O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 58

36

O Sr. Presidente: — Tem a palavra a Sr.ª Deputada Ana Rita Bessa, em nome do Grupo Parlamentar do

CDS-PP.

A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Ontem, um conjunto de Srs.

Deputados foi convidado, por ocasião do Dia da Mulher, a dirigir-se à Academia das Ciências para assistir a

uma cerimónia em que estavam presentes alunos do Liceu Pedro Nunes e do Liceu Passos Manuel…

A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Já não há liceus!

A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Peço desculpa, alunos da Escola Secundária Pedro Nunes e da Escola

Secundária Passos Manuel — está sempre atenta a Sr.ª Deputada Rita Rato, ou não fosse uma mulher muito

presente nesta Câmara.

Nessa cerimónia, seis mulheres cientistas deram o seu testemunho com o seu percurso na área da ciência.

No final, o painel dos Srs. Deputados também foi convidado a intervir. Estavam presentes três Srs. Deputados,

três ilustres Colegas desta Casa, pelo PCP, pelo Bloco de Esquerda e pelo Partido Socialista, e estava eu, pelo

Grupo Parlamentar do CDS.

Houve uma aluna de uma das escolas — já não sei de qual delas — que perguntou por que é que ainda era

pertinente ou qual era a grande vantagem de existirem mulheres em lugares de decisão. Os três Srs. Deputados,

homens, rapidamente dirigiram-se para o microfone e apresentaram as suas explicações sobre a importância

de haver esta paridade, todas mais ou menos marcadas pela linha ideológica de cada Deputado, mas os três

deram uma resposta. Eu fiquei para o fim.

No final, foi-me dada a palavra e, a meu ver, esse facto foi a explicação mais gráfica do porquê ainda fazer

sentido haver um Dia da Mulher: faz sentido haver o Dia da Mulher porque é à mulher que cabe ter a sua voz

de explicação.

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Muito bem!

A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Não preciso que sejam os homens a dar essa explicação por mim,

ainda que seja muito bondosa.

Protestos de Deputados do PS e do PCP.

Cabe às mulheres falarem pela sua própria voz!

Aplausos do CDS-PP.

Enquanto for assim, enquanto os Srs. Deputados, os homens, sentirem que têm mais capacidade de dar

essa explicação por mim, ainda que eu goste muito de receber flores no Dia da Mulher, esse direito não estará

plenamente conseguido e esse, sim, é o tempo que ainda não chegou.

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. Presidente: — Em nome do Grupo Parlamentar de Os Verdes, tem a palavra a Sr.ª Deputada Heloísa

Apolónia.

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: O problema é quando

mulheres como as ex-trabalhadoras da Triumph ou como trabalhadoras da Ricon e de outras empresas também

não têm voz nesta sociedade, porque não lhes dão a dignidade que merecem.

É por isso que Os Verdes aproveitam esta intervenção, a propósito dos votos do Dia Internacional da Mulher,

para saudar todas, todas, as mulheres que, no dia a dia, lutam por mais direitos, por mais igualdade, por

dignidade, quantas vezes com tantas e tantas adversidades. E uma delas é justamente este fosso crescente —

Páginas Relacionadas
Página 0041:
10 DE MARÇO DE 2018 41 Passamos à votação do projeto de resolução n.º 1363/XIII (3.
Pág.Página 41