O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

50 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013

2.7. Política Energética e Mercado de Energia Nesta área destacam-se como opções principais o Programa de Eficiência Energética na Administração Pública/ECO.AP, e a revisão da estratégia e modelo de negócio do Programa para a Mobilidade Elétrica. O Governo salienta ainda a opção para 2014 no sentido de "possibilitar a contribuição, por parte de Portugal, para o cumprimento das metas nacionais de utilização de energias renováveis a atingir por outros Estados-membros, através de transferências estatísticas ou da realização de projetos conjuntos em território nacional", ou ainda "assegurar o efetivo reforço dos poderes sancionatórios e a autonomia do regulador dos serviços energéticos".
As GOP'2014 referem ainda a regulamentação da inclusão de combustíveis líquidos de baixo custo nos postos de abastecimento e a conclusão da revisão da Lei de Bases do Setor Petrolífero, bem como a dinamização da prospeção e exploração de recursos geológicos, em execução da Estratégia Nacional para os Recursos Geológicos - Recursos Minerais.
2.8. QREN 2007-2014 Sendo o Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), ainda em fase de execução durante todo o ano de 2014 (podendo ir até 2015), o enquadramento para a aplicação em Portugal, no período 2007-2013, dos fundos oriundos da política de coesão da UE, o Governo afirma que, «não sendo possível estimar com rigor o perfil temporal de execução do QREN após 2013, e apontando-se que o QREN termine no 1.° semestre de 2015, prevê-se que os valores a executar sejam distribuídos de forma proporcional entre 2014 e o 1.° semestre de 2015 (2/3 em 2014 e 1/3 em 2015), tendo em conta os valores previstos na programação anual dos Programas Operacionais do QREN».
2.9. O Novo Período de Programação 2014-2020 O Governo refere nesta matéria o processo de programação nacional dos fundos comunitários 2014-2020 com as prioridades estratégicas, os princípios orientadores para a aplicação dos fundos comunitários, tendo em conta os seguintes

Páginas Relacionadas
Página 0047:
47 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 Índice Parte I – Considerandos Part
Pág.Página 47
Página 0048:
48 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 reestruturação em curso, encontrand
Pág.Página 48
Página 0049:
49 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 transporte de passageiros, abrindo
Pág.Página 49
Página 0051:
51 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 objetivos estratégicos: Estímulo à
Pág.Página 51
Página 0052:
52 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 E prossegue ainda o Governo: «o con
Pág.Página 52
Página 0053:
53 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 impacto bruto da convergência de pe
Pág.Página 53
Página 0054:
54 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 Esta situação podia e devia ser con
Pág.Página 54
Página 0055:
55 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 revisão das condições do Memorando
Pág.Página 55
Página 0056:
56 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 Apesar da afirmação de que a transf
Pág.Página 56
Página 0057:
57 | II Série A - Número: 019S1 | 2 de Novembro de 2013 República, emitir o competente pare
Pág.Página 57