O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

6 DE DEZEMBRO DE 2012

21

PARTE III – CONCLUSÕES

1. A Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira apresentou à Assembleia da República a

Proposta de Lei n.º 4/XII (1.ª) – “Institui a proibição genérica de todas as substâncias psicoativas”.

2. Esta iniciativa visa estender o regime previsto no Decreto-Lei n.º 15/93, de 22 de Janeiro, que define o

regime jurídico aplicável ao tráfico e consumo de estupefacientes e substâncias psicotrópicas (vulgo

«Lei da Droga»), a “todas as outras substâncias psicoativas que não sejam controladas por legislação

própria e que não estejam contempladas nas tabelas de substâncias proibidas, não obstante

produzirem o mesmo efeito”, para com isso resolver um problema de saúde pública.

3. Face ao exposto, a Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias é de

parecer que a Proposta de Lei n.º 86/XII (1.ª) (ALRAM), reúne os requisitos constitucionais e

regimentais para ser discutida e votada em plenário.

PARTE IV – ANEXOS

Anexa-se a nota técnica elaborada pelos serviços ao abrigo do disposto no artigo 131.º do Regimento da

Assembleia da República, bem como os pareceres/contributos das entidades ouvidas neste processo

legislativo.

Palácio de S. Bento, 28 de novembro de 2012.

O Deputado Relator, Hugo Velosa — O Presidente da Comissão, Fernando Negrão.

Nota: O parecer foi aprovado.

Nota Técnica

Proposta de Lei n.º 86/XII (1.ª) (ALRAM)

Institui a proibição genérica de todas as substâncias psicoativas

Data de admissão: 20 de julho de 2012

Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias (1.ª)

Índice

I. Análise sucinta dos factos, situações e realidades respeitantes à iniciativa

II. Apreciação da conformidade dos requisitos formais, constitucionais e regimentais e do cumprimento

da lei formulário

III. Enquadramento legal e doutrinário e antecedentes

IV. Iniciativas legislativas e petições pendentes sobre a mesma matéria

V. Consultas e contributos

VI. Apreciação das consequências da aprovação e dos previsíveis encargos com a sua aplicação

Elaborada por: João Nuno Amaral e Maria João Costa (DAC), Maria da luz Araújo (DAPLEN), Dalila

Maulide e Fernando Bento Ribeiro (DILP).

Data: 3 de setembro de 2012

Páginas Relacionadas
Página 0017:
6 DE DEZEMBRO DE 2012 17 ano de idade. Logo, pergunta-se, por que razão determina a
Pág.Página 17
Página 0018:
II SÉRIE-A — NÚMERO 47 18 Esta apresentação foi efetuada nos termos d
Pág.Página 18
Página 0019:
6 DE DEZEMBRO DE 2012 19 e que não estejam contempladas nas tabelas de substâncias
Pág.Página 19
Página 0020:
II SÉRIE-A — NÚMERO 47 20 oferta de “drogas legais”», o qual foi envi
Pág.Página 20
Página 0022:
II SÉRIE-A — NÚMERO 47 22 I. Análise sucinta dos factos, situações e
Pág.Página 22
Página 0023:
6 DE DEZEMBRO DE 2012 23 Regimento] não se verificando violação aos limites da inic
Pág.Página 23
Página 0024:
II SÉRIE-A — NÚMERO 47 24 Lei que a Comissão de Estupefacientes da Or
Pág.Página 24
Página 0025:
6 DE DEZEMBRO DE 2012 25 “Não consegue fazer face ao grande aumento do número de n
Pág.Página 25
Página 0026:
II SÉRIE-A — NÚMERO 47 26 Espanha A Espanha segue um sistema d
Pág.Página 26
Página 0027:
6 DE DEZEMBRO DE 2012 27 IV. Iniciativas legislativas e petições pendentes sobre a
Pág.Página 27