O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-A — NÚMERO 144 60

4 – O médico do trabalho e o psicólogo clínico, face ao estado de saúde do profissional e aos resultados da

prevenção dos riscos pode alterar a periodicidade dos exames previstos no número anterior.

5 – O médico do trabalho deve ter em consideração o resultado de exames a que o elemento policial ou

equiparado tenha sido submetido e que mantenham atualidade, devendo instituir a cooperação necessária com

o médico assistente.

Artigo 28.º

Ficha clínica

1 – As observações clínicas relativas aos exames de saúde são anotadas na ficha clínica do profissional.

2 – A ficha clínica está sujeita ao segredo profissional, só podendo ser facultada às autoridades de saúde e

aos médicos afetos ao organismo com competência para a promoção da segurança e da saúde no trabalho do

ministério responsável pela área laboral.

3 – Em caso de cessação da atividade, as fichas clínicas devem ser enviadas para o serviço com

competências para o reconhecimento das doenças profissionais na área da segurança social.

Artigo 29.º

Ficha de aptidão

1 – Face ao resultado do exame, periódico ou ocasional, o médico do trabalho ou o psicólogo clínico deve,

imediatamente na sequência do exame realizado, preencher uma ficha de aptidão e remeter, no prazo de 24

horas, uma cópia ao responsável dos serviços de recursos humanos ou de pessoal.

2 – Se o resultado do exame de saúde revelar a inaptidão do elemento policial ou equiparado, o médico do

trabalho deve, imediatamente, comunicar por escrito, ao responsável dos serviços de recursos humanos ou de

pessoal e, sendo caso disso, indicar outras funções que aquele possa desempenhar.

3 – A ficha de aptidão não pode conter elementos que envolvam segredo profissional.

4 – A ficha de aptidão deve ser dada a conhecer ao elemento policial ou equiparado.

5 – Sempre que a repercussão do trabalho e das condições em que o mesmo é prestado se revelar nociva

para a saúde do elemento policial ou equiparado, o médico do trabalho deve comunicar tal facto ao responsável

pelo serviço de segurança e saúde no trabalho.

6 – O modelo da ficha de aptidão é fixado por portaria conjunta dos membros do Governo responsáveis pela

área laboral e pela área da saúde.

CAPÍTULO VI

Disposições complementares, finais e transitórias

Artigo 30.º

Comunicações

1 – Sem prejuízo de outras notificações previstas na lei, a Instituição deve comunicar ao organismo

competente para a promoção da segurança e da saúde no trabalho os acidentes mortais, bem como aqueles

que evidenciem uma situação particularmente grave, nas 24 horas a seguir à ocorrência.

2 – A comunicação prevista no número anterior deve conter a identificação do profissional acidentado e a

descrição dos factos, devendo ser acompanhado de informação e respetivos registos sobre os tempos de

trabalho prestado pelo profissional nos 30 dias que antecederam o acidente.

Artigo 31.º

Informação sobre a atividade anual do serviço de segurança e da saúde no trabalho

A Instituição deve prestar, no quadro da informação relativa à atividade social da organização, informação

sobre a atividade anual desenvolvida pelo serviço de segurança e da saúde no trabalho em cada local.

Páginas Relacionadas
Página 0050:
II SÉRIE-A — NÚMERO 144 50 PROJETO DE LEI N.º 963/XIII (3.ª) CONDIÇÕE
Pág.Página 50
Página 0051:
18 DE JULHO DE 2018 51 Por fim, a garantia de que os profissionais das Forças e Ser
Pág.Página 51
Página 0052:
II SÉRIE-A — NÚMERO 144 52 c) «Representante dos profissionais», o agente policial
Pág.Página 52
Página 0053:
18 DE JULHO DE 2018 53 e) Adaptação do trabalho à pessoa, especialmente no que se r
Pág.Página 53
Página 0054:
II SÉRIE-A — NÚMERO 144 54 2 – As obrigações do elemento policial ou equiparado no
Pág.Página 54
Página 0055:
18 DE JULHO DE 2018 55 atividades de segurança e de saúde no trabalho deve ser asse
Pág.Página 55
Página 0056:
II SÉRIE-A — NÚMERO 144 56 a) Serviço interno; b) Serviço partilhado.
Pág.Página 56
Página 0057:
18 DE JULHO DE 2018 57 SECÇÃO III Serviço partilhado Artigo 18
Pág.Página 57
Página 0058:
II SÉRIE-A — NÚMERO 144 58 n) Elaborar as participações obrigatórias em caso de aci
Pág.Página 58
Página 0059:
18 DE JULHO DE 2018 59 equipamentos utilizados. 2 – As informações referidas
Pág.Página 59
Página 0061:
18 DE JULHO DE 2018 61 Artigo 32.º Notificações e comunicações
Pág.Página 61