O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-B — NÚMERO 6

18

respeitam. Algo que não aconteceu com o atleta Bernardo Silva, um dos melhores jogadores portugueses da

atualidade, de ética desportiva irrepreensível, de fair play reconhecido e elogiado por todos os treinadores e

jogadores, que foi vítima destas confusões quando, por brincar com um grande amigo numa rede social, foi

condenado pela federação inglesa a um jogo de suspensão, multa de 58 mil euros e a frequentar um programa

de educação presencial, por atos racistas.

Esta decisão é incompreensível, pois a própria federação concluiu que o jogador «não teve a intenção de

insultar ou fazer um comentário racista» e que «foi mais uma brincadeira entre dois amigos», além da suposta

vítima vir publicamente defender Bernardo Silva e oferecer-se mesmo para pagar a multa.

Estas confusões não favorecem o combate ao racismo, antes pelo contrário.

Pelo exposto a Assembleia da República decide:

1 – Repudiar e condenar toda e qualquer prática de racismo, nomeadamente no desporto;

2 – Solidarizar-se com o jogador internacional Bernardo Silva, vítima de uma decisão que o condenou,

injustamente, por um ato que nunca cometeu, nem cometeria.

Assembleia da República, 19 de novembro de 2019.

Os Deputados do CDS-PP: Cecília Meireles — Telmo Correia — Ana Rita Bessa — João Pinho de Almeida

— Assunção Cristas.

Outros subscritores: João Gouveia (PS) — Paulo Neves (PSD).

———

VOTO N.º 59/XIV/1.ª

DE PESAR PELAS VÍTIMAS DA ESTRADA, POR OCASIÃO DO DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS

VÍTIMAS DA ESTRADA

O Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada, que tem como objetivo a evocação pública das vítimas

de acidentes de trânsito e suas famílias, foi, este ano, assinalado no passado 17 de novembro, em Évora, sob

o tema «A vida não é uma peça de automóvel» (Life is not a car part), baseado no Pilar 3 do Plano Global para

a Década de Ação para a Segurança Rodoviária – veículos mais seguros.

Apesar dos esforços no sentido da diminuição da sinistralidade rodoviária, com a renovação das vias

rodoviárias, a atualização do parque automóvel e a melhoria da resposta da emergência médica, o número de

vítimas é ainda intolerável: de 1 de janeiro a 15 de novembro deste ano, registaram-se 416 vítimas mortais,

1966 feridos graves e 36 544 feridos ligeiros.

Estes indicadores, com a devastação emocional e económica que lhe está subjacente, impõem de todos –

órgãos de soberania, autoridades nacionais e população em geral – um redobrar de esforços nas medidas de

combate e prevenção deste flagelo nacional.

A Assembleia da República, reunida em sessão plenária, presta a sua homenagem às vítimas da estrada,

manifesta a sua solidariedade às respetivas famílias e reconhece o contributo das forças de segurança, das

equipas de emergência e dos restantes profissionais de saúde que diariamente lidam com esta trágica

realidade.

Palácio de São Bento, 21 de novembro de 2019.

O Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues.

Outros subscritores: Nuno Fazenda (PS) — Santinho Pacheco (PS) — Cristina Moreira (PS) — Marta

Freitas (PS) — Joaquim Barreto (PS) — Paulo Neves (PSD) — Elza Pais (PS) — Clarisse Campos (PS) —

Páginas Relacionadas
Página 0011:
22 DE NOVEMBRO DE 2019 11 Firmino Marques — Sérgio Marques — Helga Correia — Carla
Pág.Página 11