O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 92

10

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sr. Presidente, agradeço ao Sr. Deputado e às Srs. Deputadas que

me colocaram questões e que também fizeram algumas considerações sobre a matéria que Os Verdes aqui

trazem.

Gostaria de começar por responder ao Sr. Deputado Luís Vilhena dizendo que, efetivamente, a política de

transporte ferroviário, digamos assim, foi completamente errada durante décadas e décadas e, hoje, estamos a

sofrer os efeitos dessas políticas.

O problema é que, Sr. Deputado, andamos a alertar para esta matéria há muitos anos e os sucessivos

Governo, incluindo os do PS, fizeram muitas asneiras relativamente a esta matéria. Se pensarmos que em

apenas três décadas foram encerrados cerca de 1300 km de vias ferroviárias, percebemos bem que impacto é

que isso tem a nível ambiental, a nível social e a nível económico. E, se virmos desenhado num mapa as linhas

ferroviárias que foram encerradas, percebemos muito bem porque é que o interior ficou mais interior. Porque,

de facto, o encerramento, a negação de serviços públicos fundamentais às populações, como é a mobilidade,

designadamente a ferroviária, afasta potencial de fixação das populações e afasta empresas.

Portanto, fez-se tudo ao contrário e, hoje, andam muitos que tiveram responsabilidade nessa matéria a chorar

lágrimas, não sei se de crocodilo, se não, mas, aparentemente, a chorar lágrimas a dizer que, afinal, isso foi

tudo um descalabro.

Oiçam-nos, Sr. Deputado, já dizíamos isso há muito tempo!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Têm de pedir desculpas!

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Também é penoso perceber como é que numa década a mobilidade

pendular que, no início dos anos 90, era feita, fundamentalmente, por transporte público, passou a ser

maioritariamente feita por transporte individual. Porquê? Porque os transportes públicos não davam resposta às

necessidades dos cidadãos. Tudo ao contrário!

O Sr. Bruno Dias (PCP): — E mais caros!

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — E muito mais caros, de facto! Tornaram-se muito mais caros para

as populações, ano após ano. Responsabilidade de quem? De Governos do PSD e do CDS e do PS. É preciso

assumir essa responsabilidade — mas não apenas ficar por aí — e inverter, de facto, as políticas para que os

resultados sejam outros.

O Sr. Deputado coloca a questão da mobilidade ativa ou da mobilidade suave em meios urbanos. Pois é uma

questão que Os Verdes estão fartos de levantar e de pedir que se fomente!

Sr. Deputado, sabe, foi há mais, muito mais de uma década, que Os Verdes apresentaram, pela primeira vez

na Assembleia da República, um projeto para se fazer um plano nacional das vias cicláveis para ligar,

inclusivamente, localidades. Sabe qual foi a posição de voto do PS? Votou contra, Sr. Deputado!

Não vale a pena ficarmos apenas pelos discursos! As propostas, as medidas concretas, são fundamentais

para fazer parte da vida das pessoas e dar resposta às necessidades das populações.

Sr.ª Deputada Patrícia Fonseca, considero a floresta um importante fator de retenção do carbono, nem

poderia deixar de ser de outra forma. Aquilo que lamento — na lógica, de resto, daquilo que eu estava a dizer—

, é que o CDS tenha sido um dos principais responsáveis pela lei da liberalização do eucalipto, fragilizando a

nossa floresta, fazendo com que ela ardesse mais rápida e facilmente, Sr.ª Deputada! Está a ver? Não bate a

bota com a perdigota!

Protestos do CDS-PP.

Nós, Os Verdes, temos trabalhado para o quê? Para tornar a floresta mais resistente, estancando as imensas

monoculturas de eucalipto e apostando na floresta autóctone.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Exatamente!

