O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

7 DE FEVEREIRO DE 2015

25

Houve piores índices de serviço? Os utilizadores e os consumidores dos CTT estão mais insatisfeitos?

Não, estão mais satisfeitos.

Relativamente ao problema da coesão territorial, as populações do interior, que a oposição aqui referia,

estão mais insatisfeitas e viram piorado o acesso aos serviços que os CTT prestavam? Não, estão satisfeitas e

o serviço continua a ser assegurado.

O Sr. Paulo Campos (PS): — Em que inquérito é que baseia essas afirmações?

A Sr.ª Vera Rodrigues (CDS-PP): — Para além de a empresa continuar a crescer, continuar a ser viável,

continuar a assegurar o serviço que era necessário assegurar, nenhum dos dramas que aqui se vaticinaram

aconteceram.

Portanto, estando garantidas as preocupações relativamente aos trabalhadores, estando garantidos os

níveis de serviço, de facto não há razões para temer privatizações. Os CTT operam num mercado que é

regulado, que é supervisionado, e isso é uma garantia fundamental relativamente ao funcionamento da

economia, onde, do nosso ponto de vista, deve haver, da parte do Estado, mais regulação do que intervenção.

Isto para além de que, com a operação bem sucedida de privatização dos CTT, ficou demonstrado e

provado que o recurso ao mercado de capitais é, sem dúvida, uma forma de ter os custos do financiamento e

o diferencial do acesso ao financiamento entre as empresas portuguesas e as empresas do norte da Europa.

Quero, pois, com isto dizer que, apesar daquilo que a oposição aqui tanto vaticinou, a operação foi um

sucesso, o serviço continua a ser assegurado e foi, de facto, uma operação da qual nos devemos orgulhar.

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

A Sr.ª Presidente: — Está ainda inscrito, embora disponha de muito pouco tempo, o Sr. Deputado Afonso

Oliveira.

Tem a palavra, Sr. Deputado.

O Sr. Afonso Oliveira (PSD): — Sr.ª Presidente, só me inscrevi para, de forma muito rápida, dizer aquilo

que neste momento é fundamental.

A intervenção do Sr. Deputado Paulo Campos levou-me a intervir por uma razão muito simples: o Sr.

Deputado obriga-nos a lembrar-lhe, em cada momento, que fez parte, durante seis anos, do anterior Governo,

do Partido Socialista.

Durante seis anos foi a tutela dos CTT,…

Aplausos do PSD.

Protestos do Deputado do PS Paulo Campos.

… no âmbito desta petição é o relator, pelo que acompanhou todo o processo. Fez parte do Governo que

assinou o Memorando de Entendimento, onde estava prevista a privatização dos CTT,…

Vozes do PSD: — É verdade!

O Sr. Afonso Oliveira (PSD): — … e vem aqui dizer que é um preconceito ideológico deste Governo

avançar com a privatização?!

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

Protestos do Deputado do PS Paulo Campos.

Sr. Deputado, vou tentar ter muito cuidado com as palavras. Não lhe vou dizer que «é preciso ter lata!»,

porque não fica bem, mas, neste momento, era preciso um bocadinho mais de decoro.

Páginas Relacionadas
Página 0027:
7 DE FEVEREIRO DE 2015 27 O Sr. Paulo Campos (PS): — Peço, pois, à Sr.ª Pres
Pág.Página 27