O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

5 DE JULHO DE 2018

7

para despedimento, à contratação coletiva, ao princípio do tratamento mais favorável para o trabalhador, e ainda

ao regime de férias, feriados e dias de descanso obrigatório.

Porém, e considerando o escopo da iniciativa, confere-se particular enfoque às alterações às regras

respeitantes ao despedimento, que na perspetiva do Grupo Parlamentar do PEV «estimularam os

despedimentos, tornaram o trabalho mais barato, colocaram as pessoas a trabalhar mais e a ganhar menos e,

sobretudo, enfraqueceram a posição do trabalhador na relação laboral». Perante isto, consideram os

proponentes que é o momento de repor os montantes e os critérios nas compensações em caso de cessação

do contrato de trabalho e despedimento que vigoravam anteriormente, que deverão voltar a corresponder a um

mês de retribuição e respetivas diuturnidades, por cada ano completo de serviço e sem qualquer limite máximo

de anos. Para isso, os autores do projeto de lei em análise promovem a alteração dos artigos 344.º, 345.º e

366.º, todos do CT2009.

A este respeito, poderá ainda mencionar-se que o projeto de lei n.º 647/XIII (3.ª) (PCP) visa proceder à

décima quarta alteração ao Código do Trabalho, e não à Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, e que os artigos a

alterar devem ser identificados como parte integrante do Código, e não do Anexo da Lei, pelo que se sugerem

as seguintes redações: para a parte final do artigo 1.º – «(…) procedendo à décima terceira alteração ao Código

do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, que aprova a revisão do Código do Trabalho».;

para a epígrafe do artigo 2.º – «Alteração ao Código do Trabalho»; para a parte inicial do artigo 2.º – «Os artigos

344.º, 345.º e 366.º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, (…)».

3 – Enquadramento Legal

A legislação laboral foi objeto de sucessivas revisões, no âmbito das diversas matérias do atual Código do

Trabalho – CT2009 (texto consolidado), aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, retificada pela

Declaração de Retificação n.º 21/2009, de 18 de março, e alterada pelas Leis n.os 105/2009, de 14 de setembro,

53/2011, de 14 de outubro, 23/2012, de 25 de junho, 47/2012, de 29 de agosto, 69/2013, de 30 de agosto,

27/2014, de 8 de maio, 55/2014, de 25 de agosto, 28/2015, de 14 de abril, 120/2015, de 1 de setembro, 8/2016,

de 1 de abril, 28/2016, de 23 de agosto, 73/2017, de 16 de agosto, e 14/2018, de 19 de março, e que têm

incidido, entre outras, no regime jurídico das compensações em caso de cessação do contrato de trabalho. Tais

modificações decorreram, por um lado, da necessidade sentida pelo Governo e pelos parceiros sociais em

alterar o regime em vigor, e por outro, da obrigação decorrente dos compromissos internacionais assumidos

pelo Estado português no âmbito do programa de ajuda financeira a Portugal.

Com vista a alcançar tais objetivos, o Governo assinou com os parceiros sociais em sede da Comissão

Permanente de Concertação Social, o Acordo Tripartido para a Competitividade e Emprego, de 22 de março de

20112 e o Compromisso para o Crescimento, Competitividade e Emprego, de 18 de janeiro de 20123. Para além

destes acordos, o Estado português assumiu um outro tipo de compromissos com reflexo direto em matéria

laboral, o Memorando de Entendimento sobre as Condicionalidades de Política Económica, de 17 de maio de

20114. Na sequência destes acordos e compromissos procedeu-se a um conjunto de reformas da legislação

laboral, consubstanciadas nas diversas revisões do CT2009.

