O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

8 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009

4 - O disposto no presente artigo é aplicável a fornecedores de serviço, a quem pode ser ordenado que comuniquem ao processo dados relativos aos seus clientes ou assinantes, neles se incluindo qualquer informação diferente dos dados relativos ao tráfego ou ao conteúdo, contida sob a forma de dados informáticos ou sob qualquer outra forma, detida pelo fornecedor de serviços, e que permita determinar: a) O tipo de serviço de comunicação utilizado, as medidas técnicas tomadas a esse respeito e o período de serviço; b) A identidade, a morada postal ou geográfica e o número de telefone do assinante, e qualquer outro número de acesso, os dados respeitantes à facturação e ao pagamento, disponíveis com base num contrato ou acordo de serviços; ou c) Qualquer outra informação sobre a localização do equipamento de comunicação, disponível com base num contrato ou acordo de serviços.
5 - A injunção prevista no presente artigo não pode ser dirigida a suspeito ou arguido nesse processo.
6 - Não pode igualmente fazer-se uso da injunção prevista neste artigo quanto a sistemas informáticos utilizados para o exercício da advocacia, das actividades médica e bancária e da profissão de jornalista.
7 - O regime de segredo profissional ou de funcionário e de segredo de Estado previsto no artigo 182.º do Código de Processo Penal é aplicável com as necessárias adaptações.

Artigo 15.º Pesquisa de dados informáticos

1 - Quando no decurso do processo se tornar necessário à produção de prova, tendo em vista a descoberta da verdade, obter dados informáticos específicos e determinados, armazenados num determinado sistema informático, a autoridade judiciária competente autoriza ou ordena por despacho que se proceda a uma pesquisa nesse sistema informático, devendo, sempre que possível, presidir à diligência.
2 - O despacho previsto no número anterior tem um prazo de validade máximo de 30 dias, sob pena de nulidade.
3 - O órgão de polícia criminal pode proceder à pesquisa, sem prévia autorização da autoridade judiciária, quando: a) A mesma for voluntariamente consentida por quem tiver a disponibilidade ou controlo desses dados, desde que o consentimento prestado fique, por qualquer forma, documentado; b) Nos casos de terrorismo, criminalidade violenta ou altamente organizada, quando haja fundados indícios da prática iminente de crime que ponha em grave risco a vida ou a integridade de qualquer pessoa.
4 - Quando o órgão de polícia criminal proceder à pesquisa nos termos do número anterior: a) No caso previsto na alínea b), a realização da diligência é, sob pena de nulidade, imediatamente comunicada à autoridade judiciária competente e por esta apreciada em ordem à sua validação; b) Em qualquer caso, é elaborado e remetido à autoridade judiciária competente o relatório previsto no artigo 253.º do Código de Processo Penal.
5 - Quando, no decurso de pesquisa, surgirem razões para crer que os dados procurados se encontram noutro sistema informático, ou numa parte diferente do sistema pesquisado, mas que tais dados são legitimamente acessíveis a partir do sistema inicial, a pesquisa pode ser estendida mediante autorização ou ordem da autoridade competente, nos termos dos n.os 1 e 2.
6 - À pesquisa a que se refere este artigo são aplicáveis, com as necessárias adaptações, as regras de execução das buscas previstas no Código de Processo Penal e no Estatuto do Jornalista.

Páginas Relacionadas
Página 0015:
15 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 DECRETO N.º 374/X ESTABELECE O REGIME J
Pág.Página 15
Página 0016:
16 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 CAPÍTULO II Finalidades Artigo 3.
Pág.Página 16
Página 0017:
17 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 6.º Princípio do respeito e reco
Pág.Página 17
Página 0018:
18 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 2 - Sempre que, nos termos da lei, um m
Pág.Página 18
Página 0019:
19 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 15.º Direito à informação
Pág.Página 19
Página 0020:
20 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 em relação à intervenção da vítima na q
Pág.Página 20
Página 0021:
21 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 21.º Direito a indemnização e a
Pág.Página 21
Página 0022:
22 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 3 - A cessação do estatuto da vítima nã
Pág.Página 22
Página 0023:
23 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 29.º Denúncia do crime 1 -
Pág.Página 23
Página 0024:
24 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 32.º Recurso à videoconferência
Pág.Página 24
Página 0025:
25 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 2 - O controlo à distância é efectuado,
Pág.Página 25
Página 0026:
26 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 39.º Encontro restaurativo
Pág.Página 26
Página 0027:
27 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 do Regime do Contrato de Trabalho em Fu
Pág.Página 27
Página 0028:
28 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 50.º Isenção de taxas moderadora
Pág.Página 28
Página 0029:
29 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 7 - Nas situações em que as vítimas são
Pág.Página 29
Página 0030:
30 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 b) Promover os protocolos com os organi
Pág.Página 30
Página 0031:
31 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 integrada, o atendimento, o apoio e o r
Pág.Página 31
Página 0032:
32 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 3- Tratando-se de entidades particulare
Pág.Página 32
Página 0033:
33 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 a) Alojamento e alimentação em condiçõe
Pág.Página 33
Página 0034:
34 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 Artigo 76.º Grupos de ajuda mútua
Pág.Página 34
Página 0035:
35 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 i) Divulgação de material informativo a
Pág.Página 35
Página 0036:
36 | II Série A - Número: 172 | 7 de Agosto de 2009 CAPÍTULO VII Disposições finais A
Pág.Página 36