O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

140 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009

Artigo 49.º Permissões em zonas com servidão non aedificandi

Podem ser autorizadas pela Administração Rodoviária, na faixa com Servidão Non Aedificandi:

a) Edificações a construir dentro dos aglomerados urbanos ou localidades, quando para os mesmos existam planos de urbanização ou de pormenor, ou planos de alinhamento e com estes conformes; b) Edificações ao longo das estradas, nos troços que constituam ruas de aglomerados urbanos, identificados com sinais de identificação de localidade, desde que salvaguardadas as normais condições de circulação e segurança rodoviária, mediante licença da câmara municipal respectiva, no caso de inexistência dos instrumentos de gestão territorial previstos na alínea anterior; c) Obras de reconstrução, ampliação, alteração e conservação de edifícios, instalações industriais ou comerciais existentes na faixa com servidão non aedificandi à data de entrada em vigor do presente Estatuto, ou que com a construção da estrada fiquem situados nessa faixa e, desde que:

i)Não resulte da execução das obras inconvenientes para a visibilidade na estrada; ii) Não se trate de obras de reconstrução geral; iii) Não haja ampliação da área de implantação da edificação; iv) Não haja alteração do uso do edifício; v) Os proprietários se obrigarem a não exigir indemnizações, no caso de futura expropriação, pelo aumento do valor que dessas obras resultar para o prédio.

Artigo 50.º Publicidade fora dos aglomerados urbanos e das localidades

1 — É proibida a afixação ou inscrição de publicidade fora dos aglomerados urbanos e localidades desde que a mesma seja visível das estradas da Rede Rodoviária Nacional.
2 — A proibição referida no número anterior abrange a instalação dos respectivos suportes ou materiais publicitários.
3 — A proibição referida nos números anteriores não abrange:

a) Os meios de publicidade que se destinam a identificar edifícios ou estabelecimentos, públicos ou particulares, desde que sejam afixados ou inscritos nesses mesmos edifícios, estabelecimentos ou prédio rústico, salvaguardada, neste último caso a servidão non aedificandi; b) Os meios de publicidade de interesse turístico ou cultural, reconhecido nos termos da legislação específica.

4 — Compete à administração rodoviária autorizar a afixação de publicidade nos termos do número anterior.
5 — As autorizações são concedidas pelo prazo máximo de um ano, renovável, a título precário, mediante o pagamento da taxa prevista no artigo 58.º.
6 — Os beneficiários das autorizações referidas no n.º 4 ficam obrigados a realizar os trabalhos de conservação ou manutenção dos materiais ou respectivos suportes publicitários, devendo proceder à sua imediata remoção quando estes representem um risco para a segurança do utente da estrada.
7 — São nulos e de nenhum efeito os licenciamentos concedidos em violação do disposto nos n.os 1 e 4, sendo as entidades que concederam a licença civilmente responsáveis pelos prejuízos que daí advenham para os particulares de boa fé.

Páginas Relacionadas
Página 0150:
150 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 496/X (4.ª) M
Pág.Página 150
Página 0151:
151 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 2 — Mobilizar a sociedade portuguesa
Pág.Página 151
Página 0152:
152 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 Significa que se a sociedade actual par
Pág.Página 152
Página 0153:
153 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 — Reforço da actuação das redes sociais
Pág.Página 153
Página 0154:
154 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 indicava que o III sector empregava 6,7
Pág.Página 154
Página 0155:
155 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 como sinal de progresso tudo o que cond
Pág.Página 155
Página 0156:
156 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 — Hoje um processo de desenvolvimento s
Pág.Página 156
Página 0157:
157 | II Série A - Número: 120 | 23 de Maio de 2009 (i) Que a política integrada de família
Pág.Página 157