O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

26 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008

O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local: — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados, gostaria de deixar duas notas.
Em primeiro lugar, não vou entrar neste interessante debate ideológico sobre «sovietização». Parece-me um debate, felizmente, fora do tempo e insuspeitamente trazido pelo CDS-PP! Agora, o que claramente afirmamos é que não faremos a infeliz tradição de desorganização territorial de um País em que a escala de intervenção ora era o distrito, ora era a província,…

O Sr. José Soeiro (PCP): — As autarquias!

O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local: — … ora era a «para-região», ora era o modelo correspondente a modelos de organização variadíssima.

Protestos do PCP.

Portanto, Srs. Deputados, aqueles que contestaram justamente a incoerência na resposta aos municípios, aos anseios das populações correspondente a várias áreas de Estado, não venham aqui, sem qualquer legitimidade, trazer este debate quando o Governo estabelece o modelo de organização segundo a estrutura das cinco regiões no continente para a organização desconcentrada do território.

Protestos do PCP.

Em segundo lugar, o princípio fundamental de participação e de liberdade associativa, assentando, aqui também, que aquilo que não existia e que era a participação dos municípios na gestão dos quadros comunitários, que era uma excepção, passe a ser uma regra, com coerência, com contratualização.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Mas o Governo é que decide!

O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local: — É por isso que a Associação Nacional de Municípios Portugueses vem exigindo a urgência na aprovação desta lei das associações de municípios, porque é uma condição para que se maximize, se potencie, aquilo que queremos, que é uma participação reforçada a uma escala supramunicipal, mas também que nas áreas metropolitanas se passe de órgãos de participação abaixo daquela que é a expectativa legítima das populações.
Queremos estruturas adequadas, com eficácia, a dar resposta aos verdadeiros desafios metropolitanos.
Não queremos uma autoridade metropolitana de transportes com o estatuto de empresa pública na dependência do Governo…

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — São decididas pelo Governo!

O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Administração Local: — … mas, sim, áreas metropolitanas que, em articulação com a administração central, participem na definição de estratégias na área de gestão de redes, como também na área do planeamento e na área da intervenção a uma escala supramunicipal, que queremos reforçar com coerência, com descentralização, com aplicação do princípio da subsidiariedade, a bem de um País mais coeso e solidário.

Aplausos do PS.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Consegue dizer isso sem se rir?!

O Sr. Presidente: — Concluído este ponto da ordem do dia, passamos à discussão, na generalidade, do projecto de lei n.º 488/X — Altera o Decreto-Lei n.º 176/2003, de 2 de Agosto, que define e regulamenta a protecção na eventualidade de encargos familiares no âmbito do subsistema de protecção familiar (CDS-PP).
Para apresentar o projecto de lei, tem a palavra o Sr. Deputado Pedro Mota Soares.

Páginas Relacionadas
Página 0006:
6 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 Vasco Manuel Henriques Cunha Zita Maria
Pág.Página 6
Página 0007:
7 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 Metropolitanas de Lisboa e Porto e regu
Pág.Página 7
Página 0008:
8 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Adm
Pág.Página 8
Página 0009:
9 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 domínio da gestão de redes, como as aut
Pág.Página 9
Página 0010:
10 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 A «cenoura» já percebemos que é o QREN, po
Pág.Página 10
Página 0011:
11 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 intervenção do Sr. Deputado Miguel Alm
Pág.Página 11
Página 0012:
12 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O Sr. Miguel Almeida (PSD): — Essa agora!?
Pág.Página 12
Página 0013:
13 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O Sr. José Soeiro (PCP): — Hoje discut
Pág.Página 13
Página 0014:
14 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 metropolitanas que vão mais longe na viola
Pág.Página 14
Página 0015:
15 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O Sr. Renato Sampaio (PS): — Como o Sr
Pág.Página 15
Página 0016:
16 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 Esta reforma é dirigista porque os gabinet
Pág.Página 16
Página 0017:
17 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O Sr. Presidente: — Para uma intervenção,
Pág.Página 17
Página 0018:
18 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Po
Pág.Página 18
Página 0019:
19 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O Sr. Miguel Almeida (PSD): — Estranho co
Pág.Página 19
Página 0020:
20 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 transferir mais poderes para os municípios
Pág.Página 20
Página 0021:
21 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 regionalização e um plano, provavelmen
Pág.Página 21
Página 0022:
22 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 E, a este respeito, importa reafirmar — ho
Pág.Página 22
Página 0023:
23 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 nos níveis de intervenção; sem iludir
Pág.Página 23
Página 0024:
24 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Ad
Pág.Página 24
Página 0025:
25 | I Série - Número: 074 | 19 de Abril de 2008 O estranho é que seja o Governo do Par
Pág.Página 25