O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-B — NÚMERO 3

2

VOTO N.º 3/XIV/1.ª

DE CONGRATULAÇÃO PELO SUCESSO DA TERCEIRA MISSÃO CIRÚRGICA HUMANITÁRIA DE

APOIO ÀS CRIANÇAS REFUGIADAS SÍRIAS NA JORDÂNIA, LIDERADA PELO CIRURGIÃO

CARDIOTORÁCICO PROFESSOR DOUTOR MANUEL ANTUNES

No passado mês de setembro, no Gardens Hospital, em Amã, na Jordânia, uma equipa médica, liderada pelo

cirurgião cardiotorácico Professor Doutor Manuel Antunes, realizou catorze cirurgias em treze crianças

refugiadas sírias com patologia cardíaca congénita, naquela que foi terceira missão cirúrgica humanitária anual

consecutiva desta equipa naquele país. No momento do regresso da equipa a Portugal, as crianças, com idades

compreendidas entre os sete meses e os quinze anos, registavam todas pós-operatórios favoráveis e nove delas

tinham já tido alta hospitalar.

A equipa composta por outros seis médicos e enfermeiros do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e

uma médica do Hospital de Santa Cruz de Lisboa realizou, também, no quadro desta missão, um conjunto de

ações de formação específica ao pessoal clínico do Gardens Hospital.

Esta missão integrou-se num projeto de solidariedade da La Chaine de L'Éspoir, uma Organização Não-

Governamental francesa, que contou com o financiamento da União Europeia e, também, com o apoio do

Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, que forneceu algum material

específico.

Ao operarem, de forma totalmente voluntária e gratuita, quarenta crianças refugiadas sírias nos últimos três

anos, sem qualquer mortalidade ou complicações graves, estes médicos e enfermeiros apresentam-se como

um exemplo de solidariedade que não só encarna aquela que deve ser a postura dos cidadãos face à grave

crise humanitária que vivemos, como é também motivo de orgulho para os portugueses e portuguesas.

Assim, a Assembleia da República, reunida em Plenário, congratula-se pelo sucesso da terceira missão

cirúrgica humanitária anual, liderada pelo cirurgião cardiotorácico Professor Doutor Manuel Antunes, que, entre

os dias 21 e 29 de setembro de 2019, realizou 14 cirurgias em 13 crianças refugiadas sírias na Jordânia.

Assembleia da República, 4 de novembro de 2019.

Os Deputados do PAN: André Silva — Bebiana Cunha — Cristina Rodrigues — Inês de Sousa Real.

———

VOTO N.º 4/XIV/1.ª

DESAUDAÇÃO PELA ATRIBUIÇÃO DO PRÉMIO SAKHAROV 2019 A ILHAM TOHTI E DE

CONDENAÇÃO DAS SISTEMÁTICAS VIOLAÇÕES DE DIREITOS DAS MINORIAS UIGURE NA CHINA

No passado dia 24 de outubro foi anunciada pelo Parlamento Europeu a atribuição do prémio Sakharov 2019

a Ilham Tohti. Durante as últimas décadas, Ilham Tohti tem, na academia e na sociedade civil, criticado

veementemente a postura de exclusão e repressão da população Uigure levada a cabo pelo Governo chinês,

nomeadamente através da detenção em campos de internamento. Assumindo uma postura moderada, Tohti

tem condenado a campanha de assimilação forçada empreendida pelo Governo Chinês e tem apelado à

necessidade de diálogo tendo em vista o objetivo de integração da minoria Uigure na China com respeito pela

sua identidade étnica e crenças religiosas específicas.

Esta postura de Ilham Tohti, agora premiada pelo Parlamento Europeu, valeu-lhe a condenação na China,

em 2014, a uma pena de prisão perpétua pelos crimes de separatismo e terrorismo e ao confisco de todos os

seus bens e da sua família, sem que lhe fossem asseguradas as garantias mínimas de um julgamento justo. Por

estar em isolamento total desde 2017, Ilham Tohti não só não poderá estar presente na cerimónia de entrega

do prémio, como é, também, provável que nem sequer venha a ter conhecimento da sua atribuição.