O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-A — NÚMERO 67

10

2- Os motivos de cessação de funções são verificados pela Assembleia da República nos termos do seu

Regimento.

3- No caso de vagatura do cargo, a designação do Provedor de Justiça deve ter lugar dentro dos 30 dias

imediatos, observando-se o disposto no n.º 4 do artigo 6.º.

4- O Provedor de Justiça não está sujeito às disposições legais em vigor sobre a aposentação e reforma

por limite de idade.

Artigo 16.º

Provedores-adjuntos

1- O Provedor de Justiça pode nomear e exonerar a todo o tempo dois provedores- adjuntos, de entre

indivíduos habilitados com o curso superior adequado e comprovada reputação de integridade e

independência.

2- O Provedor de Justiça pode delegar num dos provedores-adjuntos as atribuições relativas aos direitos

da criança, para que este as exerça de forma especializada.

3- O Provedor de Justiça pode delegar nos provedores-adjuntos os poderes referidos nos artigos 21.º, 27.º,

28.º, 30.º a 34.º e 42.º, e designar aquele que deve assegurar o funcionamento dos serviços no caso de

cessação ou interrupção do respetivo mandato.

4- Aplicam-se aos provedores-adjuntos as disposições dos artigos 11.º, 12.º, 13.º e 14.º.

Artigo 17.º

Coadjuvação nas funções

1- O Provedor de Justiça é coadjuvado no exercício das suas funções por coordenadores e assessores.

2- A organização das áreas de coadjuvação dos coordenadores e assessores, bem como a sua articulação

com o gabinete e o secretário-geral, consta de regulamento aprovado pelo Provedor de Justiça e publicado em

Diário da República.

3- Por regulamento aprovado pelo Provedor de Justiça e publicado em Diário da República podem ser

criadas extensões da Provedoria de Justiça nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Artigo 18.º

Garantia de autoridade

O Provedor de Justiça, os provedores-adjuntos de Justiça, os coordenadores e os assessores são

considerados autoridades públicas, inclusive para efeitos penais.

Artigo 19.º

Auxílio das autoridades

Todas as autoridades e agentes de autoridade devem prestar ao Provedor de Justiça o auxílio que lhes for

solicitado para o bom desempenho das suas funções.

CAPÍTULO III

Atribuições

Artigo 20.º

Competências

1- Ao Provedor de Justiça compete:

Páginas Relacionadas
Página 0002:
II SÉRIE-A — NÚMERO 67 2 DECRETO N.º 118/XII TERCEIRA ALTERAÇÃ
Pág.Página 2
Página 0003:
18 DE JANEIRO DE 2013 3 Constituição e nas leis. Artigo 10.º [
Pág.Página 3
Página 0004:
II SÉRIE-A — NÚMERO 67 4 e) Intervir, nos termos da lei aplicável, na
Pág.Página 4
Página 0005:
18 DE JANEIRO DE 2013 5 4- ……………………………………………………………………………………………………………………… 5-
Pág.Página 5
Página 0006:
II SÉRIE-A — NÚMERO 67 6 Artigo 31.º (…) 1- São
Pág.Página 6
Página 0007:
18 DE JANEIRO DE 2013 7 ANEXO (a que se refere o artigo 2.º) R
Pág.Página 7
Página 0008:
II SÉRIE-A — NÚMERO 67 8 CAPÍTULO II Estatuto Arti
Pág.Página 8
Página 0009:
18 DE JANEIRO DE 2013 9 Artigo 10.º Gabinete do Provedor de Justiça <
Pág.Página 9
Página 0011:
18 DE JANEIRO DE 2013 11 a) Dirigir recomendações aos órgãos competentes com vista
Pág.Página 11
Página 0012:
II SÉRIE-A — NÚMERO 67 12 atos praticados na superintendência da Admi
Pág.Página 12
Página 0013:
18 DE JANEIRO DE 2013 13 Artigo 27.º Apreciação preliminar das queixas <
Pág.Página 13
Página 0014:
II SÉRIE-A — NÚMERO 67 14 3- Considera-se justificada a falta ao serv
Pág.Página 14
Página 0015:
18 DE JANEIRO DE 2013 15 atividade, utilizando, se necessário, os meios de comunica
Pág.Página 15
Página 0016:
II SÉRIE-A — NÚMERO 67 16 Artigo 41.º Pessoal A
Pág.Página 16