O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

25 DE JUNHO DE 2015 127

2009/299/JAI, de 26 de fevereiro. Efetivamente o seu capítulo V é relativo a “Disposições que transpõem a

decisão-quadro 2009/299/JAI, de 26 fevereiro de 2009, que altera a Decisão-Quadro 2002/584/JAI do Conselho,

2005/214/JAI do Conselho 2006/783/JAI do Conselho 2008/909/JAI e 2008/947/JAI do Conselho, que reforça

os direitos processuais das pessoas e promove a aplicação do princípio do reconhecimento mútuo das decisões

proferidas na ausência da pessoa em causa no julgamento.

Esta lei veio alterar diversas disposições do Código de Processo Penal. Assim, alterou os artigos 695-17 (V)

e 695-27 (V) e aditou o artigo 695-22-1 (V).

Os artigos 695-22 e 695-24 do Código de Processo Penal preveem uma lista de motivos obrigatórios e

opcionais de não execução do mandado de detenção europeu por juízes franceses.

Atualmente, a legislação francesa prevê medidas de controlo para evitar a colocação de uma pessoa em

prisão preventiva, neste caso principalmente a colocação da pessoa sob supervisão judicial. Essas medidas

foram introduzidas pela Lei n ° 70-643, de 17 de Julho 1970 e estão localizadas principalmente nos artigos 138

a 142-4 do Código de Processo Penal. Elas podem ser ordenadas pelo juiz de instrução, o ‘juiz das liberdades

e da detenção’ ou os tribunais criminais. No entanto, só podem ser impostas para a monitorização em França e

uma pessoa não pode ser submetida a controlos judiciais no estrangeiro.

Além disso, não há até ao momento nenhuma convenção internacional que permita às autoridades francesas

reconhecer e monitorar França obrigações emanadas por uma autoridade competente estrangeira.

A decisão-quadro "medidas de controlo alternativas à prisão preventiva" tem por objeto permitir a uma

autoridade judiciária francesa de ordenar na França a colocação de uma pessoa sob controlo judicial noutro

Estado-Membro da União Europeia e de fazer controlar o cumprimento das obrigações ordenadas pelas

autoridades competentes do Estado onde a pessoa reside. Reciprocamente, a Decisão-Quadro permitirá

reconhecer e monitorar a observação em França das obrigações ordenadas pela autoridade competente de

outro Estado-Membro da União Europeia.

Não há até agora nenhuma disposição legislativa que permita submeter uma pessoa a obrigações a serem

controladas pelas autoridades competentes de outro Estado e vice-versa, não há possibilidade de seguir

obrigações ordenadas por Estados estrangeiros.

Esta Decisão-Quadro devia ser transposta o mais tardar até 1 de dezembro de 2012, com risco de

penalização a partir de 1 de dezembro de 2014.

Foi entretanto apresentado, em abril de 2014, no parlamento francês o projeto de lei adaptando o processo

penal ao direito da União europeia.17 Para tal efeito são adicionados os Artigos 696-48 a 696-89 do Código de

Processo Penal.

ITÁLIA

Com base no artigo 8.º, parágrafo 3, da Decisão-Quadro n.º 2009/299/JAI, de 26 de fevereiro, para a Itália

“a decisão-quadro aplicar-se-á a partir de 1 de janeiro de 2014, o mais tardar aquando do reconhecimento e

execução das decisões tomadas na ausência do interessado no processo que sejam emitidas pelas autoridades

italianas competentes”.

A Decisão-Quadro n.º 2009/829/JAI do Conselho, de 23 de outubro de 2009, relativa à aplicação do princípio

do reconhecimento mútuo às decisões sobre medidas de controlo em alternativa à prisão preventiva, que devia

ser transposta até 1 de dezembro de 2012, que diz respeito à liberdade provisória na fase de pré-julgamento. A

mesma permite transferir uma medida cautelar não privativa de liberdade (por exemplo, a obrigação de

permanecer num determinado lugar ou a obrigação de se apresentar num horário estabelecido junto de uma

determinada autoridade) do Estado-membro onde a pessoa não residente é suspeita de um crime para o Estado-

membro onde o acusado reside habitualmente, permitindo-lhe, esperando o julgamento no Estado-membro

estrangeiro, de ser submetido a uma medida cautelar não privativa de liberdade no Estado-membro de origem

em vez de ser colocado em prisão preventiva.

A Itália transpôs a Decisão-Quadro n.º 2008/909/JAI (relativa à aplicação do princípio do reconhecimento

mútuo às sentenças em matéria penal que imponham penas ou outras medidas privativas de liberdade para

efeitos da execução dessas sentenças na União Europeia) através do Decreto Legislativo n.º 161/2010, de 7 de

setembro.

17 http://www.senat.fr/dossier-legislatif/pjl13-482.html

Páginas Relacionadas
Página 0129:
25 DE JUNHO DE 2015 129 VI. Apreciação das consequências da aprovação e dos
Pág.Página 129
Página 0130:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 130 Face a este contexto normativo, a proposta de lei vai n
Pág.Página 130
Página 0131:
25 DE JUNHO DE 2015 131 Código de Processo Penal Proposta de Lei Artigo 212.
Pág.Página 131
Página 0132:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 132 Código de Processo Penal Proposta de Lei Artigo
Pág.Página 132
Página 0133:
25 DE JUNHO DE 2015 133 Este instrumento jurídico comunitário surge na sequência da
Pág.Página 133
Página 0134:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 134 pessoas a cargo da vítima». Ao invés, a proposta de lei
Pág.Página 134
Página 0135:
25 DE JUNHO DE 2015 135 PARTE III – CONCLUSÕES 1. A Proposta de Lei n
Pág.Página 135
Página 0136:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 136 I. Análise sucinta dos factos, situações e realidades r
Pág.Página 136
Página 0137:
25 DE JUNHO DE 2015 137 Código de Processo Penal Proposta de Lei 2 – As víti
Pág.Página 137
Página 0138:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 138 Código de Processo Penal Proposta de Lei Artigo
Pág.Página 138
Página 0139:
25 DE JUNHO DE 2015 139 II. Apreciação da conformidade dos requisitos formai
Pág.Página 139
Página 0140:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 140 dos diplomas que são relevantes em caso de aprovação da
Pág.Página 140
Página 0141:
25 DE JUNHO DE 2015 141 III. Enquadramento legal e doutrinário e antecedente
Pág.Página 141
Página 0142:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 142 assistente e que se prende com a possibilidade de reque
Pág.Página 142
Página 0143:
25 DE JUNHO DE 2015 143 2 – A testemunha não é obrigada a responder a perguntas qua
Pág.Página 143
Página 0144:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 144 de Retificação n.º 15/2013, de 19 de março e pelas Leis
Pág.Página 144
Página 0145:
25 DE JUNHO DE 2015 145  Enquadramento doutrinário/bibliográfico Bibl
Pág.Página 145
Página 0146:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 146 do tipo de crime em causa ou das circunstâncias ou do l
Pág.Página 146
Página 0147:
25 DE JUNHO DE 2015 147 data, nenhuma medida de execução foi indicada relativamente
Pág.Página 147
Página 0148:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 148 No ponto 53 considera-se que “o risco de que a vítima s
Pág.Página 148
Página 0149:
25 DE JUNHO DE 2015 149  Enquadramento internacional Países europeus
Pág.Página 149
Página 0150:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 150 O artigo 415.º bis do CPP agora prevê que o aviso de co
Pág.Página 150
Página 0151:
25 DE JUNHO DE 2015 151 Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, Conselho S
Pág.Página 151