O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

38 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012

Artigo 9.º Título profissional de DT

1 - É obrigatória a obtenção de título profissional válido para o exercício da função de DT em território nacional.
2 - É nulo o contrato pelo qual alguém se obrigue a exercer a função de DT sem título profissional válido.
3 - O título profissional de DT equivale, para todos os efeitos legais, ao título profissional de técnico de exercício físico.
4 - O título profissional de DT permite o acesso gratuito ao título profissional de treinador de desporto por referência a determinada modalidade desportiva, neste caso quando as qualificações profissionais forem as referidas no diploma que regula o regime de acesso e exercício da atividade de treinador de desporto.

Artigo 10.º Requisitos de obtenção do título profissional de DT

Podem ter acesso ao título profissional de DT os candidatos que satisfaçam um dos seguintes requisitos:

a) Licenciatura na área do Desporto ou da Educação Física, tal como identificada pela Direção-Geral do Ensino Superior; b) Qualificações profissionais reconhecidas nos termos da Lei n.º 9/2009, de 4 de março.

Artigo 11.º Título profissional de técnico de exercício físico

1 - Sem prejuízo do disposto no n.º 3 do artigo 9.º, é obrigatória a obtenção de título profissional válido para o exercício da função de técnico de exercício físico em território nacional, sendo nulo o contrato pelo qual alguém se obrigue a exercer a atividade de técnico de exercício físico sem título profissional válido de técnico de exercício físico.
2 - Aos profissionais cidadãos de Estado-membro da União Europeia ou do Espaço Económico Europeu qualificados fora de Portugal e que aqui prestem serviços em regime de livre prestação aplica-se o regime previsto na Lei n.º 9/2009, de 4 de março.
3 - Os profissionais referidos no número anterior devem apresentar ao Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ, IP) a declaração prévia prevista no artigo 5.º da Lei n.º 9/2009, de 4 de março.
4 - As referências legislativas a técnico de exercício físico devem entender-se como abrangendo os profissionais referidos nos n.os 2 e 3, exceto quando o contrário resulte da própria norma em causa.

Artigo 12.º Requisitos de obtenção do título profissional de técnico de exercício físico

1 - Podem ter acesso ao título profissional de técnico de exercício físico os candidatos que satisfaçam um dos seguintes requisitos:

a) Licenciatura na área do Desporto ou da Educação Física, tal como identificada pela Direção-Geral do Ensino Superior; b) Qualificação, na área da manutenção da condição física (fitness), no âmbito do sistema nacional de qualificações, por via da formação ou através de competências profissionais adquiridas e desenvolvidas ao longo da vida reconhecidas, validadas e certificadas, nos termos do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de dezembro, e da respetiva regulamentação; c) Qualificações profissionais reconhecidas nos termos da Lei n.º 9/2009, de 4 de março.

2 - Para efeitos da alínea b) do número anterior, os referenciais de formação na componente tecnológica para a obtenção de uma qualificação e os requisitos para homologação dos cursos conducentes à obtenção

Páginas Relacionadas
Página 0032:
32 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Consultas facultativas: Mais se propõe,
Pág.Página 32
Página 0033:
33 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 4.º – Técnicos O texto da propos
Pág.Página 33
Página 0034:
34 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 15.º – Entidades formadoras e açõ
Pág.Página 34
Página 0035:
35 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 A proposta de alteração para o n.º 2, apre
Pág.Página 35
Página 0036:
36 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Texto final CAPÍTULO I Disposições
Pág.Página 36
Página 0037:
37 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 a) Pelo menos um diretor técnico (DT) qu
Pág.Página 37
Página 0039:
39 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 da mesma integram o catálogo nacional de
Pág.Página 39
Página 0040:
40 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 b) Outros requisitos específicos, em com
Pág.Página 40
Página 0041:
41 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 20.º Acesso e permanência S
Pág.Página 41
Página 0042:
42 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 n) A falta ou indisponibilização do manu
Pág.Página 42
Página 0043:
43 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 2 - A aplicação das coimas é da competên
Pág.Página 43
Página 0044:
44 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 33.º Cooperação administrativa
Pág.Página 44
Página 0045:
45 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Torna-se necessário conformar este diplo
Pág.Página 45
Página 0046:
46 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 regulamento interno elaborado pelo propr
Pág.Página 46
Página 0047:
47 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Proposta de aditamento É aditada à
Pág.Página 47