O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

14 DE DEZEMBRO DE 2019

11

sustentável, entregue pelo Global Sustainable Tourism Council, tornando-se, desta forma, na primeira região

do País e único arquipélago do mundo a conseguir tal feito.

Esta notícia surge numa altura em que as alterações climáticas estão na ordem do dia e preenchem as

preocupações de todos nós.

Mas esta distinção surge também na semana em que a jovem Greta Thunberg esteve em Portugal para

tentar ensinar ao povo português o que há muito já se sabe: é preciso alterar hábitos de consumo e de vida da

sociedade para combater os efeitos nocivos que a revolução industrial teve e continua a ter no planeta Terra.

Esta honra atribuída aos Açores é a prova daquilo que o Chega defende: uma preocupação com o clima

sustentada numa estratégia de economia sustentável que evite o encerramento de fábricas e empresas e,

consequentemente, o despedimento de milhares de trabalhadores em todo o mundo. Para tal, sublinhe-se, é

necessário apoiar os empresários e ajudá-los a mudar o paradigma da sua atividade.

É isto que queremos deixar claro: sem uma estratégia de inteligência económica não será possível dar

início a um processo de transição adequado que salvaguarde, não só a saúde do planeta, como também a

sobrevivência de todos nós que aqui vivemos, pois sem empregos a longo prazo não é possível viver.

Ao tornar-se na primeira região de Portugal a merecer tão importante distinção, o arquipélago dos Açores

mostra ao mundo, e em particular aos Deputados portugueses que não perderam a oportunidade de lisonjear

de forma servil a jovem Greta – que deveria estar a frequentar as aulas para completar a sua formação – que

com trabalho e uma estratégia pensada e financeiramente inteligente é possível alterar o paradigma das

alterações climáticas.

Esta distinção mostra-nos também que é possível continuar a promover o turismo, um dos pilares da

economia nacional, sem colocar em causa aquele que é o valor da cultura local e as nossas tradições.

A Assembleia da República vem assim, com grande satisfação política, congratular o esforço promovido e

desenvolvido pelo Governo Regional dos Açores em tornar esta região do país num exemplo a seguir, não só

em Portugal, como no mundo inteiro.

Palácio de São Bento, 10 de dezembro de 2019.

O Deputado do CH, André Ventura.

———

VOTO N.º 109/XIV/1.ª

DE CONGRATULAÇÃO PELA PRESENÇA DE QUATRO UNIVERSIDADES PORTUGUESAS NO

RANKING DAS 100 MELHORES DO MUNDO DO FINANCIAL TIMES

A semana começou com a boa notícia de que quatro universidades portuguesas se encontram no top 100

do Financial Times. Esta classificação prova como o ensino Português é reconhecido internacionalmente e

como o seu valor é inegável, o que só nos pode encher de orgulho e respeito por estas instituições de ensino.

Contudo, o Governo continua a assistir à emigração dos nossos elementos mais qualificados sem tomar

medidas capazes de contrariar esta tendência. Os mais recentes dados revelados pelo Instituto Nacional de

Estatística, há menos de um mês, revelam que a chamada emigração permanente passou de 28,7% em 2017

para 40% em 2018, um valor similar registado ao de 2016.

O facto de Portugal ter quatro universidades entre as 100 melhores do mundo só mostra como os nossos

cursos estão adaptados à atualidade, preparando, desta forma, os nossos estudantes para os desafios do

mercado de trabalho que os espera e os recebe.

Infelizmente, porém, não é o mercado português que os acolhe, pois a política de baixos salários não é

atrativa para quem passa anos a estudar, investindo as suas poupanças, ou a dos seus pais, na sua formação.

E quando os salários são atrativos, as vagas não são suficientes.

A política de retenção de jovens licenciados deve ser encarada com seriedade e não com a leviandade

Páginas Relacionadas
Página 0018:
II SÉRIE-B — NÚMERO 10 18 Palácio de São Bento, 10 de dezembro
Pág.Página 18