O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 5

14

Governo. O quociente familiar, Sr. Deputado João Galamba, e vou explicar com cuidado para compreender

exatamente o seu objetivo, permite que famílias com igual rendimento não sejam fiscalmente discriminadas por

terem mais filhos, situação que o seu Governo, Sr. Deputado, atualmente, não consegue garantir.

Saudamos as iniciativas trazidas pelo CDS-PP, mas é importante que façam parte de uma estratégia mais

alargada. É isso que o PSD tem defendido e concretizado, com propostas e soluções efetivas. Em maio deste

ano, o PSD insistiu em mais medidas para a proteção das famílias e das crianças, incluindo uma série de

medidas de natureza não fiscal.

O CDS traz, hoje, contributos que vemos com bons olhos, mas é preciso uma política mais ampla e

ambiciosa.

Sr. Deputado Filipe Anacoreta Correia, estará o CDS disposto a agregar todas as suas propostas,

envolvendo, também, os outros partidos e a sociedade civil, num passo decisivo, estrutural e de largo alcance,

um passo que seja verdadeiramente potenciador das políticas de família e de natalidade?! A comissão que

propomos pode e deve ser o espaço para fazermos essa concertação, aproveitando as propostas que o PSD já

fez e as propostas que o CDS nos traz hoje.

Não considera, Sr. Deputado, que este Governo, apoiado pelo PCP e pelo Bloco, demonstra uma enorme

incoerência e insensibilidade, ao recusar às famílias o mais básico direito, o direito de construírem o seu futuro

como desejam, sem serem, por isso, penalizadas fiscalmente pelo Estado?!

O Sr. João Oliveira (PCP): — Ainda acaba a defender um Governo patriótico e de esquerda! Vai ver!

A Sr.ª Inês Domingos (PSD): — Srs. Deputados, a família, nas suas diferentes constituições, é um fator de

enorme coesão social e revelou uma capacidade de apoio e de entreajuda que contribuiu determinantemente

para o sucesso do programa de ajustamento em Portugal. Essa solidariedade familiar não é possível se as

tendências demográficas continuarem a ditar a redução drástica da natalidade. Para reverter esta realidade, é

necessário um empenho político alargado que, infelizmente, tem faltado às esquerdas, como hoje ficou aqui

demonstrado. Neste grupo que não faz propostas e deita abaixo, inclui-se o PS, Sr. Deputado João Galamba,

que fez o corte no abono de família e nos salários. Será, eventualmente, por isso que a taxa de natalidade, que

estava a recuperar até 2015, estagnou desde que os senhores entraram para o Governo.

Aplausos do PSD.

O Sr. Presidente: — Para responder, tem a palavra o Sr. Deputado Filipe Anacoreta Correia.

O Sr. Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr.ª Deputada Inês Domingos e Sr.ª Deputada

Rita Rato, agradeço as vossas questões.

Começando pela intervenção da Sr.ª Deputada Inês Domingos, queria dizer que, em boa hora, ouvimos a

intervenção que fez, em nome do Grupo Parlamentar do PSD, porque finalmente entrou no debate, entrou na

agenda, não se limitou a uma atitude de mera partidarite, com críticas vãs, de quem está fechado numa

quarentena ideológica.

Nesse sentido, Sr.ª Deputada, quero dizer-lhe que temos bem consciência de que temos trabalhado sobre

estas matérias e, muitas vezes, temos estado de acordo com o PSD. Quando estivemos no Governo, como fez

referência, introduzimos algumas medidas que consideramos importante que sejam retomadas e, por isso, as

propomos e congratulo-me, porque verifico que o PSD também as mantém.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Só namoram aqui, lá fora andam às cotoveladas!

O Sr. Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP): — Sr.ª Deputada Rita Rato, fez aqui uma série de afirmações,

disse que as propostas do CDS passam ao lado das necessidades das famílias, que não falam de emprego…

Sr.ª Deputada, com toda a sinceridade, fico com a sensação de que não terá tido oportunidade de ler as nossas

propostas.

