O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-A — NÚMERO 113

42

privados, integradas no Serviço Nacional de Saúde e o Decreto-Lei n.º 111/2017, de 31 de agosto, estabelece

o regime legal da carreira especial de técnico superior das áreas de diagnóstico e terapêutica, doravante

designada TSDT, e os requisitos de habilitação profissional.

No entanto a aprovação da carreira não foi acompanhada do respetivo diploma que define os critérios de

transição e a tabela remuneratória, o que só veio a acontecer dois anos depois. Só em 2019 foi aprovado o

Decreto-Lei n.º 25/2019, de 11 de fevereiro, que estabelece o número de posições remuneratórias das

categorias da carreira especial de técnico superior das áreas de diagnóstico e terapêutica e identifica os

respetivos níveis da tabela remuneratória única.

A publicação do Decreto-Lei n.º 25/2019, de 11 de fevereiro, defraudou completamente as legítimas

aspirações e reivindicações destes trabalhadores e fez tábua dos anos de trabalho, do conhecimento e das

competências atualmente detidas por estes profissionais, aspetos que consideramos inaceitáveis. A sua

publicação decorre de um posicionamento unilateral do Governo, ao romper com as negociações que estavam

a decorrer com as estruturas representativas dos trabalhadores, constituiu um rude golpe nas legítimas

expectativas criadas aos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica.

O desfasamento de dois anos entre a publicação dos diplomas sobre o regime da carreira e o diploma que

define os critérios de transição e a tabela remuneratória, introduziu enormes injustiças. O descongelamento

das carreiras a partir de 2018 foi efetuado na antiga carreira e não na atual, porque ainda não estavam

definidas matérias tão importantes como a transição ou a tabela remuneratória, o que foi extremamente

prejudicial para os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica. A não definição das normas de transição

para a nova carreira não é da responsabilidade dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, mas sim

do Governo, mas os grandes penalizados foram estes trabalhadores, porque o descongelamento não permitiu

a valorização que tinham direito na progressão da carreira.

Outro aspeto que mereceu uma grande contestação foi o facto de a esmagadora maioria dos técnicos

superiores de diagnóstico e terapêutica terem transitado para a primeira categoria, incluindo profissionais com

mais de 25 anos de trabalho, não lhes sendo reconhecido a sua experiência profissional, nem o conhecimento

adquirido ao longo destes anos, ao mesmo tempo que não faz a diferenciação com quem acabou de ingressar

na carreira. A transição não acautelou também a integração nas três categorias que compõem a estrutura da

carreira.

A criação das carreiras profissionais e a inerente progressão, em termos gerais, e, de forma particular, no

Serviço Nacional de Saúde contribuíram para a melhoria da prestação de cuidados de saúde e constituem um

elemento central para a valorização social e profissional dos trabalhadores do setor da saúde, e, no caso em

apreço dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica.

O PCP entende que a discussão, a reposição, alteração e criação de novas carreiras na Administração

Pública é matéria de âmbito da negociação coletiva entre as organizações representativas dos trabalhadores e

o Governo. Esta matéria deve envolver profundamente os trabalhadores e as suas organizações

representativas, num processo sério e eficaz. Sempre denunciámos e exigimos o cumprimento desse direito

constitucional. Porém, numa situação em que o Governo recusou prosseguir a negociação coletiva, que não

considerou as propostas e reivindicações dos trabalhadores, não podemos deixar de intervir para defender os

profissionais, os utentes e o Serviço Nacional de Saúde.

Na presente iniciativa legislativa propomos soluções concretas para valorizar a carreira dos técnicos

superiores de diagnóstico e terapêutica, nomeadamente que o descongelamento seja feito na atual carreira e

não na antiga, tal como aconteceu com outras carreiras publicadas na mesma altura, de forma a que todo os

anos de trabalho sejam efetivamente considerados para efeitos de progressão na carreira; a eliminação de

quotas no acesso às categorias superiores na carreira; que na transição para a nova carreira, todas as

categorias sejam preenchidas e salvaguardamos, ainda, que este regime se aplique a todos os trabalhadores,

independentemente do vínculo.

Só a garantia do respeito pelos direitos dos profissionais de saúde, a valorização e progressão das

carreiras, níveis de remuneração adequados – fatores que influenciam a motivação e o empenhamento dos

profissionais de saúde – é que permitem defender e reforçar o Serviço Nacional de Saúde, pelo que se impõe

que seja feita essa valorização.

