O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-A — NÚMERO 36 18

Artigo 8.º

Livre acesso

1 – Aos policias, quando devidamente identificados e em ato ou missão de serviço, é facultada a entrada

livre em estabelecimentos e outros locais públicos ou abertos ao público para a realização de ações de

fiscalização ou de prevenção.

2 – Para a realização de diligências de investigação criminal ou de coadjuvação judiciária, os policias, quando

devidamente identificados e em missão de serviço, tem direito de acesso a quaisquer repartições ou serviços

públicos, empresas comerciais ou industriais e outras instalações públicas ou privadas, em conformidade com

a lei.

Artigo 9.º

Uso de transportes públicos

1 – Aos policias, quando devidamente identificados e em missão de serviço, é facultado o livre acesso, em

todo o território nacional, aos transportes coletivos terrestres, fluviais e marítimos.

2 – Os policias tem direito à utilização gratuita dos transportes referidos no número anterior nas deslocações

em serviço dentro da área de circunscrição em que exerce funções e entre a sua residência habitual e a

localidade em que presta serviço até à distância de 50 km.

3 – O regime de utilização dos transportes públicos coletivos é objeto de portaria conjunta dos membros do

Governo responsáveis pela tutela, das finanças e dos transportes.

Artigo 10.º

Uso de armas

1 – Os policias tem direito à detenção, uso e porte de arma de classes aprovadas por portaria do membro do

Governo responsável pela tutela, independentemente de licença, ficando obrigados ao seu manifesto, nos

termos da lei, quando as mesmas sejam de sua propriedade, salvo aplicação de pena disciplinar expulsiva.

2 – A isenção estabelecida no número anterior é suspensa automaticamente quando tenha sido aplicada

medida judicial ou disciplinar de desarmamento ou de interdição do uso de armas.

Artigo 11.º

Regime prisional

1 – O cumprimento da prisão preventiva e das penas e medidas privativas de liberdade pelos policias ocorre

em estabelecimento prisional legalmente destinado ao internamento de detidos e reclusos que exercem ou

exerceram funções em forças ou serviços de segurança.

2 – Nos casos em que não seja possível a observância do disposto no número anterior, o estabelecimento

prisional de internamento assegura o internamento em regime de separação dos restantes detidos ou reclusos,

o mesmo sucedendo relativamente à sua remoção e transporte.

Artigo 12.º

Fardamento

1 – Os policias tem direito a comparticipação por parte do Estado nas despesas com a aquisição de

fardamento através da atribuição de uma comparticipação anual a regulamentar por diploma próprio, ou à sua

concessão por conta da entidade de que dependem, conforme regulamento respetivo.

2 – No momento do ingresso, os policias tem direito a uma dotação de fardamento.

Páginas Relacionadas
Página 0002:
II SÉRIE-A — NÚMERO 36 2 RESOLUÇÃO DESLOCAÇÃO DO PRESIDENTE DA REPÚBL
Pág.Página 2
Página 0003:
30 DE NOVEMBRO DE 2016 3 Cível (RGPTC), aprovado em anexo à Lei n.º 141/2015, de 8
Pág.Página 3
Página 0004:
II SÉRIE-A — NÚMERO 36 4 sobre a implementação do RGPTC», visando esta iniciativa c
Pág.Página 4
Página 0005:
30 DE NOVEMBRO DE 2016 5 Nota: O parecer foi aprovado na reunião de 30 de novembro
Pág.Página 5
Página 0006:
II SÉRIE-A — NÚMERO 36 6 cumpridas determinadas circunstâncias – mais concretamente
Pág.Página 6
Página 0007:
30 DE NOVEMBRO DE 2016 7  Verificação do cumprimento da lei formulário <
Pág.Página 7
Página 0008:
II SÉRIE-A — NÚMERO 36 8 Direitos da Criança, em que se atribui especial relevância
Pág.Página 8
Página 0009:
30 DE NOVEMBRO DE 2016 9 designadamente, da regulação do exercício das responsabili
Pág.Página 9
Página 0010:
II SÉRIE-A — NÚMERO 36 10 Não ignorando o facto de também os homens, as crianças e
Pág.Página 10
Página 0011:
30 DE NOVEMBRO DE 2016 11 “Nos processos de regulação do exercício das responsabili
Pág.Página 11
Página 0012:
II SÉRIE-A — NÚMERO 36 12 valorizar as declarações das crianças. Relativamente a es
Pág.Página 12
Página 0013:
30 DE NOVEMBRO DE 2016 13 → O Decreto n.º 2011-1470, de 8 novembro, que consagra a
Pág.Página 13
Página 0014:
II SÉRIE-A — NÚMERO 36 14  Projeto de Resolução n.º 344/XIII (1.ª) (CDS-PP) – Reco
Pág.Página 14