O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

10 | II Série B - Número: 138 | 17 de Junho de 2009

Assunto: Lay-off e perigo da deslocalização da Regency Têxteis Portuguesa Destinatário: Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Deputadas: Mariana Aiveca e Alda Macedo A Regency Têxteis Portuguesa é uma empresa de confecções que está instalada em Vilarelho (concelho de Caminha) desde 1990, empregando actualmente cerca de 170 trabalhadores, tendo beneficiado na época da sua instalação de importantes apoios municipais. Recentemente, alegando dificuldades económicas e financeiras, a sua gerência comunicou aos trabalhadores a entrada em lay-off parcial a partir de 1 de Junho de 2009, paralisando a actividade em dois dias por semana e fazendo recair sobre a segurança social o pagamento de parte do salário desses dias.
A Regency é uma subsidiária da multinacional indiana Raymond Limited, o maior grupo empresarial têxtil da índia, que detêm 100% do seu capital, e que regista no relatório de contas de 2008-2009, datado de Abril último, um crescimento nas vendas e nos lucros relativamente ao ano anterior, apesar de fazer menção ao impacto da crise no úitímo trimestre. Esse mesmo documento evidencia a execução de cortes radicais nos custos, que passaram pelo encerramento de duas fábricas subsidiárias, nos Estados Unidos e na Bélgica. Em relação à fábrica em Portugal, o relatório refere perdas e confessa desinvestimento na Regency. Ainda segundo esse relatório, as maiores apostas da Raymond passam agora pela própria índia e, na Europa, pela Roménia, devido aos baixos custos operacionais, presume-se que de mão-de-obra.
Todos estes indícios nos inquietam sobre o futuro da Regency, porque as suas trabalhadoras e trabalhadores não podem ser utilizados como recursos descartáveis e

REQUERIMENTO N.º /X ( )
PERGUNTA N.º 2569/X (4.ª) Ex.mo Sr. Presidente da Assembleia da República