Nestes termos, ao abrigo da alínea b) do artigo 156.º da Constituição e da alínea b) do n.º 1 do artigo 4.º do

Regimento, os Deputados da Grupo Parlamentar do PCP apresentam o seguinte projeto de lei:

Páginas Relacionadas
Página 0046:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 46 Artigo 5.º Entrada em vigor
Pág.Página 46
Página 0047:
1 DE JULHO DE 2020 47 Por outro lado, ainda no âmbito do Programa do XXII Governo C
Pág.Página 47
Página 0048:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 48 desnecessários por parte da entidade adjud
Pág.Página 48
Página 0049:
1 DE JULHO DE 2020 49 CAPÍTULO I Disposições gerais
Pág.Página 49
Página 0050:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 50 Artigo 4.º Procedimentos pré
Pág.Página 50
Página 0051:
1 DE JULHO DE 2020 51 128.º, 129.º, 132.º, 136.º, 139.º, 140.º, 145.º, 147.º, 155.º
Pág.Página 51
Página 0052:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 52 2 – As entidades adjudicantes ficam dispe
Pág.Página 52
Página 0053:
1 DE JULHO DE 2020 53 8 – [Revogado]. 9 – [Revogado]. 10 – [Revoga
Pág.Página 53
Página 0054:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 54 Artigo 40.º […] 1 –
Pág.Página 54
Página 0055:
1 DE JULHO DE 2020 55 entidade adjudicante preveja a elaboração do projeto de execu
Pág.Página 55
Página 0056:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 56 4 – O incumprimento do dever de identific
Pág.Página 56
Página 0057:
1 DE JULHO DE 2020 57 2 – […]. Artigo 57.º […]
Pág.Página 57
Página 0058:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 58 5 – As decisões de prorrogação proferidas
Pág.Página 58
Página 0059:
1 DE JULHO DE 2020 59 4 – […]. Artigo 74.º […]
Pág.Página 59
Página 0060:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 60 3 – […]. 4 – […]. 5
Pág.Página 60
Página 0061:
1 DE JULHO DE 2020 61 7 – […]. 8 – O órgão competente para a decisão de co
Pág.Página 61
Página 0062:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 62 Artigo 88.º […] 1 –
Pág.Página 62
Página 0063:
1 DE JULHO DE 2020 63 posteriores à decisão de contratar, caso seja necessário dar
Pág.Página 63
Página 0064:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 64 3 – […]. 4 – […]. 5
Pág.Página 64
Página 0065:
1 DE JULHO DE 2020 65 l) […]; m) […]; n) A modalidade do critério de
Pág.Página 65
Página 0066:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 66 3 – […]. Artigo 145.º <
Pág.Página 66
Página 0067:
1 DE JULHO DE 2020 67 f) […]; g) […]; h) […]; i) […]; j
Pág.Página 67
Página 0068:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 68 Artigo 197.º […]
Pág.Página 68
Página 0069:
1 DE JULHO DE 2020 69 Artigo 276.º […] 5 – […]. 6 – [
Pág.Página 69
Página 0070:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 70 5 – Ao gestor do contrato podem ser deleg
Pág.Página 70
Página 0071:
1 DE JULHO DE 2020 71 Artigo 344.º […] 1 – […].
Pág.Página 71
Página 0072:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 72 3 – O dono da obra dispõe de 15 dias para
Pág.Página 72
Página 0073:
1 DE JULHO DE 2020 73 f) Se ocorrerem desvios ao plano de trabalhos e o empreiteiro
Pág.Página 73
Página 0074:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 74 a) €5 350 000, para os contratos de
Pág.Página 74
Página 0075:
1 DE JULHO DE 2020 75 Artigo 361.º-A Plano de pagamentos 1 –
Pág.Página 75
Página 0076:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 76 3 – O autor dispõe de cinco dias para res
Pág.Página 76
Página 0077:
1 DE JULHO DE 2020 77 ANEXO (a que se refere o artigo 10.º)
Pág.Página 77
Página 0078:
II SÉRIE-A — NÚMERO 113 78 Código CPV Descrição 79995000-5 a 7
Pág.Página 78
Página 0079:
1 DE JULHO DE 2020 79 ANEXO XIII Modelos de declaração de inexistênci
Pág.Página 79