Vou dar-lhe vários exemplos.

Páginas Relacionadas
Página 0005:
28 DE SETEMBRO DE 2018 5 seus dependentes, sejam eles menores ou não, pois dividir
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 5 6 sejam analisadas e todos os grupos parlamentares
Pág.Página 6
Página 0007:
28 DE SETEMBRO DE 2018 7 Sobre o desemprego e a precariedade, não há nenhuma propos
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 5 8 sustentabilidade, mas, se tiver três filhos, ou
Pág.Página 8
Página 0009:
28 DE SETEMBRO DE 2018 9 O Sr. Tiago Barbosa Ribeiro (PS): — Zero!
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 5 10 Deputado, quando querem acabar com uma medida q
Pág.Página 10
Página 0011:
28 DE SETEMBRO DE 2018 11 Sr. Deputado José Soeiro, onde é que estava quando o CDS
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 5 12 trouxeram, hoje, à discussão, nesta Casa, não f
Pág.Página 12
Página 0013:
28 DE SETEMBRO DE 2018 13 particular importância. É que uma das propostas aqui em d
Pág.Página 13
Página 0015:
28 DE SETEMBRO DE 2018 15 Sr.ª Deputada, acha ou não que é relevante para as famíli
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 5 16 A Sr.ª Clara Marques Mendes (PSD): — Foi
Pág.Página 16
Página 0017:
28 DE SETEMBRO DE 2018 17 Numa frase: teremos um Portugal com mais futuro. <
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 5 18 O Sr. Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP): — E ho
Pág.Página 18
Página 0019:
28 DE SETEMBRO DE 2018 19 O Sr. José Moura Soeiro (BE): — Concluo, Sr. Presi
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 5 20 infância e à família, assegurando-se o acesso a
Pág.Página 20
Página 0021:
28 DE SETEMBRO DE 2018 21 Aplausos do PS. O Sr. Tiago Barbosa
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 5 22 Sr.as e Srs. Deputados, recordo que desde 2010
Pág.Página 22
Página 0023:
28 DE SETEMBRO DE 2018 23 Sr.as e Srs. Deputados, não se trata apenas de pedir resp
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 5 24 Sim, este é um tema que a todos diz respeito. J
Pág.Página 24
Página 0025:
28 DE SETEMBRO DE 2018 25 A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Portanto, seria
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 5 26 Dito isto, Sr.ª Deputada do Partido Socialista,
Pág.Página 26
Página 0027:
28 DE SETEMBRO DE 2018 27 apresenta hoje não têm qualquer relevância para o País, n
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 5 28 Basta ver as inúmeras propostas que temo
Pág.Página 28
Página 0029:
28 DE SETEMBRO DE 2018 29 A Sr.ª Margarida Balseiro Lopes (PSD): — Demagógica, porq
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 5 30 Portanto, na conclusão deste debate, o p
Pág.Página 30
Página 0031:
28 DE SETEMBRO DE 2018 31 Aplausos do PS. O Sr. Presidente (Jorge Lacã
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 5 32 Vozes do PCP: — Muito bem!
Pág.Página 32
Página 0033:
28 DE SETEMBRO DE 2018 33 A Sr.ª Clara Marques Mendes (PSD): — Sr.ª Deputada
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 5 34 Peço a compreensão dos demais Deputados.
Pág.Página 34
Página 0035:
28 DE SETEMBRO DE 2018 35 A Sr.ª Sónia Fertuzinhos (PS): — Não é preciso, eu ouvi!
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 5 36 Não foi essa a vossa opção, mas o nosso papel,
Pág.Página 36
Página 0037:
28 DE SETEMBRO DE 2018 37 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Muito bem!
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 5 38 infância a servir toda a população — e lembro q
Pág.Página 38
Página 0039:
28 DE SETEMBRO DE 2018 39 uma ou duas das quais se afastam, são todas as propostas
Pág.Página 39