Páginas Relacionadas
Página 0002:
I SÉRIE — NÚMERO 92 2 O Sr. Presidente: — Sr.as e Srs. Deputados, Srs
Pág.Página 2
Página 0003:
6 DE JUNHO DE 2019 3 científica. Só quando o problema verdadeiramente bate à porta
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 92 4 O transporte ferroviário é, talvez, daqueles qu
Pág.Página 4
Página 0005:
6 DE JUNHO DE 2019 5 O Sr. Presidente: — Sr.ª Deputada, como foi combinado,
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 92 6 Até 2030, reduziremos as nossas emissões em 50%
Pág.Página 6
Página 0007:
6 DE JUNHO DE 2019 7 Com os leilões, seja qual for a sua forma ou resultado, teremo
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 92 8 A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — E
Pág.Página 8
Página 0009:
6 DE JUNHO DE 2019 9 combustíveis, não poluentes —, também se faz pelo aumento do e
Pág.Página 9
Página 0011:
6 DE JUNHO DE 2019 11 A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — E a Sr.ª Deputada tem
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 92 12 Infraestruturas — e dizer-lhe que o balanço de
Pág.Página 12
Página 0013:
6 DE JUNHO DE 2019 13 serem transportados como sardinha em lata — diria mesmo que s
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 92 14 Sr. Ministro, o Roteiro para Neutralidade Carb
Pág.Página 14
Página 0015:
6 DE JUNHO DE 2019 15 Por isso, Sr. Ministro, o que queria dizer-lhe é que há outra
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 92 16 O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Sr. Secretário
Pág.Página 16
Página 0017:
6 DE JUNHO DE 2019 17 O Sr. André Silva (PAN): — Sr. Presidente, Sr. Ministr
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 92 18 O Sr. Ministro do Ambiente e da Transiç
Pág.Página 18
Página 0019:
6 DE JUNHO DE 2019 19 Sr. Deputado João Marques, há, de facto, uma resposta direta
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 92 20 Relativamente à Soflusa, não consigo dar melho
Pág.Página 20
Página 0021:
6 DE JUNHO DE 2019 21 O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Passamos, ago
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 92 22 Aplausos de Os Verdes e do PCP.
Pág.Página 22
Página 0023:
6 DE JUNHO DE 2019 23 tinham lotação para recebê-las. Diria que a forma com que o S
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 92 24 Também a melhoria da cobertura da rede e da of
Pág.Página 24
Página 0025:
6 DE JUNHO DE 2019 25 O Sr. José Luís Ferreira (Os Verdes): — Sr. Presidente, Sr. M
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 92 26 No entanto, as queixas têm aumentado e, por ou
Pág.Página 26
Página 0027:
6 DE JUNHO DE 2019 27 O Sr. Bruno Dias (PCP): — Muito bem! O Sr. Duar
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 92 28 Risos da Deputada do BE Joana Mortágua.
Pág.Página 28
Página 0029:
6 DE JUNHO DE 2019 29 O Sr. Bruno Dias (PCP): — As carruagens agora são bera
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 92 30 resolvido quando estavam no Governo e, nessa a
Pág.Página 30
Página 0031:
6 DE JUNHO DE 2019 31 e o que diz, em Almada, a Sr.ª Dr.ª Inês Medeiros, para verif
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 92 32 Faça favor, Sr. Deputado. O Sr.
Pág.Página 32
Página 0033:
6 DE JUNHO DE 2019 33 Aplausos do PSD. O Sr. Presidente (José Manuel
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 92 34 O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Sr. Presidente
Pág.Página 34
Página 0035:
6 DE JUNHO DE 2019 35 porque a encomenda de comboios é essencialmente para o serviç
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 92 36 O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Sr.as
Pág.Página 36
Página 0037:
6 DE JUNHO DE 2019 37 que existem. Aumentar a oferta, aumentar as carreiras, aument
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 92 38 O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Queir
Pág.Página 38
Página 0039:
6 DE JUNHO DE 2019 39 de estufa, apostar decidida e seriamente nas energias renováv
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 92 40 Se o Governo considera que resolve o problema
Pág.Página 40
Página 0041:
6 DE JUNHO DE 2019 41 Foi constituído o painel científico de suporte à Estratégia N
Pág.Página 41