O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-B — NÚMERO 176

10

PETIÇÃO N.º 26/XI (1.ª)

(APRESENTADA POR NUNO DAVID ALPENDRINHO DA COSTA FERRO E OUTROS, EXIGINDO À

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA QUE AS ENTIDADES COMPETENTES ENCONTREM A MELHOR

SOLUÇÃO PARA QUE OS UTENTES REGULARES DA AUTO-ESTRADA A21 NÃO SE SINTAM

PENALIZADOS PELO AUMENTO DAS PORTAGENS)

Relatório final da Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicações

Parte I

Introdução

A presente petição online, subscrita por 5200 cidadãos, deu entrada na Assembleia da República a 2 de

Fevereiro de 2010 e, por determinação de S. Ex.ª o Presidente da Assembleia da República, foi remetida à

Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicações, onde foi admitida em 6 de Abril p.p..

A presente petição foi elaborada nos termos do artigo 52.º da Constituição da República Portuguesa e do

artigo 232.º do Regimento da Assembleia da República e cumpre os requisitos formais estabelecidos no artigo

9.º da Lei do Exercício do Direito de Petição (LDP) aprovada pela Lei n.º 43/90, de 10 de Agosto, com as

alterações introduzidas pela Lei n.º 6/93, de 1 de Março, pela Lei n.º 15/2003, de 4 de Junho, e pela Lei n.º

45/2007, de 24 de Agosto.

Em cumprimento do disposto na alínea a), do n.º 1 do artigo 24.º da LDP a petição, por ter mais de 4.000

assinaturas deverá ser, obrigatoriamente, apreciada em Plenário.

Por outro lado, em função do número de assinaturas contidas na presente petição, esta deverá ser

publicada na íntegra no Diário da Assembleia da República nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 26.º da

LDP, bem como a audição obrigatória dos primeiros peticionários em sede de Comissão Parlamentar em

cumprimento do n.º 1 do artigo 21.º da LDP.

Parte II

Objecto

Através da presente petição, os seus subscritores consideram, em síntese, o seguinte:

— A maioria dos utilizadores frequentes da A21 não pode comportar um aumento mensal de 60 euros pela

utilização daquela auto-estrada;

— Os troços alternativos à A21 serem estradas nacionais que implicam a demora do dobro do tempo no

percurso e que veriam agravados os seus já existentes problemas de fluidez se se adensasse ainda mais o

tráfego;

— A maioria dos residentes trabalhar em Lisboa ou na zona Este do concelho e utilizar, por esse facto,

estes percursos;

— Não existe uma rede de transportes públicos que possa satisfazer cabalmente as necessidade da

população local;

— E o facto de, no País, existirem outras auto-estradas sem portagens.

Parte III

Audição dos peticionários

Os peticionários foram ouvidos, em audiência, em 14 de Junho p.p., na qual para além de terem reiterado o

pedido e os termos que constam da petição, a audiência serviu para os peticionários detalharem os

fundamentos que levaram à apresentação desta.

Páginas Relacionadas
Página 0004:
II SÉRIE-B — NÚMERO 176 4 Os psicólogos clínicos em funções no Centro
Pág.Página 4
Página 0005:
24 DE JULHO DE 2010 5 Não é aceitável que o Governo faça agora entrar ―pela janela‖
Pág.Página 5