O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

8 DE MAIO DE 2013

69

dos suplementos remuneratórios, no prazo de 180 dias após a sua entrada em vigor, por forma a garantir a

sua conformação com o estabelecido naquela lei, prevendo a sua manutenção, total ou parcial, a sua

integração, total ou parcial, na remuneração base ou a cessação do seu pagamento.

Passados mais de quatro anos da publicação da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de fevereiro, não se encontra

concluída a revisão da totalidade dos suplementos remuneratórios, nem a sua conformação com aquele

diploma.

A incompletude do processo de revisão de suplementos remuneratórios é um fator de significativa

perturbação nas relações laborais na Administração Pública, porquanto implica um tratamento discriminatório

entre trabalhadores, em virtude da manutenção de benefícios remuneratórios por alguns trabalhadores em

relação aos demais, cujos suplementos já foram revistos e conformados com a Lei n.º 12-A/2008, de 27 de

fevereiro.

No entanto, a revisão desta parte do sistema remuneratório apenas é passível de ser concretizada se

existir informação detalhada e precisa que permita avaliar com rigor as diversas componentes remuneratórias.

Neste domínio, verifica-se, atualmente, a existência de lacunas relevantes de informação que inviabilizam a

possibilidade de alcançar aquele desiderato, sobretudo no caso das entidades cujo regime jurídico-funcional

de pessoal inicial era o do Código do Trabalho, designadamente nos institutos públicos, e cujas carreiras ainda

não se encontram revistas, o que dificulta o trabalho de revisão dos suplementos remuneratórios.

Nestes casos, a falta de informação centralizada e sistematizada é mais acentuada, designadamente

devido à aplicação de sistemas e componentes remuneratórias estabelecidos em regulamentação avulsa ou

por instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho, aplicáveis especificamente à entidade em causa.

Já no caso de sistemas remuneratórios aprovados por disposição legal, em que a problemática da falta de

informação não se coloca com tanta acuidade, a recolha da informação prevista na presente proposta de lei

justifica-se com a conveniência na criação de um repositório de toda a informação sobre a matéria,

independentemente do tipo de ato que criou o sistema ou regime retributivo.

Atendendo às exigentes metas temporais estabelecidas para a revisão dos suplementos, importa garantir a

disponibilidade da informação necessária com a brevidade possível, através de um levantamento global das

remunerações, suplementos remuneratórios e outras regalias ou benefícios suplementares abonados por

entidades públicas, o que se se visa alcançar com a presente proposta de lei.

Por razões de economia de meios e de oportunidade, aproveita-se ainda para recolher informação sobre

sistemas remuneratórios de outras entidades ou pessoal não abrangidos pelo artigo 112.º da Lei n.º 12-

A/2008, de 27 de fevereiro, de modo a habilitar o Governo com a informação mais detalhada e precisa sobre o

assunto, tendo em vista a identificação e adoção de eventuais medidas de política salarial aplicáveis a esse

universo.

Pelas razões atrás referidas, são ainda abrangidas, no presente levantamento de informação, todas as

empresas que integram o sector empresarial do Estado, bem como os sectores empresariais regionais,

intermunicipais e municipais, com o objetivo de colmatar uma lacuna atualmente existente e permitir um

conhecimento integrado e transversal sobre os sistemas remuneratórios nestes sectores, que suporte os

processos de tomada de decisões em matérias passíveis de afetar esses sistemas, relevando aqui, por

exemplo, a frequente abrangência dos sistemas remuneratórios daqueles sectores por medidas decorrentes

das leis que aprovam o Orçamento do Estado.

Aprovam-se também normas relativas às situações em que as entidades públicas não cumpram as suas

obrigações de prestação de informação, estabelecendo-se, como consequência, a responsabilização dos

dirigentes respetivos.

A presente proposta de lei marca, assim, o início do processo de revisão global dos suplementos

remuneratórios e de outras regalias ou benefícios suplementares aplicados por entidades públicas, afirmando-

se expressamente a intenção de promover os entendimentos sociais e políticos necessários para o efeito, de

forma a obter compromissos políticos essenciais sobre soluções estáveis e duradouras no âmbito da

Administração Pública.

