O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

47 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014

Estado e, no tocante aos factos sobre os quais possa depor ou prestar declarações, não deve revelar as fontes de informação, nem deve ser inquirido sobre as mesmas, bem como sobre o resultado de análises ou sobre elementos contidos nos centros de dados ou nos arquivos.
2. Se na qualidade de arguido, o funcionário, agente ou dirigente dos serviços de informações, das estruturas comuns e do gabinete do Secretário-Geral invocar que o dever de sigilo sobre matéria classificada como segredo de Estado afeta o exercício do direito de defesa, declara-o perante a autoridade judicial, a quem compete ponderar sobre se tal pode revestir-se de relevância fundamental para o exercício do direito de defesa.
3. Entendendo que a informação sob segredo de Estado pode revestir-se de relevância fundamental para o exercício da defesa, a autoridade judicial comunica o facto ao Primeiro-Ministro, que autoriza, ou não, o seu levantamento.
4. Para efeitos de exercício do direito de defesa, o arguido deve circunscrever a matéria que considera relevante para o exercício do respetivo direito, e em caso algum pode requerer ser desvinculado genericamente do dever de sigilo, bem como revelar as fontes de informação ou o resultado de análises ou elementos contidos nos centros de dados ou nos arquivos.

Artigo 33.º-B Procedimentos de segurança

1. Os funcionários, agentes e dirigentes dos Serviços de Informações, das estruturas comuns e do gabinete do Secretário-Geral têm o dever de se sujeitar aos procedimentos, inquéritos e averiguações de segurança, quer durante o processo de recrutamento ou durante o processo conducente à sua nomeação, quer no exercício de funções, conduzidos pela unidade orgânica responsável pela segurança.
2. O dever de sujeição estabelecido no número anterior, mantém-se pelo prazo de três anos após cessação de funções.
3. Para efeitos do disposto no número anterior, os funcionários, agentes e dirigentes dos serviços de informações, das estruturas comuns e do gabinete do Secretário-Geral que cessem funções têm o dever de informar o Secretário-Geral de quais as funções que passam a exercer e em que organismo ou entidade, devendo manter atualizada essa informação e os seus dados pessoais durante um período de três anos após cessação de funções.
4. Os procedimentos e meios utilizados pela unidade orgânica responsável pela segurança nesses inquéritos e averiguações constam de regulamento próprio classificado, aprovado por despacho do Secretário- Geral.
5. Os procedimentos referidos no presente artigo poderão incluir recurso ao polígrafo.

Artigo 33.º-C Registo de interesses

1. Todos os funcionários, agentes e dirigentes dos serviços de informações, das estruturas comuns e do gabinete do Secretário-Geral devem declarar voluntariamente, durante o processo de recrutamento ou o processo conducente à nomeação, todas as atividades suscetíveis de gerarem incompatibilidades, impedimentos ou conflitos de interesses.
2. Para efeitos do disposto no número anterior, devem ser inscritos no registo de interesses, em especial: a) Todas as atividades públicas ou privadas, remuneradas ou não, exercidas pelo declarante desde o início da sua vida profissional e cívica, nelas incluindo atividades comerciais ou empresariais e, bem assim o exercício de profissões liberais; b) Filiação, participação ou desempenho de quaisquer funções em quaisquer entidades de natureza associativa; c) Desempenho de quaisquer cargos sociais, ainda que a título gratuito; d) Apoios ou benefícios financeiros ou materiais recebidos para o exercício das respetivas atividades, designadamente de entidades públicas ou privadas estrangeiras; e) Entidades a quem sejam ou tenham sido prestados serviços remunerados de qualquer natureza;

Páginas Relacionadas
Página 0003:
3 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 PROJETO DE LEI N.º 181/XII (1.ª) (PROCED
Pág.Página 3
Página 0004:
4 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 5.º N.os 1 e 2 Eliminação Na reda
Pág.Página 4
Página 0005:
5 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 N.º 6 Na redação do Projeto de Lei n.º 4
Pág.Página 5
Página 0006:
6 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 2.º Preambular (Republicação) Na
Pág.Página 6
Página 0007:
7 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 d) (»); e) (»); f) (»); g) O apoio técni
Pág.Página 7
Página 0008:
8 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 que cumpram os requisitos especiais que
Pág.Página 8
Página 0009:
9 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 2.º Republicação É republic
Pág.Página 9
Página 0010:
10 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 3.º Órgãos e serviços 1 –
Pág.Página 10
Página 0011:
11 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 2 – Aos membros do Gabinete e aos funci
Pág.Página 11
Página 0012:
12 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 3 – Sobre as Forças Armadas e sobre o o
Pág.Página 12
Página 0013:
13 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 e) Regular, mediante despacho classific
Pág.Página 13
Página 0014:
14 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 b) O diretor-geral de Política Externa
Pág.Página 14
Página 0015:
15 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 18.º Organização das estruturas
Pág.Página 15
Página 0016:
16 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 2 – Ao departamento comum de tecnologia
Pág.Página 16
Página 0017:
17 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 3 – As dotações orçamentais referidas n
Pág.Página 17
Página 0018:
18 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 b) O conselho administrativo. 2 –
Pág.Página 18
Página 0019:
19 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 SECÇÃO III Gestão financeira do SIED
Pág.Página 19
Página 0020:
20 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 CAPÍTULO IV Do SIS SECÇÃO I Missã
Pág.Página 20
Página 0021:
21 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 36.º Diretor do SIS 1 – O
Pág.Página 21
Página 0022:
22 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 39.º Receitas do SIS 1 – C
Pág.Página 22
Página 0023:
23 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 42.º Direção e funcionamento
Pág.Página 23
Página 0024:
24 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 4 – Quando a designação recair em magis
Pág.Página 24
Página 0025:
25 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 contrato, presumindo-se, quando outra f
Pág.Página 25
Página 0026:
26 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 SECÇÃO II Direitos e deveres Arti
Pág.Página 26
Página 0027:
27 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 5 – Aos diretores e aos diretores-adjun
Pág.Página 27
Página 0028:
28 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 3 – Por despacho conjunto do Primeiro-M
Pág.Página 28
Página 0029:
29 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 6 – Sem prejuízo do disposto no número
Pág.Página 29
Página 0030:
30 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 h) Apresentar junto do Secretário-Geral
Pág.Página 30
Página 0031:
31 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Artigo 65.º Avaliação de desempenho
Pág.Página 31
Página 0032:
32 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 apuramento da verdade pode ser preventi
Pág.Página 32
Página 0033:
33 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 Propostas de alteração apresentadas pel
Pág.Página 33
Página 0034:
34 | II Série A - Número: 131 | 18 de Junho de 2014 PROJETO DE LEI N.º 286/XII (2.ª) (ALTER
Pág.Página 34