O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

4 DE MARÇO DE 2020

131

Diretiva (UE) 2017/828, relativa a direitos dos acionistas de sociedades cotadas no que concerne ao seu

envolvimento a longo prazo.

A iniciativa é apresentada nos termos do n.º 1 do artigo 119.º do RAR e, conforme disposto no n.º 2 do

artigo 123.º do RAR, é subscrita pelo Primeiro-Ministro e pelo Ministro de Estado e das Finanças e pelo

Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, e refere ter sido aprovada em Conselho de Ministros no dia

16 de janeiro de 2020, conforme o disposto no n.º 2 do artigo 123.º do RAR e no n.º 2 do artigo 13.º da lei

formulário, respeita os limites à admissão da iniciativa, previstos no n.º 1 do artigo 120.º do RAR, cumpre os

requisitos formais elencados no n.º 1 do artigo 124.º do Regimento, uma vez que está redigida sob a forma de

artigos, tem uma designação que traduz sinteticamente o seu objeto principal e é precedida de uma exposição

de motivos, cujos elementos são enumerados no n.º 2 da mesma disposição regimental.

Para cumprimento da lei formulário sugere-se o seguinte título: «Transpõe a Diretiva (UE) 2017/828,

relativa a direitos dos acionistas de sociedades cotadas no que concerne ao seu envolvimento a longo prazo,

altera o Código dos Valores Mobiliários, o Regime Geral dos Organismos de Investimento Coletivo e o Regime

Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras, e revoga a Lei n.º 28/2009, de 19 de junho».

Nesta fase do processo legislativo a Proposta de Lei em análise não levanta mais questões relativamente

ao cumprimento da Lei Formulário.

Nos termos do n.º 3 do artigo 124.º do Regimento, as propostas de lei devem ser acompanhadas dos

estudos, documentos e pareceres que as tenham fundamentado, nesta iniciativa o Governo remeteu à

Assembleia da República, e estão disponíveis na para consulta, os pareceres das seguintes entidades,

elencadas na exposição de motivos:

– Euronext Lisbon S.A.;

– Associação Portuguesa de Bancos;

– Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios;

– Conselho Nacional de Supervisores Financeiros;

– Associação de Investidores e Analistas Técnicos do Mercado de Capitais;

– Comissão Nacional de Proteção de Dados.

A presente iniciativa deu entrada a 30 de janeiro de 2020, a 4 de fevereiro foi admitida e baixou à Comissão

de Orçamento e Finanças.

 Objeto, motivação e conteúdo da iniciativa

Com a presente iniciativa, o Governo pretende assegurar a transposição «para a ordem jurídica interna, a

Diretiva (UE) 2017/828, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 17 de maio de 2017, que altera a Diretiva

2007/36/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de julho de 2007, relativa ao exercício de certos

direitos dos acionistas de sociedades cotadas, no que se refere aos incentivos ao envolvimento dos acionistas

a longo prazo».

Segundo o Governo «a Diretiva (UE) 2017/828 estabelece os seguintes objetivos essenciais:

i) Facilitar a identificação dos acionistas, simplificação do exercício dos direitos dos acionistas e

transmissão de informação;

ii) Aumentar as regras de transparência relativas a investidores institucionais, gestores de ativos e

consultores em matéria de votação;

iii) Reforçar o controlo acionista sobre a política remuneratória dos administradores das sociedades

cotadas;

iv) Introduzir um regime de controlo acionista sobre transações com partes relacionadas».

Para o efeito serão alterados o Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de

13 de novembro, na sua redação atual (Código dos Valores Mobiliários); o Regime Geral dos Organismos de

Investimento Coletivo aprovado em anexo à Lei n.º 16/2015, de 24 de fevereiro, na sua redação atual (Regime

Geral dos Organismos de Investimento Coletivo); o Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades

Financeiras, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 298/92, de 31 de dezembro, na sua redação atual (Regime Geral

Páginas Relacionadas
Página 0130:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 130 serviços e capitais no espaço da União Eur
Pág.Página 130
Página 0132:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 132 das Instituições de Crédito e Sociedades F
Pág.Página 132
Página 0133:
4 DE MARÇO DE 2020 133 PARTE II – OPINIÃO DO DEPUTADO AUTOR DO PARECER <
Pág.Página 133
Página 0134:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 134 Elaborada por: João Sanches (Biblio
Pág.Página 134
Página 0135:
4 DE MARÇO DE 2020 135 negociação em mercado regulamentado» como também pelo facto
Pág.Página 135
Página 0136:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 136 termos dos respetivos registos»; o
Pág.Página 136
Página 0137:
4 DE MARÇO DE 2020 137 pela Lei n.º 69/2019, de 28 de agosto23 . O diploma em
Pág.Página 137
Página 0138:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 138 Lei n.º 16/2015, de 24 de fevereiro, que a
Pág.Página 138
Página 0139:
4 DE MARÇO DE 2020 139 ordem da alteração introduzida e, caso tenha havido alteraçõ
Pág.Página 139
Página 0140:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 140 Tendo em conta o importante papel desempen
Pág.Página 140
Página 0141:
4 DE MARÇO DE 2020 141 Governo38 , o autor remeteu à Assembleia da República,
Pág.Página 141
Página 0142:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 142 sobre a identificação dos acionistas, remu
Pág.Página 142
Página 0143:
4 DE MARÇO DE 2020 143 ANEXO I QUADRO COMPARATIVO – Proposta de Lei n.º 13/X
Pág.Página 143
Página 0144:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 144 Código dos Valores Mobiliários Artigo 2.º
Pág.Página 144
Página 0145:
4 DE MARÇO DE 2020 145 Código dos Valores Mobiliários Artigo 2.º da Proposta de Lei
Pág.Página 145
Página 0146:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 146 Código dos Valores Mobiliários Artigo 2.º
Pág.Página 146
Página 0147:
4 DE MARÇO DE 2020 147 Código dos Valores Mobiliários Artigo 2.º da Proposta de Lei
Pág.Página 147
Página 0148:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 148 Código dos Valores Mobiliários Artigo 2.º
Pág.Página 148
Página 0149:
4 DE MARÇO DE 2020 149 Código dos Valores Mobiliários Artigo 2.º da Proposta de Lei
Pág.Página 149
Página 0150:
II SÉRIE-A — NÚMERO 56 150 Regime Geral das Instituições de Crédito e
Pág.Página 150