desde a data da publicação da portaria de abertura do concurso até ao dia e hora de abertura do acto público correspondente, nos termos nela definidos.
9 — A Entidade Reguladora para a Comunicação Social pronuncia-se prévia e obrigatoriamente sobre o objecto do concurso, respectivo regulamento e caderno de encargos no prazo de 20 dias úteis após a sua recepção.
10 — Decorrido o prazo referido no número anterior, o projecto de regulamento é submetido, por um período de 30 dias, a apreciação pública, sendo para o efeito publicado na II Série do Diário da República e no sítio electrónico do departamento governamental responsável.

Artigo 16.º Concurso público para serviços de programas de acesso não condicionado com assinatura e condicionado

1 — O concurso público para a atribuição de direitos de utilização de frequências e de licenciamento para a actividade de televisão que consista na selecção e agregação de serviços de programas de acesso não condicionado com assinatura ou condicionado é aberto por portaria conjunta dos membros do Governo responsáveis pelas áreas da comunicação social e das comunicações electrónicas, a qual deve conter o respectivo objecto e regulamento.
2 — As exigências quanto à área de cobertura e à tipologia dos serviços de programas a disponibilizar devem obter expresso fundamento no texto do regulamento, tendo em conta os princípios da gestão óptima do espectro radioeléctrico e do interesse público que visam salvaguardar.
3 — O regulamento identifica as condições de admissão das candidaturas, incluindo a documentação que as deve acompanhar, as quais devem incidir, nomeadamente, sobre a viabilidade económica e financeira dos projectos, as obrigações de cobertura e o respectivo faseamento e a conformidade dos candidatos e dos projectos ao objecto do concurso e às exigências legais sectoriais, não podendo ser admitidos os candidatos que não tenham a sua situação fiscal regularizada ou que apresentem dívidas à segurança social.
4 — Constituem critérios de graduação das candidaturas a concurso, a ponderar conjuntamente, de acordo com as respectivas competências, pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social e pela Autoridade Reguladora Nacional para as Comunicações:

a) Os custos económicos e financeiros associados aos projectos; b) O contributo dos projectos para o desenvolvimento da sociedade da informação, para a produção de obras europeias e para a difusão de obras criativas de produção originária em língua portuguesa.

5 — O regulamento densifica os critérios de graduação das candidaturas a concurso previstos no número anterior e atribui a cada um deles uma ponderação relativa.
6 — O regulamento fixa o valor da caução e o respectivo regime de liberação segundo princípios de adequação e proporcionalidade face ao cumprimento das obrigações que visa salvaguardar.
7 — O caderno de encargos, que contém as obrigações e as condições do exercício da actividade, deve estar patente desde a data da publicação da portaria de abertura do concurso até ao dia e hora de abertura do acto público correspondente, nos termos nela definidos.
8 — A Entidade Reguladora para a Comunicação Social e a Autoridade Reguladora Nacional das Comunicações pronunciam-se prévia e obrigatoriamente sobre o objecto do concurso, respectivo regulamento e caderno de encargos no prazo de 20 dias úteis após a sua recepção.
9 — Decorrido o prazo referido no número anterior, o projecto de regulamento é submetido, por um período de 30 dias, a apreciação pública, sendo para o efeito publicado na II Série do Diário da República e no sítio electrónico dos departamentos governamentais responsáveis.

Artigo 17.º Instrução dos processos

1 — Os processos de licenciamento ou de autorização referidos na alínea a) do n.º 1 e no n.º 4 do artigo 13.º são instruídos pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social, que promove para o efeito a recolha

Páginas Relacionadas
Página 0005:
5 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 PROJECTO DE LEI N.º 237/X (ALTERA O CÓDI
Pág.Página 5
Página 0006:
6 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 Pela sua relevância, destacam-se as segu
Pág.Página 6
Página 0007:
7 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 Escutas: t) O regime de intercepçã
Pág.Página 7
Página 0008:
8 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 kk) Para clarificar o regime de interven
Pág.Página 8
Página 0009:
9 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 Recursos: bbb) Para restringir o r
Pág.Página 9
Página 0010:
10 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 Conforme se refere na respectiva exposi
Pág.Página 10
Página 0011:
11 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 — Reforço do controlo do juiz relativam
Pág.Página 11
Página 0012:
12 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 Por último, o projecto de lei do PSD ad
Pág.Página 12
Página 0013:
13 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 menores, assim se permitindo a intercep
Pág.Página 13
Página 0014:
14 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 O escopo essencial das alterações propo
Pág.Página 14
Página 0015:
15 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 — A sujeição da medida de coacção de ob
Pág.Página 15
Página 0016:
16 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 4 — Enquadramento constitucional
Pág.Página 16
Página 0017:
17 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 Na IX Legislatura: — Projecto de lei n.
Pág.Página 17
Página 0018:
18 | II Série A - Número: 055 | 16 de Março de 2007 Face ao exposto a Comissão de Assuntos
Pág.Página 18