Dando cumprimento aos compromissos assumidos no seio do Acordo Tripartido procedeu-se à segunda

alteração ao Código do Trabalho de 2009, com a publicação da Lei n.º 53/2011, de 14 de outubro5, que

estabeleceu um novo sistema de compensação em diversas modalidades de cessação do contrato de trabalho,

aplicável aos novos contratos de trabalho. Este diploma introduziu modificações da compensação por cessação

do contrato de trabalho, aplicável aos novos contratos e refletiu uma diminuição da compensação devida, ao

passar de 30 para 20 dias por cada ano de antiguidade em sede das diversas modalidades de cessação do

contrato de trabalho, nomeadamente por caducidade do contrato a termo (n.º 3 do artigo 344.º), por caducidade

do contrato de trabalho temporário (n.º 4 do artigo 177.º), por caducidade do contrato de trabalho por morte do

2 Subscrito pelo XVIII Governo Constitucional, CCP – Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, CIP – Confederação Empresarial de Portugal, CTP – Confederação do Turismo Português e UGT – União Geral de Trabalhadores, em 22 de março de 2011. 3 Conselho Económico e Social – Comissão Permanente de Concertação Social, Compromisso para o Crescimento, Competitividade e Emprego, de 18 de janeiro de 2012. 4 Assinado em 17 de maio de 2011, no qual o Estado Português assume um conjunto de compromissos perante a União Europeia, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu. 5 Teve origem na proposta de lei n.º 2/XII (1.ª).

Páginas Relacionadas
Página 0109:
5 DE JULHO DE 2018 109  N.º 2 GP PSD PS BE CDS-PP PCP Favor X X X
Pág.Página 109
Página 0110:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 110 mereceu a oposição da CGTP, foi posterior
Pág.Página 110
Página 0111:
5 DE JULHO DE 2018 111 mediação, e inclusão dos regimes de parentalidade e de segur
Pág.Página 111
Página 0112:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 112 considera-se que está tudo em conformidad
Pág.Página 112
Página 0113:
5 DE JULHO DE 2018 113 – Projeto de lei n.º 900/XIII (3.ª) (Os Verdes) – Altera os
Pág.Página 113
Página 0114:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 114 – Projeto de lei n.º 552/XIII (BE) – Cons
Pág.Página 114
Página 0115:
5 DE JULHO DE 2018 115 Nota Técnica Proposta de lei n.º 136/XIII (3.ª
Pág.Página 115
Página 0116:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 116 instrumentos de regulamentação coletiva d
Pág.Página 116
Página 0117:
5 DE JULHO DE 2018 117 artigo 11.º regula a aplicação no tempo do diploma, elencand
Pág.Página 117
Página 0118:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 118 de aprovação, visto que procede à alteraç
Pág.Página 118
Página 0119:
5 DE JULHO DE 2018 119 efeitos diferida no tempo quer em relação ao artigo 501.º-A
Pág.Página 119
Página 0120:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 120 abril17, 28/2016, de 23 de agosto18, 73/2
Pág.Página 120
Página 0121:
5 DE JULHO DE 2018 121 a) A inconstitucionalidade, com força obrigatória geral, das
Pág.Página 121
Página 0122:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 122 o Dispensa de prestação de trabalho no pe
Pág.Página 122
Página 0123:
5 DE JULHO DE 2018 123 trabalho a termo resolutivo, nos termos dos artigos 139.º (R
Pág.Página 123
Página 0124:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 124 consolidada, que regula o regime jurídico
Pág.Página 124
Página 0125:
5 DE JULHO DE 2018 125 Em matéria de vigência e renovação da convenção coletiva, o
Pág.Página 125
Página 0126:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 126 registado no período 2005-2010». O
Pág.Página 126
Página 0127:
5 DE JULHO DE 2018 127 Coimbra. ISSN 0872-8267. A. XX, n.º 43 (jul./dez. 2013), p.
Pág.Página 127
Página 0128:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 128 MARQUES, Jorge Manuel Pereira – O contrat
Pág.Página 128
Página 0129:
5 DE JULHO DE 2018 129 Resumo: Segundo a autora, o contrato a termo assumiu em Port
Pág.Página 129
Página 0130:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 130 interinidad) também pode ser celebrado pa
Pág.Página 130
Página 0131:
5 DE JULHO DE 2018 131 – Substituição de um trabalhador (por exemplo nos casos de a
Pág.Página 131
Página 0132:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 132 empresa/organização. Em princípio, são os
Pág.Página 132
Página 0133:
5 DE JULHO DE 2018 133 – Projeto de lei n.º 901/XIII (3.ª) (Os Verdes) — Procede à
Pág.Página 133
Página 0134:
II SÉRIE-A — NÚMERO 136 134 como primeira subscritora.
Pág.Página 134