O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-B — NÚMERO 14

6

Manuel Rola — Moisés Ferreira — Nelson Peralta — Ricardo Vicente — Sandra Cunha — Catarina Martins.

———

PROJETO DE VOTO N.º 398/XIV/2.ª

DE PESAR PELO FALECIMENTO DE LUÍS KALIDÁS BARRETO

Faleceu, no passado dia 30 de outubro de 2020, aos 88 anos, Luís Maria Kalidás da Costa Barreto.

Filho de um intelectual republicano de origem goesa, Luís Kalidás Barreto nasceu em Montemor-o-Novo,

em 16 de outubro de 1932, distrito de Évora, e era uma indiscutível referência da luta pelas causas e os

direitos dos trabalhadores.

Participou em iniciativas de oposição à ditadura de António de Oliveira Salazar e Marcelo Caetano,

designadamente como membro da comissão de apoio à candidatura do General Humberto Delgado à

Presidência da República, em 1958, e como organizador da Oposição Democrática em Castanheira de Pera,

nas eleições de 1969, onde, entretanto, se havia radicado.

Após ter participado ativamente na criação da Intersindical Nacional, mais tarde Confederação Geral dos

Trabalhadores Portugueses (CGTP) — em 1970, Kalidás Barreto liderou o Sindicato dos Têxteis do Centro, foi

dirigente nacional da CGTP e conselheiro técnico de missões portuguesas à Organização Internacional do

Trabalho (OIT).

Em 1975, nas primeiras eleições livres a seguir ao 25 de Abril, foi eleito Deputado à Assembleia

Constituinte, nas listas do Partido Socialista.

Em 2004, no âmbito das comemorações do 30.º aniversário do 25 de Abril, foi agraciado pelo Presidente da

República Jorge Sampaio com o grau de Grande-Oficial da Ordem da Liberdade.

Reunida em sessão plenária, a Assembleia da República expressa o seu profundo pesar pelo falecimento

de Luís Kalidás Barreto, endereçando à família e amigos as mais sentidas condolências.

Palácio de São Bento, 26 de novembro de 2020.

O Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues.

Outros subscritores: Francisco Rocha (PS) — Adão Silva (PSD) — Afonso Oliveira (PSD) — Alberto

Fonseca (PSD) — Alberto Machado (PSD) — Alexandra Tavares de Moura (PS) — Alexandre Poço (PSD) —

Alexandre Quintanilha (PS) — Alma Rivera (PCP) — Álvaro Almeida (PSD) — Ana Catarina Mendonça

Mendes (PS) — Ana Maria Silva (PS) — Ana Mesquita (PCP) — Ana Miguel dos Santos (PSD) — Ana Passos

(PS) — Ana Paula Vitorino (PS) — Ana Rita Bessa (CDS-PP) — Anabela Rodrigues (PS) — André Coelho

Lima (PSD) — André Neves (PSD) — André Pinotes Batista (PS) — André Silva (PAN) — António Cunha

(PSD) — António Filipe (PCP) — António Gameiro (PS) — António Lima Costa (PSD) — António Maló de

Abreu (PSD) — António Topa (PSD) — António Ventura (PSD) — Artur Soveral Andrade (PSD) — Ascenso

Simões (PS) — Bacelar de Vasconcelos (PS) — Bebiana Cunha (PAN) — Bruno Aragão (PS) — Bruno Dias

(PCP) — Carla Barros (PSD) — Carla Borges (PSD) — Carla Madureira (PSD) — Carla Sousa (PS) — Carlos

Alberto Gonçalves (PSD) — Carlos Brás (PS) — Carlos Eduardo Reis (PSD) — Carlos Peixoto (PSD) —

Carlos Pereira (PS) — Carlos Silva (PSD) — Catarina Rocha Ferreira (PSD) — Cecília Meireles (CDS-PP) —

Clara Marques Mendes (PSD) — Clarisse Campos (PS) — Cláudia André (PSD) — Cláudia Bento (PSD) —

Cláudia Santos (PS) — Constança Urbano de Sousa (PS) — Cristina Jesus (PS) — Cristina Mendes da Silva

(PS) — Cristina Rodrigues (N insc.) — Cristina Sousa (PS) — Cristóvão Norte (PSD) — Diana Ferreira (PCP)

— Diogo Leão (PS) — Duarte Alves (PCP) — Duarte Marques (PSD) — Duarte Pacheco (PSD) — Edite

Estrela (PS) — Eduardo Barroco de Melo (PS) — Eduardo Teixeira (PSD) — Elza Pais (PS) — Emídio

Guerreiro (PSD) — Emília Cerqueira (PSD) — Eurídice Pereira (PS) — Fernanda Velez (PSD) — Fernando

Anastácio (PS) — Fernando José (PS) — Fernando Negrão (PSD) — Fernando Paulo Ferreira (PS) —

Páginas Relacionadas
Página 0003:
21 DE NOVEMBRO DE 2020 3 Nota: Aprovado, por unanimidade, tendo-se registado a ausê
Pág.Página 3