O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

20 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009

em relação à intervenção da vítima na qualidade de sujeito processual nos diversos actos processuais do processo penal em causa.
2 - São aplicáveis nas situações referidas no número anterior, as disposições legais em vigor relativas à nomeação de intérprete.

Artigo 18.º Assistência específica à vítima

O Estado assegura, gratuitamente nos casos estabelecidos na lei, que a vítima tenha acesso a consulta jurídica e a aconselhamento sobre o seu papel durante o processo e, se necessário, o subsequente apoio judiciário quando esta seja sujeito em processo penal.

Artigo 19.º Despesas da vítima resultantes da sua participação no processo penal

À vítima que intervenha na qualidade de sujeito no processo penal, deve ser proporcionada a possibilidade de ser reembolsada das despesas efectuadas em resultado da sua legítima participação no processo penal, nos termos estabelecidos na lei.

Artigo 20.º Direito à protecção

1 - É assegurado um nível adequado de protecção à vítima e, sendo caso disso, à sua família ou a pessoas em situação equiparada, nomeadamente no que respeita à segurança e salvaguarda da vida privada, sempre que as autoridades competentes considerem que existe uma ameaça séria de actos de vingança ou fortes indícios de que essa privacidade pode ser grave e intencionalmente perturbada.
2 - O contacto entre vítimas e arguidos em todos os locais que impliquem a presença em diligências conjuntas, nomeadamente nos edifícios dos tribunais, deve ser evitado, sem prejuízo da aplicação das regras processuais estabelecidas no Código de Processo Penal.
3 - Às vítimas especialmente vulneráveis deve ser assegurado o direito a beneficiarem, por decisão judicial, de condições de depoimento, por qualquer meio compatível, que as protejam dos efeitos do depoimento prestado em audiência pública.
4 - O juiz ou, durante a fase de inquérito, o Ministério Público, podem determinar, sempre que tal se mostre imprescindível à protecção da vítima e obtido o seu consentimento, que lhe seja assegurado apoio psicossocial e protecção por teleassistência, por período não superior a seis meses, salvo se circunstâncias excepcionais impuserem a sua prorrogação.
5 - O organismo da Administração Pública responsável pela área da cidadania e da igualdade de género pode recorrer a regimes de parceria para instalar, assegurar e manter em funcionamento sistemas técnicos de teleassistência.
6 - O disposto nos números anteriores não prejudica a aplicação das demais soluções constantes do regime especial de protecção de testemunhas, nomeadamente no que se refere à protecção dos familiares da vítima.

Páginas Relacionadas
Página 0015:
15 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 DECRETO N.º 374/X ESTABELECE O REGIME J
Pág.Página 15
Página 0016:
16 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 CAPÍTULO II Finalidades Artigo 3.
Pág.Página 16
Página 0017:
17 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 6.º Princípio do respeito e reco
Pág.Página 17
Página 0018:
18 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 2 - Sempre que, nos termos da lei, um m
Pág.Página 18
Página 0019:
19 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 15.º Direito à informação
Pág.Página 19
Página 0021:
21 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 21.º Direito a indemnização e a
Pág.Página 21
Página 0022:
22 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 3 - A cessação do estatuto da vítima nã
Pág.Página 22
Página 0023:
23 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 29.º Denúncia do crime 1 -
Pág.Página 23
Página 0024:
24 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 32.º Recurso à videoconferência
Pág.Página 24
Página 0025:
25 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 2 - O controlo à distância é efectuado,
Pág.Página 25
Página 0026:
26 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 39.º Encontro restaurativo
Pág.Página 26
Página 0027:
27 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 do Regime do Contrato de Trabalho em Fu
Pág.Página 27
Página 0028:
28 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 50.º Isenção de taxas moderadora
Pág.Página 28
Página 0029:
29 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 7 - Nas situações em que as vítimas são
Pág.Página 29
Página 0030:
30 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 b) Promover os protocolos com os organi
Pág.Página 30
Página 0031:
31 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 integrada, o atendimento, o apoio e o r
Pág.Página 31
Página 0032:
32 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 3- Tratando-se de entidades particulare
Pág.Página 32
Página 0033:
33 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 a) Alojamento e alimentação em condiçõe
Pág.Página 33
Página 0034:
34 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 76.º Grupos de ajuda mútua
Pág.Página 34
Página 0035:
35 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 i) Divulgação de material informativo a
Pág.Página 35
Página 0036:
36 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 CAPÍTULO VII Disposições finais A
Pág.Página 36