O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-B — NÚMERO 6

4

O Presidente da Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, Sérgio Sousa Pinto.

Outros subscritores: Francisco Rocha (PS) — Susana Correia (PS) — Sara Madruga da Costa (PSD) — Carla Madureira (PSD) — Ricardo Leão (PS) — Isabel Lopes (PSD) — Telma Guerreiro (PS) — Ivan Gonçalves (PS).

———

PROJETO DE VOTO N.º 337/XIV/2.ª DE PESAR PELA MORTE DE QUINO

Joaquín Salvador Lavado Tejón, mais conhecido por Quino, faleceu no passado dia 30 de setembro aos 88 anos na sua cidade natal, Mendoza, na Argentina.

Quino ficou mundialmente conhecido pela criação da personagem de banda desenhada Mafalda. Frequentou a Faculdade de Belas Artes, tornou-se um autor de banda desenhada e, desde 1949 começou a publicar as suas primeiras criações.

Nos anos 60, a personagem da Mafalda ganhou vida e foi publicada. Mafalda, uma menina de seis anos da classe média argentina, serviu de veículo para Quino comunicar as

suas críticas perante injustiças sociais e as suas preocupações face ao futuro da humanidade e do planeta. Mafalda e outras personagens de Quino tinham em comum o humor com que encaravam as realidades sociais e políticas a nível mundial.

Mafalda veio a ser adotada por movimentos feministas argentinos, com a aprovação de Quino, e chegou a ser utilizada em campanhas a favor da legalização do aborto. Já depois de Mafalda, Quino trabalhou ao serviço de inúmeras causas, entre elas campanhas da UNICEF, da Cruz Vermelha e até do próprio governo argentino.

Quino tornou-se o autor de banda desenhada em língua espanhola mais traduzido e vendido de sempre. Vendeu milhões de livros em todo o mundo e a sua banda desenhada está traduzida em mais de trinta línguas. Mafalda, A Contestatária foi o primeiro álbum de Quino publicado em Portugal, em 1972.

Assim, a Assembleia da República, reunida em sessão plenária, manifesta o seu pesar pelo falecimento de Quino.

Palácio de São Bento, 7 de outubro de 2020. As Deputadas e o Deputado do PAN: Bebiana Cunha — Inês de Sousa Real — Nelson Basílio Silva.

Outros subscritores: Telma Guerreiro (PS) — Ivan Gonçalves (PS).

———

PROJETO DE VOTO N.º 338/XIV/2.ª DE CONGRATULAÇÃO PELA DECISÃO DA UNIÃO EUROPEIA AO CONDENAR OS ATOS DE

VIOLÊNCIA PRATICADOS PELAS AUTORIDADES BIELORRUSSAS CONTRA MANIFESTANTES PACÍFICOS, BEM COMO OS ATOS DE INTIMIDAÇÃO E AS PRISÕES E DETENÇÕES ARBITRÁRIAS A

SEGUIR ÀS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS, CUJOS RESULTADOS A UNIÃO EUROPEIA NÃO RECONHECE

As eleições presidenciais na Bielorrússia realizaram-se a 9 de agosto de 2020, decorrendo em flagrante violação de todas as normas reconhecidas a nível internacional não tendo sido, inclusivamente, respeitadas as orientações da OSCE, organização de que a Bielorrússia faz parte.

Páginas Relacionadas
Página 0006:
II SÉRIE-B — NÚMERO 6 6 Marques — Alexandre Poço — Carla Madureira — Isabel
Pág.Página 6