O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

41 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012

Artigo 20.º Acesso e permanência

Sem prejuízo do disposto em legislação especial, pode ser impedido o acesso ou permanência nas instalações desportivas a quem se recuse, sem causa legítima, pagar os serviços utilizados ou consumidos, não se comporte de modo adequado, provoque distúrbios ou pratique atos de furto ou de violência.

Artigo 21.º Manual de operações das atividades desportivas

1 - As instalações desportivas onde decorram atividades abrangidas pela presente lei devem dispor de um Manual de operações das atividades desportivas elaborado pelo DT, contendo os procedimentos e protocolos, bem como a utilização de equipamentos, observadas pelos profissionais e pelos utentes, o qual é assinado pelo DT e pelo proprietário ou entidade que o explore se for diferente daquele; 2 - O manual a que se refere o número anterior deve estar afixado em local visível nos locais de prática e na receção.”

CAPÍTULO IV Fiscalização e sanções

Artigo 22.º Competência para a fiscalização

1 - Sem prejuízo das competências atribuídas por lei a outras autoridades administrativas e policiais, compete à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) fiscalizar o cumprimento do disposto na presente lei.
2 - As autoridades administrativas e policiais que verifiquem infrações ao disposto na presente lei devem elaborar os respetivos autos de notícia, que remetem à ASAE, no prazo máximo de 48 horas.

Artigo 23.º Contraordenações

Constitui contraordenação, para efeitos do disposto na presente lei:

a) O planeamento e prescrição das atividades desportivas aos utentes por parte do técnico de exercício físico sem a coordenação e supervisão do DT; b) A abertura e funcionamento de instalação desportiva sem um DT com título profissional válido; c) O exercício da atividade de DT sem título profissional válido; d) O exercício da atividade de técnico de exercício físico sem título profissional válido ou por quem não opere em território nacional nos termos dos n.os 2 e 3 do artigo 11.º; e) A contratação de recursos humanos para o desempenho de funções de técnico de exercício físico ou de treinador de desporto sem título profissional válido ou que não exerçam legalmente atividade em território nacional ao abrigo do regime de livre prestação de serviços; f) O exercício da atividade de formação por entidade formadora não certificada nos termos do artigo 15.º; g) O exercício da atividade de formação em violação do disposto no n.º 4 do artigo 15.º; h) A falta ou indisponibilização da identificação do DT, conforme previsto no artigo 16.º; i) A falta do seguro a que se refere o artigo 17.º; j) A recomendação ou comercialização das substâncias ou métodos a que se refere o artigo 18.º; k) A oposição ou obstrução aos atos de inspeção e vistorias a realizar pelas entidades competentes e a recusa em facultar a estas entidades os elementos e esclarecimentos por elas solicitados; l) A falta de afixação de informação sobre a existência do seguro a que se refere o artigo 17.º; m) A falta ou indisponibilização do regulamento a que se refere o artigo 19.º;

Páginas Relacionadas
Página 0032:
32 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Consultas facultativas: Mais se propõe,
Pág.Página 32
Página 0033:
33 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 4.º – Técnicos O texto da propos
Pág.Página 33
Página 0034:
34 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 15.º – Entidades formadoras e açõ
Pág.Página 34
Página 0035:
35 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 A proposta de alteração para o n.º 2, apre
Pág.Página 35
Página 0036:
36 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Texto final CAPÍTULO I Disposições
Pág.Página 36
Página 0037:
37 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 a) Pelo menos um diretor técnico (DT) qu
Pág.Página 37
Página 0038:
38 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 9.º Título profissional de DT
Pág.Página 38
Página 0039:
39 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 da mesma integram o catálogo nacional de
Pág.Página 39
Página 0040:
40 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 b) Outros requisitos específicos, em com
Pág.Página 40
Página 0042:
42 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 n) A falta ou indisponibilização do manu
Pág.Página 42
Página 0043:
43 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 2 - A aplicação das coimas é da competên
Pág.Página 43
Página 0044:
44 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Artigo 33.º Cooperação administrativa
Pág.Página 44
Página 0045:
45 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Torna-se necessário conformar este diplo
Pág.Página 45
Página 0046:
46 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 regulamento interno elaborado pelo propr
Pág.Página 46
Página 0047:
47 | II Série A - Número: 206 | 6 de Julho de 2012 Proposta de aditamento É aditada à
Pág.Página 47