O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

16 DE OUTUBRO DE 2018

57

Os Deputados de Os Verdes: José Luís Ferreira — Heloísa Apolónia.

————

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 1862/XIII/4.ª

RECOMENDA AO GOVERNO A REQUALIFICAÇÃO URGENTE DA ESCOLA SECUNDÁRIA DA

PORTELA (ARCO-ÍRIS), NO CONCELHO DE LOURES

A Escola Secundária da Portela (Arco-Íris), escola-sede do Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide,

no concelho de Loures, iniciou a sua atividade a 11 de outubro de 1988 e, devido à falta de investimento e de

manutenção ao longo dos anos, encontra-se num avançado estado de degradação apresentando inúmeros

problemas.

Inicialmente, existia apenas um pavilhão onde, além das salas de aula, funcionavam também todos os

serviços. Posteriormente, foram construídos outros pavilhões para fazer face às necessidades, devido ao

número crescente de alunos, tendo sido também construído um pavilhão gimnodesportivo.

Atualmente, esta escola acolhe 45 turmas: 20 turmas do 3.º ciclo, 21 turmas do ensino secundário e 4 turmas

do ensino profissional, na área do desporto.

À semelhança do que sucede com muitos estabelecimentos de ensino em Portugal, a Escola Secundária da

Portela não tem tido obras profundas, o que acabou por resultar num conjunto de problemas que condicionam

o seu normal funcionamento e comprometem o bem-estar da comunidade escolar.

Desta forma, os problemas são inúmeros e constam do relatório que resultou da vistoria realizada em 12 de

abril de 2017 pela Delegada de Saúde da Unidade de Saúde Pública Loures-Odivelas (Agrupamento de Centros

de Saúde Loures-Odivelas), ao abrigo do projeto de vigilância das condições de segurança, higiene e saúde dos

estabelecimentos de ensino.

Na sequência dessa vistoria, o referido relatório evidencia de forma clara várias anomalias, como a

degradação da pintura, existência de fissuras e humidade, de coberturas com fibrocimento degradadas,

problemas na rede de esgotos das instalações sanitárias, desnivelamento e mau estado dos pavimentos, falta

de sistema de aquecimento, bebedouros avariados, ausência de plano de higienização, entre outros.

Nesta escola, chegou mesmo a ocorrer a queda de placas de fibra de vidro e de estruturas metálicas do teto

da sala de ginástica, o que obrigou à interdição do espaço.

Importa acrescentar que este relatório, não só referiu as anomalias da escola, como também apresentou as

respetivas medidas a implementar com vista à respetiva resolução.

Além dos problemas descritos, também o pavilhão gimnodesportivo se encontrava degradado e com

infiltrações.

A este propósito importa destacar que esta escola não está sob a responsabilidade do Municipio, ainda assim,

a reparação desse pavilhão foi promovida pela Camara Municipal de Loures.

Todos os outros problemas se mantêm, sendo de salientar que o investimento para a requalificação e

modernização da Escola Secundária da Portela integrou a Fase 4 do Programa de Modernização das Escolas

com Ensino Secundário, conforme Despacho n.º 5904/2011, de 5 de abril.

Contudo, em 2011, o XIX Governo Constitucional determinou a suspensão da contratação de projetos ou o

início de execução de novos projetos a desenvolver no âmbito deste programa, cancelando, assim, o

investimento previsto.

Ora, devido a esta situação, a Escola Secundária da Portela encontra-se numa situação que compromete o

seu normal funcionamento, afetando todos os profissionais e os alunos que frequentam este estabelecimento

de ensino e pondo em causa o bem-estar e a saúde de toda a comunidade escolar.

Face a esta situação, é inegável que a Escola Secundária da Portela necessita de uma reabilitação urgente,

indispensável à garantia do direito à educação e como forma de proporcionar condições adequadas a todos os

que aí estudam e trabalham, sendo incompreensível o facto de não estar incluída na lista de escolas que o

Ministério da Educação previa intervencionar em 2018.

Páginas Relacionadas
Página 0002:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 2 RESOLUÇÃO DESLOCAÇÃO DO PRESID
Pág.Página 2
Página 0003:
16 DE OUTUBRO DE 2018 3 PARTE I – CONSIDERANDOS I. a) Nota introdutór
Pág.Página 3
Página 0004:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 4 a) Prevenir e controlar a poluição e os seus
Pág.Página 4
Página 0005:
16 DE OUTUBRO DE 2018 5 A 31 de dezembro de 2014 foi publicada a reforma da
Pág.Página 5
Página 0006:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 6 utilização de microplásticos em produtos de
Pág.Página 6
Página 0007:
16 DE OUTUBRO DE 2018 7 I. Análise sucinta dos factos, situações e realidades respe
Pág.Página 7
Página 0008:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 8 Em caso de aprovação esta iniciativa revesti
Pág.Página 8
Página 0009:
16 DE OUTUBRO DE 2018 9 O Estado português tem desenvolvido regulamentação específi
Pág.Página 9
Página 0010:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 10  Enquadramento doutrinário/bibliográfico
Pág.Página 10
Página 0011:
16 DE OUTUBRO DE 2018 11 aumentar de volume e são provenientes de diversas fontes,
Pág.Página 11
Página 0012:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 12 Os plásticos marinhos podem ter impactos ec
Pág.Página 12
Página 0013:
16 DE OUTUBRO DE 2018 13 eficiente em termos de recursos e competitiva, servindo co
Pág.Página 13
Página 0014:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 14 eficaz em termos de custos, melhorando a ra
Pág.Página 14
Página 0015:
16 DE OUTUBRO DE 2018 15 reduzir os níveis de descarga dessas fontes, tendo apresen
Pág.Página 15
Página 0016:
II SÉRIE-A — NÚMERO 14 16 apreciação no grupo de trabalho «Resíduos d
Pág.Página 16