O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-A — NÚMERO 130

38

7- A avaliação energética periódica aos GES após a primeira avaliação referida no n.º 4, deve ser realizada

de oito em oito anos, sendo a correção e tempestividade da avaliação comprovada pela:

a) Emissão do respetivo certificado no âmbito do SCE;

b) Elaboração de um relatório de avaliação energética, acompanhado dos elementos comprovativos que

suportem a análise, bem como de toda a informação que justifique as opções tomadas, devendo essa

informação permanecer disponível, preferencialmente em formato eletrónico, por um período mínimo de oito

anos.

8- Na situação descrita na alínea b) do n.º 3 do artigo 3.º em que o edifício não seja qualificado como GES,

após emissão de certificado SCE nos termos dos n.os 1 ou 4 do mesmo artigo, a avaliação energética referida

no n.º 5 deve ser realizada de 10 em 10 anos.

9- Os requisitos associados à avaliação energética são estabelecidos em portaria dos membros do Governo

responsáveis pelas áreas da energia e da segurança social.

10- A avaliação referida nos n.os 4 e 5 obedece às metodologias estabelecidas por despacho do Diretor-

Geral de Energia e Geologia.

Artigo 40.º

Ventilação e qualidade do ar interior

1- Nos edifícios novos de comércio e serviços deve ser garantido o cumprimento dos valores mínimos de

caudal de ar novo determinados, para cada espaço do edifício, com base no método prescritivo ou no método

analítico, conforme definidos na portaria a que se refere o artigo 36.º.

2- Para assegurar o cumprimento dos valores mínimos de caudal de ar novo referidos nos números

anteriores, os edifícios devem ser dotados de sistemas e estratégias que promovam a ventilação dos espaços

com recurso a meios naturais, a meios mecânicos ou a uma combinação dos dois, tendo em conta as

disposições constantes da portaria a que se refere o número anterior.

3- Para o cumprimento do número anterior, os edifícios devem ser projetados de forma a privilegiar o recurso

à ventilação natural, sendo a ventilação mecânica complementar para os casos em que a ventilação natural seja

insuficiente para cumprimento das normas aplicáveis.

4- Caso sejam utilizados meios mecânicos de ventilação, o valor de caudal de ar novo introduzido em cada

espaço deve ter em conta a eficácia de redução da concentração de poluentes, devendo, para esse efeito, ser

considerados os pressupostos definidos na portaria a que se refere o n.º 1.

5- Nos edifícios novos de comércio e serviços dotados de sistemas de climatização ou apenas de ventilação,

deve ser garantido o cumprimento dos requisitos previstos na portaria a que se refere o n.º 1.

6- O cumprimento dos requisitos previstos nos números anteriores deve ser demonstrado explicitamente nas

peças escritas e desenhadas do projeto do edifício, bem como no final da obra, em projeto atualizado e demais

comprovativos da boa e correta execução.

7- Os edifícios de comércio e serviços novos, após a obtenção da licença de utilização, ficam sujeitos ao

cumprimento dos limiares de proteção e condições de referência dos poluentes constantes da portaria a que se

refere o artigo 36.º.

8- A fiscalização pelo IGAMAOT dos limiares de proteção é feita de acordo com a metodologia e condições

de referência previstas na portaria a que se refere o artigo 36.º.

Artigo 41.º

Instalação, condução e manutenção de sistemas técnicos

1- Os sistemas técnicos dos edifícios devem ser projetados, instalados e mantidos de forma a serem

facilmente acessíveis para manutenção.

2- Os fabricantes ou instaladores dos sistemas técnicos para edifícios novos de comércio e serviços devem:

a) Fornecer ao proprietário toda a documentação técnica, em língua portuguesa, incluindo a marca, o modelo

e as características de todos os principais constituintes dos sistemas técnicos instalados no edifício;

b) Assegurar, quando for o caso, que os equipamentos instalados ostentem, em local bem visível, após

Páginas Relacionadas
Página 0045:
20 DE JUNHO DE 2018 45 Artigo 55.º Entrada em vigor O presente
Pág.Página 45
Página 0046:
II SÉRIE-A — NÚMERO 130 46 Artigo 1.º Objeto
Pág.Página 46
Página 0047:
20 DE JUNHO DE 2018 47 avaliação dos conhecimentos e aptidões inerentes ao exercíci
Pág.Página 47