Foram ouvidos os órgãos de governo próprio das Regiões Autónomas, a Associação Nacional de

Municípios Portugueses e a Associação Nacional de Freguesias.

Foram observados os procedimentos decorrentes da Lei n.º 23/98, de 26 de maio.

Assim:

Páginas Relacionadas
Página 0003:
8 DE MAIO DE 2013 3 PROJETO DE LEI N.º 392/XII (2.ª) [ELIMINAÇÃO DA IMPOSSIB
Pág.Página 3
Página 0004:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 4 Alteração do artigo 3.º da Lei n.º 9/2010,
Pág.Página 4
Página 0005:
8 DE MAIO DE 2013 5 Por outro lado, o Decreto-Lei n.º 121/2010, de 27 de outubro, q
Pág.Página 5
Página 0006:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 6 4. Face ao exposto, a Comissão de Assuntos
Pág.Página 6
Página 0007:
8 DE MAIO DE 2013 7 Em apoio à sua tese, invocam a os estudos que provam que “são a
Pág.Página 7
Página 0008:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 8 origem, religião, convicções políticas ou i
Pág.Página 8
Página 0009:
8 DE MAIO DE 2013 9 ou restritamente – o que é coisa muito diferente de conferir um
Pág.Página 9
Página 0010:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 10 das uniões de facto, do Grupo Parlamentar
Pág.Página 10
Página 0011:
8 DE MAIO DE 2013 11 diagnósticos, mas os seus pressupostos são demasiado exigentes
Pág.Página 11
Página 0012:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 12 ultrapassada pelo Legislador, por se encon
Pág.Página 12
Página 0013:
8 DE MAIO DE 2013 13 Outras iniciativas sobre esta matéria O Grupo Parlament
Pág.Página 13
Página 0014:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 14 formas de família. Neste âmbito, destaca-s
Pág.Página 14
Página 0015:
8 DE MAIO DE 2013 15 variable. Revue internationale de droit comparé. Paris. ISSN 0
Pág.Página 15
Página 0016:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 16 RENCHON, Jean-Louis – L'homoparentalité en
Pág.Página 16
Página 0017:
8 DE MAIO DE 2013 17 Como documentosque serviram de base à preparaçãoda iniciativa
Pág.Página 17
Página 0018:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 18 Projeto de Lei n.º 393/XII (2.ª) (BE) – “A
Pág.Página 18
Página 0019:
8 DE MAIO DE 2013 19 Elaborada por: Lisete Gravito e Maria Leitão (DILP), Luís Mart
Pág.Página 19
Página 0020:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 20 III. Enquadramento legal e doutrinário e a
Pág.Página 20
Página 0021:
8 DE MAIO DE 2013 21 margem para dúvidas, que quando em matéria de adoção a lei ref
Pág.Página 21
Página 0022:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 22 e reforçando direitos, com vista a respond
Pág.Página 22
Página 0023:
8 DE MAIO DE 2013 23 Nos termos do artigo 2.º, o apadrinhamento civil é uma relação
Pág.Página 23
Página 0024:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 24 Perante a entrada em vigor da Lei n.º 9/20
Pág.Página 24
Página 0025:
8 DE MAIO DE 2013 25 deste desenho, i.e., as investigações que comparam homo e hete
Pág.Página 25
Página 0026:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 26 q) Os que determinem a modificação ou exti
Pág.Página 26
Página 0027:
8 DE MAIO DE 2013 27 BIOÉTICA E VULNERABILIDADE. Coord. Ana Sofia Carvalho. Coimbra
Pág.Página 27
Página 0028:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 28 medicamente assistida (nomeadamente a idad
Pág.Página 28
Página 0029:
8 DE MAIO DE 2013 29 evolução das perceções sociais sobre a homossexualidade e a tr
Pág.Página 29
Página 0030:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 30 legisladores belgas relativamente à diluiç
Pág.Página 30
Página 0031:
8 DE MAIO DE 2013 31 Cota: 28.06 – 420/2007. Resumo: Neste livro, a autora c
Pág.Página 31
Página 0032:
II SÉRIE-A — NÚMERO 129 32 La loi du 6 juillet 2007 relative à la pro
Pág.Página 32
Página 0033:
8 DE MAIO DE 2013 33 V. Consultas e contributos Consultas obrigatórias
Pág.Página 33