O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

12 DE NOVEMBRO DE 1993 335

mente constituída, e a Coordenação da Área Educativa de Lamego.
É de obras que hoje falamos. Não são simples palavras, Srs. Deputados, são obras!
Mas se tudo isto, não for suficiente, valerá a pena determo-nos um pouco sobre algumas das muitas realizações previstas em PIDDAC a partir de 1994.
O IP n.º 3 já referido verá, finalmente, lançados os troços Raiva-Gestosa, Gestosa-Tondela, Tondela-Fail, a primeira parte do Fail-Castro Daire, a variante de Castro Daire e o Reconcos-Régua, que incluirá a nova ponte sobre o rio Douro, tudo isto num valor global de mais de 20 milhões de contos.

O Sr. Joel Hasse Ferreira (PS): - Isso é muito dinheiro!

O Orador: - O Hospital Distrital de Viseu tem inscritos mais 2,2 milhões de contos, que vão permitir a sua conclusão até 1996, com um valor final de cerca de 12 milhões.
Surge, finalmente, o novo Hospital Distrital de Lamego, que custará cerca de 6 milhões.
O projecto integrado da Linha da Beira Alta vê inscritos, para o próximo ano, 11,8 milhões de contos.
São lançados ou será dada continuidade às obras dos seguintes centros de saúde: Tabuaço, Carregai do Sal, Penedono, Viseu, Tarouea, Vouzela e Mangualde.
Serão iniciadas ou concluídas as seguintes escolas do ensino básico e secundário: C+S de Mangualde, C+S de Nelas, Escola Básica Integrada de Oliveira de Frades, C+S de Armamar, C+S de Mundão, em Viseu, Escola Básica Integrada de Marzovelos, em Viseu, C+S do Caramulo, C+S do Viso, em Viseu, e C+S de Souselo, em Cinfães. A Escola Superior de Tecnologia, já com o novo curso de Engenharia Civil, verá terminadas as suas modernas instalações, bem como o aparecimento de novas residências e cantina estudantis num valor, para 1994, de 374 000 contos.

O Sr. Silva Marques (PSD): - Muito bem! Isso não vos interessa!

O Orador: - O novo Centro de Juventude de Viseu será igualmente concluído no próximo ano, tendo custado no final 440 000 contos.
Em termos de ligações viárias complementares, vemos surgir as seguintes: EN n.º 222 (Ponte do Varosa-Ponte de Espinho), 200 mil contos; EN n.º 229 (Sátão-Vila Nova de Paiva), 1,2 milhões, a realizar até 1996; .EN n.º 232 (variante de Mangualde), 400 mil contos; EN n.º 234 (variante de Carregai do Sal), .750 mil contos; EN 334-1 (Pala-Mortágua), 200 mil contos.
Será dado finalmente início ao novo Centro de Formação Profissional de Viseu que, em articulação com o já existente (Centro de. Formação Profissional Agrícola), dará a necessária resposta, em termos de formação e reciclagem, de mão-de-obra mais qualificada para a economia regional.
Sr. Presidente, Srs. Deputados: É evidente que não posso aqui referir todas as obras incluídas no Orçamento do próximo ano e, por isso, apenas seleccionei as que me parecem de mais destaque, mas não posso deixar de, publicamente, fazer justiça ao esforço do Governo para dotar a minha terra daquilo que merecemos e que, no passado, nos foi negado.

O Sr. Silva Marques (PSD): - Muito bem!

O Orador: - Recordamos sem saudade os anos e anos de atraso passadista, antes e pós-25 de Abril, em que sucessivos governos, pura e simplesmente, se esqueceram desta vasta região.

O Sr. Silva Marques (PSD): - Exacto!

O Orador: - Lamentamos que muitos dos que então foram poder e nada fizeram em prol da sua terra tenham sido os primeiros, nos tempos mais recentes, a tentar denegrir esta obra notável, já parcialmente de pé.

O Sr. Carlos Coelho (PSD): - É verdade!

O Orador: - Foram anos de obscurantismo de direita ou de esquerda, em que se destacaram vários dos actuais dirigentes locais de alguns partidos de oposição, com saliência para o Partido Socialista, poder durante variadíssimos anos, que foi incapaz de deixar de pé em Viseu uma única obra significativa de que nos possamos hoje orgulhar.

Vozes do PSD: - É verdade!

O Orador: - Pena é que esses homens ainda procurem atirar areia para os olhos das pessoas, procurando hoje fazer crer que são capazes de fazer aquilo que nunca construíram, quando confrontados com responsabilidades concretas.

O Sr. Silva Marques (PSD): - Exacto!

O Orador: - São palavras, só palavras, com cheiro a mofo, próprias de quem faz da retórica o seu meio de vida, mas que é incapaz de criar o que quer que seja.
Sr. Presidente, Srs. Deputados: O nosso rumo é o desenvolvimento! Movemo-nos apenas em função da nossa terra e do nosso País. Sabemos bem que, hoje, não estamos sozinhos, temos a solidariedade de quem quer o progresso!
Com Cavaco Silva, com os nossos autarcas, com os viseenses em geral, vamos continuar a lutar por Viseu, pelo Futuro!

Aplausos do PSD.

O Sr. Presidente: - Srs. Deputados, nos termos regimentais, vamos passar à votação dos votos n.ºs 95/VI, subscrito pelo Deputado independente Mário Tomé, e 96/VI, subscrito por Deputados de todos os grupos parlamentares e pelo PSN, ambos sobre Timor Leste. Como foram distribuídos, suponho que não é necessário proceder à sua leitura.
Em primeiro lugar, vamos proceder à votação do voto n.º 95/VI.

O Sr. Mário Tomé (Indep.): - Dá-me licença, Sr. Presidente?

O Sr. Presidente: - Para que efeito, Sr. Deputado?

O Sr. Mário Tomé (Indep.): - Para apresentação do meu voto, Sr. Presidente.

O Sr. Presidente: - Os votos não são objecto de discussão, Sr. Deputado. Apenas lhe poderei dar a palavra, no fim da sua votação, para uma declaração de voto.
Srs. Deputados, vamos votar.

Submetido à votação, foi rejeitado, com votos contra do PSD, votos a favor do PS, do PCP, de Os Verdes e do Deputado independente Mário Tomé e a abstenção do CDS-PP.